Protocolo cognitivo de gerenciamento e controle do estresse ocupacional: um estudo de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18554/refacs.v8i0.4701

Palavras-chave:

Estresse psicológico, Terapia cognitivo-comportamental, Saúde do trabalhador.

Resumo

Este é um estudo de caso desenvolvido em 2017 numa clínica universitária, e teve como objetivo analisar um caso quanto à eficácia de um protocolo de atendimento individual, de base cognitiva, no tratamento, controle e gerenciamento do estresse ocupacional. Participou do estudo um homem de 30 anos, casado, que apresentava estresse em quase exaustão. Foi realizada uma entrevista de anamnese e avaliação por meio de inventários para identificação do nível de estresse e percepção do contexto de trabalho. Na sequência, foi aplicado um protocolo de gerenciamento do estresse organizado em oito encontros estruturados e baseados na terapia cognitiva. Os resultados demonstraram melhora do quadro de estresse e de percepção geral da realidade, apontando para a eficácia do protocolo, passível de ser aplicado em programas focais para controle de estresse ocupacional.

Biografia do Autor

Paulo Eduardo Benzoni, Universidade Paulista (UNIP)

Psicólogo. Especialista em Administração. Mestre em Promoção da Saúde. Doutor em Psicologia. Professor Titular da Universidade Paulista (UNIP), Ribeirão Preto, SP, Brasil. Programa Individual de Pesquisas para Docentes da Vice-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa – UNIP.

Juliana Gomes, Programa de Iniciação Científica para Discentes – UNIP

Psicóloga. Especialista em Psicoterapia de Casal e Família de Abordagem Psicanalítica. Especialista em Formação em Educação a Distância. Ribeirão Preto, SP, Brasil. Programa de Iniciação Científica para Discentes – UNIP

Samanta Benzi Meneghelli, Programa PIBIC/CNPq - UNIP

Psicóloga. Ribeirão Preto, SP, Brasil. Programa PIBIC/CNPq - UNIP

Referências

Selye H. Stress and the general adaptation syndrome. Br Med J. [Internet]. 1950 [citado em 27 ago 2019]; 1(4667):1383-92. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2038162/

Munzel T, Daiber A. Environmental stressors and their impacto n health and disease with focus on oxidative stress. Antioxid Redox Signal. [Internet]. 2018 [citado em 27 ago 2019]; 28(9):735-40. Disponível em: https://www.liebertpub.com/doi/abs/10.1089/ars.2017.7488

Baqutayan S. Stress and coping mechanisms: a historical overview. Mediterr J Soc Sci. [Internet]. 2015 [citado em 27 ago 2019]; 6(2):479-88. DOI: 10.5901/mjss.2015.v6n2s1p479

Lazarus R. Toward better research on stress and coping. Am Psychol. [Internet]. 2000 [citado em 27 ago 2019]; 55(6):665-73. Disponível em: https://psycnet.apa.org/buy/2000-15774-010

Karasek RA. Job demands, job decision latitude, and mental strain: implications for job redesign. Adm Sci Q. [Internet]. 1979 [citado em 27 ago 2019]; 24(2):285-308. DOI: 10.2307/2392498

Sprague J, Verona E, Kalkhoff, W, Kilmer A. Moderators and mediators of the stress-aggression relationship: executive function and state anger. Emotion [Internet]. 2011 [citado em 27 ago 2019]; 11(1):61-73. Disponível em: https://psycnet.apa.org/doiLanding?doi=10.1037%2Fa0021788

Pereira M, Rangé B. Terapia cognitiva. In: Rangé B, organizadores. Psicoterapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a psiquiatria. 2ed. Porto Alegre: Artmed; 2011. p. 20-32.

Holman D, Johnson S, O'Connor, E. Stress management interventions: Improving subjective psychological well-being in the workplace. In: Diener E, Oishi S, Tay L, organizadores. Handbook of well-being [Internet]. Salt Lake City: DEF Publishers; 2018 [citado em 27 ago 2019]. Disponível em https://nobascholar.com/chapters/44/download.pdf

Johnson SM, Naido AV. A psychoeducational approach for prevention of burnout among teachers dealing with HIV/AIDS in South Africa. AIDS Care [Internet]. 2016 [citado em 27 ago 2019]; 29(1):73-8. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/09540121.2016.1201193. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/09540121.2016.1201193

Hugh-Jones S, Rose S, Koutsopoulou GZ, Simms-Ellis R. How is stress reduced by a workplace mindfulness intervention? A qualitative study conceptualising experiences of change. Mindfulness [Internet]. 2018 [citado em 27 ago 2019]; 9:474-87. Disponível em: https://link.springer.com/content/pdf/10.1007%2Fs12671-017-0790-2.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s12671-017-0790-2

Lipp MEN. Manual do inventário de sintomas de stress para adultos de Lipp (ISSL). 3ed. São Paulo, SP: Casa do Psicólogo; 2005. 79p.

Ferreira MC, Mendes AMB. Contexto de trabalho. In: Siqueira MMM, organizador. Medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed; 2008. p. 111-23.

Benzoni PE. Reflexões sobre o afastamento por DORT: um estudo de caso de intervenção com foco no estresse. Rev RET [Internet]. 2012 [citado em 27 ago 2019]; 5(11):1-16. Disponível em: http://www.estudosdotrabalho.org/RevistaRET11.htm

Benzoni PE. Baralho dos valores e atitudes profissionais. Novo Hamburgo: Sinopsys; 2015. 48p.

Lipp MEN, Benzoni PE. Baralho das atitudes. Novo Hamburgo: Sinopsys; 2015. 48p.

Publicado

2020-06-23