Busca por cuidado em pronto atendimento público pela população feminina

Thais Renata Ribeiro de Souza, Denize Jussara Rupolo Dall Agnol, Pollyanna de Siqueira Queirós, Helga Yuri Doi, Raiane Rocha Xavier, Daniela do Carmo Oliveira Mendes

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo descrever a busca por cuidado em um pronto atendimento de um hospital público por mulheres e a sua relação com o atendimento na atenção básica em saúde. Este é um estudo de abordagem quantitativa do tipo descritivo-transversal, desenvolvido em um município no interior do Centro-Oeste brasileiro, em 2016, com 181 mulheres. Realizou-se análise descritiva dos dados. O perfil sócio demográfico destacou-se: faixa etária entre 36 e 59 anos de idade (38,1%), casadas (49,8%), ensino médio completo (27,1%) e renda menor que dois salários mínimos (39,7%), afirmaram procurar o pronto atendimento hospitalar por manifestações clínicas relacionadas a doenças infecciosas (23,2%), não era a primeira vez que buscava por atendimento nessa instituição (84,5%) e que antes de buscar pelo pronto atendimento não esteve em outro serviço de saúde (64,1%). Dentre as que buscaram outro serviço de saúde antes de procurar o hospital, a maioria (81,6%) relatou ter buscado a unidade básica de saúde A efetiva sistematização da rede de atenção à saúde pública se faz importante para delinear práticas de cuidado mais concretas e qualificadas.


Palavras-chave


Saúde Pública; Mulheres; Acesso aos Serviços de Saúde.

Referências


Alves BM, Pitanguy J. O que é feminismo. São Paulo: Abril cultural, Brasiliense; 1985. 77p.

Kalichiman AO, Ayres JRCM. Integralidade e tecnologias de atenção à saúde: uma narrativa sobre contribuições conceituais à construção do princípio da integralidade no SUS. Cad Saúde Públ. [Internet]. 2016 [citado em 13 jul 2020]; 32(8):e00183415. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311X00183415

Ministério da Saúde (Br), Departamento de Informática do SUS. Informações de saúde. Informações epidemiológicas e morbidade. Morbidade Hospitalar do SUS (SIH/SUS): internações segundo sexo: 2020 [Internet]. [Brasília, DF: DATASUS; 2020] [citado em 16 jul 2020]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sih/cnv/nrbr.def

Ministério da Saúde (Br), Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Política de educação e desenvolvimento para o SUS: caminhos para a educação permanente em saúde - pólos de educação permanente em saúde [Internet]. Brasília: MS; 2004 [citado em 15 dez 2016]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica2_vpdf.pdf

Marques AP, Montilla DER, Almeida WS, Andrade CLT. Condições sensíveis na internação de idosos. Rev Saúde Públ. [Internet]. 2014 [citado em 15 dez 2016]; 48(5):817-26. DOI: 10.1590/S0034-8910.201404800513

Nascimento SS. Diagnóstico de enfermagem em uma unidade de pronto atendimento: utilizando os sistemas de King [Internet]. dissertação. Brasília, DF: Universidade de Brasília; 2017 [citado em 02 out 2020]. 163p. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/24785/1/2017_SimoneSouzaNascimento.pdf

Hertel VL, Guimarães KS, Cardoso AO. Perfil sócio demográfico e clínico dos usuários de um pronto socorro de uma instituição do Vale do Paraíba. Rev Ciênc Saúde [Internet]. 2017 [citado em 12 jan 2018]; 7(2): 10-15. DOI: 10.21876/rcsfmit.v7i2.662

Ministério da Saúde (Br). Pesquisa Nacional de Saúde. Portal Brasil: 71% dos brasileiros tem serviços públicos de saúde como referência [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2015 [citado em 12 jan 2018]. Disponível em: www.brasil.gov.br/saúde/2015-serviços-publicos-como-referencia

Moimaz SAS, Marques JAM, Saliba O, Garbin CAS, Zina LG, Saliba NA. Satisfação e percepção do usuário do SUS sobre o serviço público de saúde. Physis [Internet]. 2010 [citado em 20 dez 2016]; 20(4):1419-40. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73312010000400019

Ministério da Saúde (Br). Mortalidade feminina. Informações de saúde [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2013 [citado em 02 jan 2018]. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/saude/2012/10/mortalidade-feminina-no-brasil-cai-12

Lin MP, Baker O, Richardson LD, Schuur JD. Trends in emergency department visits and admission rates among US acute care hospitals. JAMA Intern Med. [Internet]. 2018 [citado em 14 jul 2020]; 178(12):1708-10. DOI: http://10.1001/ jamainternmed.2018.4725

Ministério da Saúde (Br), Secretaria de Vigilância em saúde. Vírus Zika no Brasil: a resposta do SUS. Brasília, DF: MS; 2017 [citado em 02 jan 2018]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/virus_zika_brasil_resposta_sus.pdf

Mendes EV. A construção social da atenção primaria a saúde [Internet]. Brasília, DF: CONASS; 2015 [citado em 20 dez 2016]. Disponível em: https://www.conass.org.br/biblioteca/pdf/A-CONSTR-SOC-ATEN-PRIM-SAUDE.pdf

Camargo Neto O, Andrade GKS, Karpiuck LB, Ganassin AR. A atuação do enfermeiro no sistema de acolhimento e classificação de risco nos serviços de saúde. J Health Sci. [Internet]. 2018 [citado em 13 jul 2020]; 20(4):295-302. DOI: http://dx.doi.org/10.17921/2447-8938.2018v20n4p295-302

Araújo AJS, Oliveira JF, Porto PN. Situações de vulnerabilidade programática vivenciadas por gestantes no pré-natal. Rev Enferm Atenção Saúde [Internet]. 2017 [citado em 02 jan 2018]; 6(2):93-104. DOI: 10.18554/reas.v6i2.2092

Guibu IA, Moraes JC, Guerra Junior AA, Costa EA, Acurcio FA, Costa KS, et al. Características principais dos usuários dos serviços de atenção primária à saúde no Brasil. Rev Saúde Pública [Internet]. 2017 [citado em 13 jul 2020]; 51(Supl 2):17s. DOI: https://doi.org/10.11606/S1518-8787.2017051007070

Ministério da Saúde (Br). Portaria MS/GM nº 4.279, de 30 de dezembro de 2010. Estabelece as diretrizes para a organização da rede de atenção à saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde [Internet]. Brasília, DF: MS; 2010. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2010/prt4279_30_12_2010.html

Metwally AM, Abdel-Latif GA, Mohsen A, Etreby LE, Elmosalami DM, Saleh RM, et al. Strengths of community and health facilities based interventions in improving women and adolescents’ care seeking behaviors as approaches for reducing maternal mortality and improving birth outcome among low income communities of Egypt. BMC Health Serv Res. [Internet]. 2020 [citado em 14 jul 2020]; 20:592. DOI: 10.1186/s12913-020-05412-1




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v8i0.5017

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.