Integrando o jogo digital trace effects no processo de aprendizagem de inglês: uma pesquisa narrativa.

Alessandra Gomes de Lima Alves Santana, Valeska Virgínia Soares Souza

Resumo


Esta pesquisa teve por objetivo proporcionar a reflexão sobre experiências educativas inovadoras na aprendizagem de línguas, com base no trabalho com o jogo digital Trace Effects. Foram ministradas aulas presenciais na oficina intitulada “Gamifique sua aprendizagem de inglês com Trace Effects”. Utilizando-se da abordagem teórico-metodológica da Pesquisa Narrativa, foi realizado o registro das experiências por meio do material produzido para a oficina, de fotografias e de notas de campo. A partir da análise desses registros, foram redigidos os textos de campo, que possibilitaram reflexões e discussões sobre a prática educativa realizada. A experiência dos participantes com o jogo permitiu pensar novas possibilidades de aplicação de tecnologia digital no contexto de ensino e aprendizagem da língua inglesa, além de contribuir efetivamente para o desenvolvimento das habilidades orais e de interação dos alunos. Como composições de sentido, foram levantados quatro temas, a saber: Abertura às novas experiências: o processo de planejamento; Lidando com a questão da heterogeneidade; O jogo como catalisador da aprendizagem na oficina; e Para além do jogo: explorando a oralidade. Conclui-se que a oficina oferecida com a utilização do jogo Trace Effects contribuiu para o desenvolvimento das quatro habilidades linguísticas e que a complementação do uso do jogo, a partir de outras tecnologias digitais e de propostas de interação colaborou para a habilidade de comunicação dos participantes.

Palavras-chave


Aprendizagem de inglês; Jogo digital; Pesquisa narrativa.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, H. P. B. Planejamento de aula e o uso de Tecnologias da Informação e Comunicação: percepção de docentes do Ensino Médio. Doutorado em Educação. São Paulo – PUC-SP, 2012. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/9688. Acesso em 21 maio 2020.

BRAGA, D. B. Práticas Letradas Digitais: Considerações sobre Possibilidades de Ensino e de Reflexão Social Crítica. In: ARAÚJO, J.C. (Org.). Internet e Ensino: novos gêneros, outros desafios. Rio de Janeiro: Lucerna, p. 181-195, 2007.

BRAGA, J. C. F.; SOUZA, V. V. S. As condições necessárias para a emergência complexa em jogos: um estudo sobre oportunidades de aprendizagem nessas práticas sociais. ReVEL, v. 14, n. 27, p. 304-330, 2016. Disponível em: encurtador.com.br/ghJUW. Acesso em 19 maio 2020.

CLANDININ, J. D. (Ed.). Handbook of narrative inquiry: mapping a methodology. Thousand Oaks; London; New Delhi: Sage/University of Alberta, 2007.

CLANDININ, D. J. Engaging in narrative inquiry. New York: Routledge, 2013.

CLANDININ, D. J.; CONNELLY, M. Narrative Inquiry. Complementary methods for research in education. 1st edition. American Educational Research Associates, 2000.

CLANDININ, D. J.; CONNELLY, M. Pesquisa Narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. 2 ed. rev. Tradução: GPNEP: Grupo de pesquisa narrativa e educação de professores. ILEEL/UFU. Uberlândia: EDUFU, 2015.

DEWEY, J. Experience and Education. New York: Kappa Delta Pi, 1938.

ELY, M.; VINZ, R.; DOWNING, M.; ANZUL, M. On writing qualitative research: living by words. London, Reino Unido e Filadélfia, EUA: Routledge Falmer, [1997] 2001.

GEE, J. P. What video games have to teach us about learning and literacy. New York: Palgrave/Macmillan, 2003. Disponível em: encurtador.com.br/iq158. Acesso em 22 maio 2020.

GEE, J. P. Digital media and learning: A prospective retrospective. 2013a. Disponível em: http://jamespaulgee.com/pdfs/Digital%20Media%20and%20Learning.pdf. Acesso em 23 maio 2020.

GEE, J. P. Principles on Gaming. 2013b. (23m38s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4aQAgAjTozk&t=21s. Acesso em 22 maio 2020.

GOMES, A. F.; REIS, S. C. dos. Jogos digitais e o ensino de línguas: orientações práticas para a produção de material didático digital complementar. The Especialist, v. 40, n. 2, dez. 2019. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/esp/article/view/38644/30667. Acesso em: 23 maio 2020.

GONZALES-LLORET, M.; ORTEGA, M.D. Jogando individualmente ou em pares? Práticas de jogo para iniciantes de L2. PERSPECTIVA. REVISTA DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO, Florianópolis, v. 38, n. 2, p. 01- 21, abr./jun. 2020.

JONES, A. Responsive teaching: a narrative analysis of three teachers' process and practice. Issues in Teacher Education, v. 28, n. 1, p. 21-35, 2019. Disponível em: http://www.itejournal.org/issues/spring-2019/Spring_19_TOC.html. Acesso em 05 maio 2020.

KUHN, J. Meaningful play – Making professional development fun. TESL-EJ, v.18. n.4, p.1-8, 2015. Disponível em: http://tesl-ej.org/pdf/ej72/int.pdf. Acesso em 20 maio 2020.

LEFFA, V. J. Gamificação no ensino de línguas. PERSPECTIVA. REVISTA DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO, Florianópolis, v. 38, n. 2, p. 01- 14, abr./jun. 2020.

LEFFA, V. J.; BOHN, H. I.; DAMASCENO, V. D.; MARZARI, G. Q. Quando jogar é aprender: o videogame na sala de aula. Rev. Est. Ling, Belo Horizonte, v. 20, n. 1, p. 209- 230, jan./jun., 2012. Disponível em: encurtador.com.br/eosF5. Acesso em 20 maio 2020.

MAÇADA, D. L.; SATO, L. S.; MARASCHIN, C. Educação sem distâncias: uma experiência de convivência em ambiente digital de aprendizagem. Revista Brasileira de Informática na Educação, Florianópolis, v. 9, set., 2001,p. 20-30.

MENDONÇA, S.; PEREIRA, F. (2018). Experiência e Educação no pensamento educacional de John Dewey: teoria e prática em análise. PROMETEUS, ano 11, n. 25, jan-maio de 2018. Disponível em: encurtador.com.br/hjHS9. Acesso em 20 dez. 2019.

RODRIGUES, J. J. C. Jogos digitais : uma experiência de aprendizagem de língua inglesa em uma escola pública - 2017. 129 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.

SHAFFER, D. W.; SQUIRE, K. R.; HALVERSON., R.; GEE, J. P. Games online and the future of learning. Phi Delta Kappan, v. 87, n. 2, p. 104-111, 2005.

SILVA, S.; CALVO, L. C. S. Oralidade em Língua Inglesa na escola pública: desafio para ser discutido e enfrentado. In: PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Superintendência de Educação. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor. Cadernos PDE, Curitiba: SEED/PR., 2013. v.1. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2013/2013_uem_lem_artigo_salete_da_silva.pdf . Acesso em 04 jun. 2020.

SOUZA, V. V. S. Jogo limpo na construção do currículo de aprendizagem de inglês? PERSPECTIVA. REVISTA DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO, Florianópolis, v. 38, n. 2, p. 01- 22, abr./jun. 2020.

SOUZA, V. V. S. Processo de ensino e aprendizagem de línguas em diferentes contextos: histórias de inovação e de experiências educativas. Projeto de pesquisa. Instituto de Letras e Linguística da Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2018.

SOUZA, V. V. S.; OLIVEIRA, M. A.; SANTOS, V. J. V. F. Jogos Digitais e Possibilidades para Aprender a Língua Inglesa no Ensino Médio. Travessias Interativas, v.8, n.15, 2018. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/Travessias/article/view/8886/7064. Acesso em: 23 maio 2020.

SOUZA, V. V. S.; REIS, I. A. R. dos; OLIVEIRA, S. A. S. Playing trace effects with brazilian high school students: complexity and games. Revista Desempenho, v.1, n.23, 2015. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rd/article/view/9473. acesso em 23 maio 2020.

SVENSSON, A. The Challenge of Teaching English in a Heterogeneous Classroom. Educare, v. 17, n.2, jan 2017. p.56-80. Disponível em: https://ojs.mau.se/index.php/educare/article/view/351/337. Acesso em 14 abr. 2020.

TOMLINSON, C. A. The Differentiated Classroom: Responding to the Needs of All Learners. ASDC, Alexandria: Pearson, 2014.




DOI: https://doi.org/10.18554/ifd.v7i4.4848

Apontamentos

  • Não há apontamentos.