Incidência da supervisão pedagógica na formação contínua de professores das escolas primárias do Sumbe, Cuanza Sul Angola

Santos Candeeiro Germano

Resumo


Este artigo apresenta uma análise da incidência da supervisão pedagógica na formação contínua de professores das escolas primárias do Sumbee apresenta o objetivo contribuir no aperfeiçoamento profissional dos supervisores pedagógicos para a formação contínua dos professores das escolas primárias municipais, com vista a melhoria da qualidade do processo de ensino-aprendizagem. O foco recaiu sobre o papel da supervisão, bem como sua relação com a formação contínua dos professores como sujeitos e intervenientes do processo, e colocados  de lado diferente ao do supervisor. Outros benefícios  da interação dos dois profissionais referenciados são a formação do aluno,  a qualidade da educação, e   consequentemente, a promoção de uma sociedade mais justa. Foi possível notar  que os supervisores pedagógicos no exercício das suas funções estão focados no cumprimento das normas do ministério, em especial  a parte das escolas, situação que tem pouca relação com  as práticas pedagógicas desenvolvidas pelos professores. Percebeu-se um acompanhamento e uma formação continuada dos professores das escolas primárias do município, sobretudo das zonas rurais insatisfatório, o que nos levou a seguinte questão, como ponto departida desta investigação: qual é a incidência da supervisão pedagógica no acompanhamento e na formação continuada dos professores das escolas primárias do Sumbe? Para sua materialização foram utilizados métodos de nível do conhecimento teórico e empírico, assim como matemático e estatístico, apoiando-se pelo paradigma qualitativo. Foram realizadas entrevistas com Diretor Municipal da Educação, supervisores municipais, gestores de 07 escolas do município de Sumbe e professores das escolas selecionadas. Também foram analisados documentos orientadores da supervisão e sobre a superação de professores em Angola. Tendo em conta que este estudo não é o único nesta área tivemos como base teórica as investigações de Alarcão e Canha (2013), Manuel e Buza (n.d), Tafoi (2011), Dias (2005), Alves (2013), Kríapp, (Org.), (1980)  assim como a Lei nº 17/16,(2016), PMFPA[1], (2008), Lucau et al. (2011).A triangulação dos dados recolhidos das fontes serviu para fazer uma interação deles com vista a encontrar os pontos fortes e fracos que em muitos casos têm servido de pontos de estrangulamento. 


[1] Plano Mestre de Formação de Professores em Angola


Palavras-chave


Ensino primário; formação contínua; professores; supervisor pedagógico.

Texto completo:

PDF

Referências


ALARCÃO, Isabel & CANHA, Bernardo. Supervisão e colaboração: uma relação para o desenvolvimento. Porto-Portugal: Porto Editora. 2013.

ALVES, Andreia Patrícia Folgado.A supervisão pedagógica e a reflexibidade docente.Dissertação de Mestrado em Supervisão Pedagógica. Covilhã. 2013.

ANGOLA. ASSEMBLEIA NACIONAL. Lei nº 17, de 07 de Outubro de 2016. Lei de Bases do Sistema de Educação.Diário da República, I Série, 170, p. 18. 2016.

BIELINSKI, Consuelo Pontes et al. A natureza da supervisão. Situação na área pedagógica. Tipos ou modalidades da supervisão. Rio de Janeiro-Brazil. 1973.

CARLOS, Jociane Aparecida & LODI, Ivana Guimarães. A prática pedagógica em supervisão escolar: a importância da inter-relação entre o supervisor pedagógico e o corpo docente. 2012.

CARVALHO, José Eduardo. Metodologia do Trabalho Científico. Lisboa-Portugal: Escolar Editora. 2009.

DIAS, Ediomara da Silva. A participação do supervisor escolar frente à gestão democrática para uma educação de qualidade: desafios atuais. Santa Maria, RS, Brasil. UFSM/CE/NAEES. 2005.

ESTEVILL, Roberto F. Valledor & ROSALLES, Margarita P. Ceballo. Metodología de la Investigacion Educaional. Habana-Cuba. Organo de Editor de Educacion Cubana. 2006.

GASPAR, Maria Ivone (org.). Supervisão em contextos de Educação e Formação-concepçoes, práticas e possibilidades. Gaia- Portugal. Fundação Manuel Leão. 2019.

GASPAR, Paulo & DIOGO, Fernando. Sociologia da Educação e Administração Escolar. Portugal. Plural Editores. 2010.

LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, Adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente. Brasil. Cortez Editora. 1998.

MARCONI, Maria de Andrade & LAKATOS, Eva Maria Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo-Brazil: Atlas S.A. 2003.

MED. Plano Mestre de Formação de Professores em Angola. INFOQE. Luanda –Angola. 2007.

MORGADO, José. Qualidade na educação- Um desafio para os Professores -Lisboa Portugal: Presença. 2014.

PRODANOV, Cristiano Cleber & FREITAS, Ernani Cesar. Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Académico. 2ª edição. RS-Brazil: Editora Feevale. 2013.

RANGEL, Mary & FREIRE, Wendel. (org.). Supervisão escolar: avanços de conceitos e processos. Rio de Janeiro-Brazil: Wak Editora. 2011.

ROBERTO, H. Sampiori. Metodología de la Investigación. Colômbia. 2007.

ROLON, Renata Beatriz B. et al. Como escrever a pesquisa: normas técnicas, metodologia e guia do trabalho académico. Manaus-Brazil: Editora UEA. 2018.

SEVERINO, Maria Amália Fazenda. Supervisão em Educação de Infância: Supervisores e Estilos de Supervisão. Penafiel- Portugal: Editorial Novembro. 2007.

SILVA, Edna Lucia & MENEZES, Estera Muszkat. Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação. Florianópolis-Brasil. 2005.

SILVESTRE, Paula Alexandre de Bessa. Supervisão Pedagógica na dinâmica da prática reflexiva e os novos modelos de aprendizagem. Dissertação de Mestrado em Supervisão Pedagógica. Universidade Portucalense. Porto-Portugal. 2011.

VENTURA, José Fernando Boa. Como pensar a formação dos professores em Angola. Angola: Proget Edizioni. 2013.




DOI: https://doi.org/10.18554/ifd.v7i2.4823

Apontamentos

  • Não há apontamentos.