O modo de organização do discurso argumentativo e o emprego de articuladores textuais em artigo de opinião

Deymika de Carvalho Florêncio, José Antônio Vieira

Resumo


Neste artigo, buscamos responder como o uso do modo de organização do discurso argumentativo e o emprego de articuladores textuais está relacionado com as estratégias da construção argumentativa e da articulação textual de artigo de opinião?Para isso, realizamos uma análise linguística-discursiva do artigo de opinião Aprendimentos Aterrados à Beira-Mar, um dos vencedores na Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro (OLPEF), Edição 2019, a fim de identificar o uso desses mecanismos e a contribuição deles para a construção do texto. Fundamentamos-nos na proposta de Charaudeau (2016, p. 201), sobre o modo de organização dodiscurso argumentativo, na perspectiva de articuladores textuais de Koch (1995, 2004) e nas orientações contidas no Caderno do Professor: Pontos de vista, sobre a produção do gênero artigo de opinião na OLPEF (RANGEL et al., 2019). O artigo analisado segue o modo de organização do discurso argumentativo. Possui um planejamento que apresenta tese, argumentos e conclusão. Para defender sua posição, quem escreve, faz uso de procedimentos discursivos, como o de acumulação, definição, comparação e citação. Isto além de também se demarcar a posição de autojustificativa de estatuto e de sujeito engajado. Ainda são empregados articuladores textuais como os de conteúdo proposicional, discursivos-argumentativos e metadiscursivos que além de estabelecerem a conexão entre as partes do texto, orientam a construção interacional dos sentidos dos enunciados e consequentemente estabelecem a coerência no texto. Por fim, tais procedimentos observados se correlacionam com as orientações de construção argumentativa e organização textual do caderno da OLPEF.


Palavras-chave


Modo de Organização do Discurso Argumentativo; Articuladores Textuais; Artigo de opinião.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino fundamental – Língua Portuguesa. Brasília: MEC, 1998.

CHARAUDEAU, Patrick. Linguagem e discurso: modos de organização. Coord. Da

trad. CORREA, Ângela M. S.; MACHADO, Ida Lúcia. São Paulo: Contexto, 2016.

ESCREVENDO O FUTURO. Olimpíadas de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro - O lugar onde Vivo (Coletânea de textos finalistas). São Paulo: Cempec, 2019. Disponível em: . Acesso em: 5jan 2019.

KOCH, I. G. V. A articulação entre orações no texto. Cadernos de Estudos Linguísticos,

Campinas, n. 28, p. 9-18, jan./jun.1995.

_______. Introdução à linguística textual: trajetória e grandes temas. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

MOITA LOPES, Luiz Paulo de. Pesquisa interpretativista em Linguística Aplicada: A linguagem como condição e solução. DELTA. V. 10, n.2, 1994. p. 321-338.

PRESTES, M. L. M. A pesquisa e a construção do conhecimento científico: do planejamento aos textos, da escola à academia. 4 ed. São Paulo: Rêspel, 2012.

RANGEL, E.; GAGLIARDI, E.; AMARAL, H. Pontos de vista. Caderno do professor: orientações para produção de textos. 6 ed. São Paulo: Cenpec - Coleção da Olimpíada, 2019. Disponível em: . Acesso em: 03 jan 2019.




DOI: https://doi.org/10.18554/ifd.v7i2.4824

Apontamentos

  • Não há apontamentos.