Capacidade para o trabalho, fatores ocupacionais e socioeconômicos de mulheres economicamente ativas

Patricia Ribeiro Marcacine, Sybelle de Souza Castro, Marilita Falangola Accioly, Jéssica Carvalho Lima, Juliana Martins Pinto, Isabel Aparecida Porcatti de Walsh

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar a capacidade para o trabalho e verificar a influência das características sociodemográficas e ocupacionais em mulheres economicamente ativas. Trata-se de um estudo transversal, com mulheres trabalhadoras na cidade de Uberaba-MG, em 2014. Na avaliação da capacidade para o trabalho utilizou-se o Índice Capacidade para o Trabalho. A idade das participantes variou de 18 a 82 (42,70±13,74) anos. Destaca-se que 21,20% das mulheres apresentaram ótima capacidade para o trabalho, 32,3% boa, 19,3% moderada e 4,10% baixa. As mulheres que se declararam chefes de família, que usavam medicamentos, as mais velhas e as que já se afastaram do trabalho apresentaram capacidade significativamente menores. Ainda, quanto maior a renda mensal individual, melhor foi esta. A avaliação e acompanhamento por meio do Índice de Capacidade pata o Trabalho pode subsidiar as ações de regulação das relações entre trabalho e saúde, e complementar os exames dos programas de saúde ocupacional.


Palavras-chave


Trabalho; Mulheres trabalhadoras; Avaliação da capacidade de trabalho.

Referências


Presidência da República (Brasil). Lei nº 8080, 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências [Internet]. D.O.U., Brasília, DF, 20 set 1990 [citado em 03 fev 2020]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8080.htm

Godinho MR, Ferreira AP, Greco RM, Teixeira LR, Teixeira MTB. Capacidade para o trabalho e saúde dos vigilantes de uma universidade pública. Rev Latinoam Enferm. [Internet]. 2016 [citado em 01 set 2019]; 24:e2725. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v24/pt_0104-1169-rlae-24-02725.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.0616.2725

Tuomi K, Ilmarinen J, Jakhola A, Katajarinne L, Tulkki A. Índice de capacidade para o trabalho. In: Fischer FM, coordenadora. São Carlos: EdUFSCar; 2010, p. 59.

Coomer, K., Houdmont, J. Occupational health profissional’s knowledge, understanding and use work ability. Occup Med. [Internet]. 2013 [citado em 01 set 2019]; 63(6):405-9. Disponível em: https://academic.oup.com/occmed/article/63/6/405/1369549. DOI: https://dx.doi.org/10.1093%2Foccmed%2Fkqt070

Alcantara MA, Medeiros AM, Claro RM, Vieira MT. Determinantes de capacidade para o trabalho no cenário da educação básica do Brasil: Estudo Educatel, 2016. Cad Saúde Pública [Internet]. 2019 [citado em 01 set 2019]; 35(Sup1):e00179617. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v35s1/1678-4464-csp-35-s1-e00179617.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00179617

Teixeira JRB, Mussi FC, Araujo TM, Boery EN, Casotti CA, Pereira R, et al. Fatores associados à capacidade para o trabalho de mototaxistas. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2019 [citado em 01 set 2019]; 24(10): 3957-67. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v24n10/1413-8123-csc-24-10-3957.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320182410.24702017

Cunha MS, Vasconcelos MR. Fecundidade e participação no mercado de trabalho brasileiro. Nova Econ. [Internet]. 2016 [citado em 09 set 2019]; 26(1):179-206. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/neco/v26n1/1980-5381-neco-26-01-00179.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0103-6351/2390

Martinez MC, Latorre MRDO, Fischer FM. Capacidade para o trabalho: revisão de literatura. Ciên Saúde Colet. [Internet]. 2010 [citado em 09 set 2019]; 15(Supl 1):1553-61. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v15s1/067.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000700067

Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério da Previdência e Assistência Social, Ministério da Saúde (Brasil). Portaria Interministerial nº 800, 03 de maio de 2005. Aprova a Política Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador. Diário Oficial da União: Brasília, DF, 05 maio 2005.

Silva Junior SHA, Vasconcelos AGG, Griep RH, Rotenberg L. Confiabilidade teste-reteste do Índice de Capacidade para o Trabalho (ICT) em trabalhadores de enfermagem. Rev Bras Epidemiol. [Internet]. 2013 [citado em 01 out 2019]; 16(1):202-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbepid/v16n1/1415-790X-rbepid-16-01-0202.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2013000100019

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios: síntese de indicadores de 2014 [Internet]. Rio de Janeiro: IBGE; 2015 [citado em 03 fev 2020]. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv94935.pdf

Hirata, H. Tendências recentes da precarização social e do trabalho: Brasil, França, Japão. Cad CRH [Internet]. 2011 [citado em 08 out 2019]; 24(1):15-22. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccrh/v24nspe1/a02v24nspe1.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-49792011000400002

Cordeiro TMSC, Araújo TM. Capacidade para o trabalho entre trabalhadores do Brasil. Rev Bras Med Trab. [Internet]. 2016 [citado em 08 out 2019]; 14(3):262-74. Disponível em: http://www.rbmt.org.br/details/120/pt-BR/capacidade-para-o-trabalho-entre-trabalhadores-do-brasil. DOI: 10.5327/Z1679-443520165115

Silva TPD, Araújo WN, Stival MM, Toledo AM, Burke TN, Carregaro RL. Desconforto musculoesquelético, capacidade de trabalho e fadiga em profissionais da enfermagem que atuam em ambiente hospitalar. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2018 [citado em 08 out 2019]; 52:e03332. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v52/1980-220X-reeusp-52-e03332.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s1980-220x2017022903332

Gemma SFB, Fuentes-Rojas M, Soares MJB. Agentes de limpeza terceirizados: entre o ressentimento e o reconhecimento. Rev Bras Saúde Ocup. [Internet]. 2017 [citado em 08 out 2019]; 42:e4. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbso/v42/2317-6369-rbso-42-e4.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2317-6369000006016

Tuomi K, Vanhala S, Nykyri E, Janhonen M. Organizational practices, work demands and the well-being of employees: a follow-up study in the metal industry and retail trade. Occup Med. [Internet]. 2004 [citado em 09 out 2019]; 54:115-121. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15020730. DOI: 10.1093/occmed/kqh005

Rutanen R, Luoto R, Raitanen J, Mansikkamäki K, Tomás E, Nygard CH. Short- and long-term effects of a physical exercise intervention on work ability and work strain in symptomatic menopausal women. Saf Health Work [Internet]. 2014 [citado em 09 out 2019]; 5(4):186-90. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4266772/. DOI: 10.1016/j.shaw.2014.08.003

Sluiter JK. High-demand jobs: age-related diversity in work ability? Appl Ergon. [Internet]. 2006 [citado em 09 out 2019]; 37(4):429-40. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16764815 DOI: https://doi.org/10.1016/j.apergo.2006.04.007

Linhares JE, Marcis J, Tonello R, Pessa SLR, Oliveira GA. Evaluation of the Work Ability of workers in the furniture sector of a city in the south of Brazil. Gest Prod. [Internet]. 2019 [citado em 09 out 2019]; 26(3):e3619. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/gp/v26n3/0104-530X-gp-26-3-e3619.pdf. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-530X3619-19

Vilela T, Araújo E, Ribeiro EP. Análise do diferencial de renda do trabalho em 2008 entre diferentes gerações de trabalhadores no Brasil. Rev Econ. [Internet]. 2012 [citado em 10 out 2019]; 13(2):385-414. Disponível em: http://www.anpec.org.br/revista/vol13/vol13n2p385_414.pdf

Senicato C, Lima MG, Barros MBA. Ser trabalhadora remunerada ou dona de casa associa-se à qualidade de vida relacionada à saúde? Cad Saúde Pública [Internet]. 2016 [citado em 10 out 2019]; 32(8):e00085415. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v32n8/1678-4464-csp-32-08-e00085415.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00085415

Padula RS, Comper ML, Moraes SA, Sabbagh C, Pagliato Junior W, Perracini MR. The work ability index and functional capacity among older workers. Braz J Phys Ther. [Internet]. 2013 [citado em 10 out 2019]; 17(4):382-91. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbfis/v17n4/1413-3555-rbfis-nahead2332012.pdf. DOI: 10.1590/S1413-35552013005000107

Costa CSN, Freitas EG, Mendonça LCS, Alem MER, Coury HJCG. Capacidade para o trabalho e qualidade de vida de trabalhadores industriais. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2012 [citado em 11 out 2019]; 17(6):1635-42. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v17n6/v17n6a26.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000600026

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010: mulheres são mais instruídas que os homens e ampliam o nível de ocupação [Internet]. Rio de Janeiro: IBGE; 2012 [citado em 03 fev 2020]. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/noticias-censo.html?view=noticia&id=3&idnoticia=2296&busca=1&t=censo-2010-mulheres-sao-mais-instruidas-que-homens-ampliam-nivel-ocupacao

Echeverria, JGM, Oliveira MHB, Erthal RMC. Violência doméstica e trabalho: percepções de mulheres assistidas em um Centro de Atendimento à Mulher. Saúde Debate [Internet]. 2017[citado em 11 out 2019]; 41(Esp):13-24. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v41nspe2/0103-1104-sdeb-41-spe2-0013.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0103-11042017s202

Costa FAO, Marra MM. Famílias brasileiras chefiadas por mulheres pobres e monoparentalidade feminina: risco e proteção. Rev Bras Psicodr. [Internet]. 2013 [citado em 12 out 2019]; 21(1):141-53. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psicodrama/v21n1/a11.pdf

Santana LL, Sarquis LMM, Brey C, Miranda FMD, Felli VEA. Absenteísmo por transtornos mentais em trabalhadores de saúde em um hospital no sul do Brasil. Rev Gaúcha Enferm. [Internet]. 2016 [citado em 12 out 2019]; 37(1):e53485. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v37n1/0102-6933-rgenf-1983-144720160153485.pdf

Cardoso ACM. O trabalho como determinante do processo saúde-doença. Tempo Soc. [Internet]. 2015 [citado em 14 out 2019]; 27(1):73-93. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ts/v27n1/0103-2070-ts-27-01-00073.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0103-207020150110

Carvalho DB, Araújo TM, Bernardes KO. Transtornos mentais comuns em trabalhadores da Atenção Básica à Saúde. Rev Bras Saúde Ocup. [Internet]. 2016 [citado em 14 out 2019]; 41:e17. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbso/v41/2317-6369-rbso-41-e17.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2317-6369000115915




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v8i2.4524

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.