POSSIBILIDADES DE ATIVIDADES PARA CRIANÇAS SURDAS USUÁRIAS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS DO PERÍODO PREPARATÓRIO, DA EDUCAÇÃO INFANTIL

Saionara Figueiredo Santos, Fabiana Paula Bubniak, Daniel Henrique Scandolara

Resumo


Este artigo consiste da análise das atividades aplicadas e realizadas no período de estágio para finalização do curso de Pedagogia. A partir da visualização das atividades propostas aos alunos do Período Preparatório de uma escola particular de Palhoça – SC, utilizou-se o método de análise de conteúdo. A abordagem girou em torno da fragilidade das atividades propostas às crianças, caso essas professoras recebessem alunos surdos usuários de Libras. Atualmente, a presença de crianças surdas é uma possibilidade e, pela Lei de Diretrizes e Bases (LDB, Lei 9394/1996), as crianças precisam ser aceitas e que a escola se adapte a elas. A partir da análise das atividades e das práticas dispostas, percebeu-se que algumas alterações são necessárias, principalmente no que tange a língua e maneira fonética oral no qual todas as atividades são centradas. Neste artigo, o objetivo é mostrar que as crianças surdas são capazes de realizar atividades escolares se forem pensadas pedagogicamente para elas, e que, para aplicá-las, os professores precisam de capacitação adequada às diferenças culturais e linguísticas dos surdos. Ressalta-se a importância de classes bilíngues nas séries iniciais de crianças surdas, permitindo que obtenham aquisição de língua, letramento e alfabetização em sua língua materna.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/i&fd.v4i1.2119

Apontamentos

  • Não há apontamentos.