APAGAMENTO DO /r/ EM FINAL DE PALAVRAS: O QUE DIZEM OS TEXTOS ESCOLARES

Josenildo Barbosa Freire, Dermeval da Hora Oliveria

Resumo


O objetivo deste trabalho é descrever e analisar como ocorre o processo de variação linguística do apagamento do segmento /r/ em final de palavras, como em: canta[r] ~ canta[Ø], em textos produzidos por alunos de uma escola pública de ensino, do interior do Rio Grande do Norte. Seguem-se os pressupostos da Teoria da Variação Linguística de cunho laboviana (LABOV, 1963; 1966, 2008 [1972]. O corpus analisado é constituído por uma amostra de oitenta e três textos, produzidos por alunos do ensino fundamental, e pertencentes à sequências textuais diferentes. Esse corpus está estratificado socialmente por sexo, nível de escolaridade, faixa etária e variáveis linguísticas. E para tratamento estatístico, após a extração das ocorrências e codificação, foi utilizado o pacote de Programa do Goldvarb X (SANKOFF, TAGLIAMONTE; SMITH, 2005). Os resultados obtidos demonstraram que o uso linguístico do fenômeno variável em análise está vinculado às pressões internas e externas. Nesta pesquisa, essa realidade sociolinguística é verificável pela escolha feita pelo Goldvarb X das variáveis: classe de palavra, nível de escolaridade dos informantes e tipologia textual, confirmando, assim, nossa hipótese central: o apagamento do /r/ em final de vocábulos está condicionado por fatores linguísticos e sociais. Sendo assim, também, chamam a atenção para que as práticas pedagógicas de produção textual sejam sensíveis à diversidade sociodialetal dos escreventes, sobretudo, porque sendo o uso linguístico variável e demonstrado por contextos diferentes, tanto linguísticos quanto sociolinguísticos, é necessário que as escolas desenvolvam atividades pedagógicas que possibilitem a aquisição e reflexão de diferentes usos da língua.

 


Palavras-chave


Variação; Apagamento do /r/; Produção Textual; Ensino de Língua Portuguesa

Texto completo:

PDF

Referências


BRESCANCINI, Cláudia. Fonologia e Variação: Recortes do Português Brasileiro. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

CALLOU, Dinah. Variação e mudança no âmbito do consonantismo. In: MARTINS, Marco Antonio; ABRAÇADO, Jussara. (Orgs.). Mapeamento Sociolinguístico do Português brasileiro. – São Paulo: Contexto, 2015.

COSTA, Geisa Borges da. Reflexões sobre o apagamento do rótico na escrita das séries iniciais. Revista Eletrônica de Divulgação Científica em Língua Portuguesa, Linguística e Literatura. Ano 01, v. I, junho de 2009.

CEDERGREN, H.; SANKOFF, D. Variable Rules: performance as a statistical reflection of competence. Language, v. 50, n. 2, 1974.

GUY, Gregory Riordan & ZILLES, Ana. Sociolinguística Quantitativa – instrumental de análise. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

HORA, Demerval da. (Org.) Estudos Sociolinguísticos: perfil de uma comunidade. Santa Maria: Pallotti, 2004.

LABOV, W. The social motivation of sound change. Word, n. 19, p. 273-307, 1963.

LABOV, W. The social stratification of English in New York. Washington, D.C.: Center for Applied Linguistics, 1966.

LABOV, W. Padrões Sociolinguísticos. Tradução de Marcos Bagno e Maria Marta Pereira Scherre, Carolina Rodrigues Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial, [1972] 2008.

LINARES, Anay Batista de Barros; PEIXOTO, Camila Rigon; MOREIRA, Tiago. Apagamento do /r/ em final de palavras: um estudo comparativo entre falantes do nível culto e do nível popular. 2008. Disponível em www.celsul.org.br/Encontros/08/apagamento_do_r.pdf em 14/01/12. Acesso em jun. 2019.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, Â. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (Org.). Gêneros textuais e ensino. 4. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

MARCHUSCHI, Luiz Antonio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 8 ed. São Paulo: Cortez, 2007.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

MARQUILHAS, Rita. Mudança Linguística. In: FARIA, Isabel et al. (org.) Introdução à linguística Geral e Portuguesa. Lisboa: Caminho, 1996.

OLIVEIRA, Marilucia Barros de. Manutenção e apagamento do (r) final de vocábulo na fala de Itaituba. Tese pela Universidade Federal do Pará, 2001. Disponível em www.ufpa.br/alipa/teses_mestrado/tese_marilucia.PDF. Acesso em 2012.

PINHEIRO, Marilene Barbosa. O apagamento do –r em formas verbais infinitivas: diferenças e semelhanças entre a escrita em meio virtual e a impressa. XVII Congreso Internacional Asociación de Lingüística y Filología de América Latina (ALFAL 2014). João Pessoa - Paraíba, Brasil, 2014.

RIBEIRO, Lorena Nascimento de Souza. O apagamento do -R – em posição de coda silábica: há influência da fala na escrita discente? (Dissertação de Mestrado). – Salvador, 2013.

SANKOFF, David; TAGLIAMONTE, Sali e SMITH, Eric. Goldvarb X. Computer program. Departamento of Linguistics, University of Toronto, Canadá, 2005.

SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim e colaboradores (Orgs). Gêneros orais e escritos na escola. Tradução de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. 3.ed. Campinas, SP; Mercado das Letras, 2004.

TAGLIAMONTE, Sali A. Analysing Sociolinguistic Variation. Cambridge: Cambridge University Press, 2006.

TOLEDO, Adilson do Rosário. A realização dos róticos em coda silábica na cidade de Paranaguá litoral do Paraná. Signum: Est. Ling., Londrina, v. 12, n.1, p.403-422, jul.2009.

TORRES, Paula Freitas de Jesus; OLIVEIRA, Josane Moreira de. O apagamento do -r no final de vocábulo em produções escolares na cidade de Feira de Santana – BA. Cadernos do CNLF, Vol. XIX, Nº 01 – Fonética, Fonologia, Ortografia e Política Linguística. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2015.

WEINREICH, Urial; LABOV, William; HERZOG, Marvin I. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2006 [1968].


Apontamentos

  • Não há apontamentos.