Estágio de doutoramento no exterior: contribuições para a formação em educação [FÍSICA]

Luana Zanotto

Resumo


Com a intenção de aperfeiçoar as atividades acadêmicas diante o contexto globalizado, os estágios de pesquisa no exterior atuam como uma importante prática social na trajetória formativa do pesquisador e do professor, buscando oferecer excelência a estes processos formativos e garantir a qualidade da investigação científica e da docência em território brasileiro. Desta forma, o presente estudo objetivou apresentar as contribuições do estágio de doutoramento para a formação acadêmico-profissional de uma estudante e analisar os conhecimentos tecidos sobre a educação e ciência no campo da educação física escolar. A análise dos dados demonstrou que o intercâmbio proporcionou a ampliação de referenciais teóricos úteis à pesquisa, além da construção de novos processos educativos face às condutas científicas e pedagógicas, de troca e apropriação de valores culturais inerente à formação humana. Além disso, provocou o alargamento no contato com aportes teórico-metodológicos e estratégias analíticas para melhoria dos processos de ensinar e aprender no trato pedagógico da educação física escolar. O intercâmbio contribuiu significativamente para o desenvolvimento humano da estudante, no âmbito profissional e pessoal. Ressalta-se a valorização das ações de internacionalização que ofereçam contributos à formação do pesquisador/professor e à ampliação das perspectivas interinstitucionais dos Programas brasileiros de Pós-Graduação.


Palavras-chave


Formação; Estágio no exterior; Internacionalização; Educação Física

Texto completo:

PDF

Referências


ALARCÃO, I. (Org.). Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão (Coleção CIDInE). Porto, Portugal: Porto Editora, 1996.

BOGDAN, R. C., BIKLEN, S. Notas de campo. Coleção Ciências da Educação, Porto Editora. In: Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos, 1994.

BORGES, C. M. F. O professor da educação básica e seus saberes profissionais. JM editora, 2004.

CANDAU, V. M. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, v. 13, n. 37, jan./abr., p.45-185, 2008.

CARREIRO DA COSTA, F. From the curriculum as text to the curriculum students in physical education. In: Ket Nyit Chin e Hank Jwo (Eds). The Exchange and Development of Sport Culture in East and West, AIESEP Taiwan, 2001, p. 30-49. Taipé: National Taiwan Normal University.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Tradução Luciana de Oliveira da Rocha. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

CRUM, B. Funções e competências dos professores de Educação Física: consequências para a formação inicial. Boletim da Sociedade Portuguesa de Educação Física, v. 23, p. 61-76, 2002.

FOLLE, A.; NASCIMENTO, J. V. de. Estudos sobre desenvolvimento profissional: da escolha à ruptura da carreira docente. R. da Educação Física/UEM, Maringá, n. 19, v. 4, p. 605-618, 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2019.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. São Paulo/Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. R. N.; SHOR, I. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas S.A, 2008.

GOMES, R. A análise de dados em pesquisa qualitativa. In: GOMES, R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade, 1994, p. 67-80.

JANUÁRIO, C.; ANACLETO, F.; HENRIQUE, J. Investigação Educacional: o paradigma ‘pensamento do professor’. Lecturas educación física y deportes, v. 14, p. 1-5, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 jun. 2019.

KASHIWAGI, H. M. Contribuições do estágio de doutorado sanduíche na formação acadêmica: desafios e conquistas. Revista Geografar, Curitiba, v. 6, n. 2, p. 217-231, dez./2011. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2019.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2 ed. Rio de Janeiro: GEN, 2013.

MARRARA, T. Internacionalização da Pós-Graduação: objetivos, formas e avaliação. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 4, n. 8, p. 245-262, dez. 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2019.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

MINAYO, M. C. S. de; COSTA, A. P. Fundamentos Teóricos das Técnicas de Investigação Qualitativa. Revista Lusófona de Educação, n. 40, p. 139-153, 2018. Disponível em: . Acesso: 15 set. 2018.

MARCON, D. Construção do conhecimento pedagógico do conteúdo dos futuros professores de Educação Física. 2011. 574 f. Tese (Doutorado em Ciências do Desporto) — Faculdade de Desporto, Universidade do Porto, Porto, 2011.

MOROSINI, M. C. Internacionalização na produção de conhecimento em IES brasileiras: cooperação internacional tradicional e cooperação internacional horizontal. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 27, n. 01, p. 93-112, abr. 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2019.

NEGRINI, A. Instrumentos de coleta de informações na pesquisa qualitativa. In: MOLINA NETO, V; TRIVIÑOS, A. N. S. A pesquisa qualitativa em Educação Física. Porto Alegre: UFRGS/SULINA, 1999, pp. 61-93.

OLIVEIRA, M. W.; SILVA, P. B. G.; GONÇALVES JUNIOR, L.; MONTRONE, A. V. G.; JOLY, I. Z. L. Processos educativos em práticas sociais: reflexões teóricas e metodológicas sobre pesquisa educacional em espaços sociais. Reunião Anual da ANPEd, 32., Caxambu. ANAIS... Caxambu, 2009. p. 1-17.

SHULMAN, L. S. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, v. 15, n. 2, p. 4-14, 1986. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2019.

SHULMAN, L. S. Knowledge and teaching: foundations of the new reform. Harvard Educational Review, v. 57, n. 1, p. 1-27, 1987. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2019.

SILVA, P. B. G. Aprender a conduzir a própria vida: dimensões do educar-se entre afrodescendentes e africanos. In: _____ BARBORA, L. M. de A.; SILVA, P. G. e S., Silvério, V. R. De preto a afro-descendente: trajetos de pesquisa sobre relações ético-raciais no Brasil. São Carlos: EDUFSCar, 181-197. 2004

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O Trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Trad. João Batista Kreuch, 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

TARDIF, M.; RAYMOND, D. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & Sociedade, ano XXI, n. 73, p. 209-244, dez., 2000. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2019.




DOI: https://doi.org/10.18554/ifd.v7i2.4253

Apontamentos

  • Não há apontamentos.