Escola com grade: desafios para a formação e a prática docente no sistema prisional de ensino

Daniela Carla Monteiro, Rosilene Lima da Silva

Resumo


O presente artigo trata-se de um estudo descritivo, uma vez que objetiva apresentar um relato de experiência vivenciada na docência em uma escola dentro do sistema prisional no sul de Minas Gerais. A pesquisa foi desenvolvida durante o curso de pós-graduação em Educação Profissional Inclusiva, do Instituto Federal do Triângulo Mineiro – IFTM. A escola na qual as atividades foram realizadas atende 445 estudantes, ofertando a Educação Básica na modalidade da Educação de Jovens e Adultos. O âmbito prisional é hermético, com peculiaridades intrínsecas e desafios que vão além dos anseios de ensino-aprendizagem, impondo ao cotidiano dos professores inúmeras exigências que limitam a sua autonomia e extrapolam todo o conhecimento adquirido dentro das universidades. Portanto, para um exercício docente concreto e permanente, fazem-se necessários saberes, competências e habilidades e, nesse sentido, não basta apenas designar o professor para tal função. Torna-se imprescindível acompanhá-lo, oferecendo assistência e recursos de formação continuada, para que seus princípios morais estejam alinhados com os princípios da ressocialização, estimulando a práxis do docente e, sobretudo, fortalecendo suas condições emocionais para atuar nesse universo peculiar e distinto. A ressocialização apresenta-se como uma colossal adversidade dentro do sistema prisional, uma vez que, diante de inúmeras dificuldades, é fundamental que se oportunize uma educação que coadjuve a recuperação da autoestima e reabilitação do preso junto à sociedade.


Palavras-chave


Educação prisional; Prática docente; Formação continuada.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, Rafael D. de. A realidade atual do sistema penitenciário brasileiro. Revista CEJ, Brasília, Ano XI, n. 39, p. 74-78, out./dez. 2007.

ESCOLA ESTADUAL CONCEIÇÃO EVARISTO. PPP – Projeto Político Pedagógico. 2019.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: . Acesso em: 6 jan. 2020.

BRASIL. Decreto nº 7.626, de 24 de novembro de 2011. Institui o Plano Estratégico de Educação no âmbito do Sistema Prisional. Brasília: Senado Federal, 2011. Disponível em: . Acesso em: 2 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 7.210, de 11 de julho de 1984. Institui A Lei de Execução Penal. Brasília: Senado Federal, 1984. Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. LDB – Leis de Diretrizes e Bases. 1996. Disponível em: . Acesso em: 6 jan. 2020.

BRASIL. Resolução nº 3, de 11 de março de 2009. Dispõe sobre as Diretrizes Nacionais para a Oferta de Educação nos estabelecimentos penais. [S.l.]. Disponível em: . Acesso em: 28 dez. 2019.

MARCONDES, Martha A. S.; MARCONDES, P. A educação nas prisões. 2008. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2020.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Constituição (2010). Resolução nº 2, de 19 de maio de 2010. Dispõe sobre as Diretrizes Nacionais para a oferta de educação para jovens e adultos em situação de privação de liberdade nos estabelecimentos penais. Brasília, 19 maio 2010. Disponível em: . Acesso em: 7 jan. 2020.

NASCIMENTO, Maria I. M.; SBARDELOTTO, D. K. A escola unitária: educação e trabalho em Gramsci. Revista Histedbr On-line, Campinas, v. 5, n. 30, p. 275-291, jun. 2008. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

PRADO, Alice S. do. Educação nas prisões: desafios e possibilidades do ensino praticado nas unidades prisionais de Manaus. 2015. 107 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2015. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2020.

SEGOV - Secretaria de Estado de Governo de Minas Gerais. Agência Minas. Escolas nas unidades prisionais voltam às aulas. Belo Horizonte, 2019. Disponível em: . Acesso em: 2 fev. 2020.




DOI: https://doi.org/10.18554/ifd.v7i3.4812

Apontamentos

  • Não há apontamentos.