Avaliação do curso de Pedagogia da Universidade Federal de Ouro Preto: a ótica dos egressos

Nilzilene Imaculada Lucindo, Célia Maria Fernandes Nunes, Regina Magna Bonifácio de Araújo

Resumo


O trabalho apresenta um recorte da pesquisa que teve como objetivo investigar a função profissional que os egressos do curso de Pedagogia formados após a implantação do novo currículo estabelecido pela Resolução CNE/CP nº 1/2006 estão exercendo. Este texto avalia a formação oferecida no curso de Pedagogia da UFOP sob a ótica de seus egressos. A pesquisa de abordagem qualitativa fez uso da análise documental; da pesquisa bibliográfica e da pesquisa de campo que utilizou um questionário on-line para coletar os dados dos 145 egressos que se formaram entre 2012 e 2015. Os dados coletados foram tratados segundo a análise de conteúdo e a partir das respostas de 70 egressos identificamos que o conceito “bom” se sobressai ao avaliarem o projeto político pedagógico, o currículo e a condição material da instituição, mas há lacunas relativas à formação para atuar na Educação Infantil e na Gestão. Na visão de 62,8% a formação inicial os preparou para o mercado de trabalho e para melhorar o curso de Pedagogia, os egressos consideraram que se faz necessário rever o currículo.

PALAVRAS-CHAVE: Curso de Pedagogia. Egressos. Avaliação.


Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2011.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. (1994). Investigação Qualitativa em Educação – uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora.1994.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 1/2006 de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Diário Oficial da União, Brasília, 16 maio 2006, Seção 1, p. 11. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf>.

CAMBI, F. História da Pedagogia. São Paulo: Editora UNESP. 1999.

CRUZ, G. B. da. Curso de Pedagogia no Brasil: história e formação com pedagogos primordiais. Rio de Janeiro: Wak Editora. 2011.

GATTI, B. A. (Coord.); BARRETTO, E. S. de S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2013.

GATTI, B. A.; NUNES, M. M. R. (orgs.) Formação de professores para o Ensino Fundamental: estudo de currículos das licenciaturas em Pedagogia, Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Biológicas. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, DPE. Disponível em: < https://www.google.com.br/?gws_rd=ssl#q=Forma%C3%A7%C3%A3o

+de+professores+para+o+Ensino+Fundamental:+estudo+de+curr%C3%ADculos+das+licenciaturas+em+Pedagogia,+L%C3%ADngua+Portuguesa,+Matem%C3%A1tica+e+Ci%C3%AAncias+Biol%C3%B3gicas>.

LIBÂNEO, J. C. O ensino da Didática, das metodologias específicas e dos conteúdos específicos do ensino fundamental nos currículos dos cursos de Pedagogia. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 91, n. 229, p. 562-583, set./dez. Recuperado de http://rbep.inep.gov.br/index.php/rbep/article/view/630.

LORDELO, J. A. C.; DAZZANI, M. V. M. (orgs.) Estudos com estudantes egressos: concepções e possibilidades metodológicas na avaliação de programas. Salvador: EDUFBA, 2012.

LOUSADA, A. C. Z.; MARTINS, G. de A. Egressos como fonte de informação à gestão dos cursos de Ciências Contábeis. R. Contab. Fin. – USP, São Paulo, n. 37, p. 73-84, Jan./Abr.2005.

LÜDKE, M. A complexa relação entre o professor e a pesquisa. In: ANDRÉ, M. E. D. A. (Org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. 12. ed. Campinas: Papirus, 2012. cap. 2, p. 27-54.

MARIN, A. J. O curso de Pedagogia em foco: fragilidades constantes e urgências da formação. In: Anais do Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino, XVII, 2014, Fortaleza. Disponível em: . Acesso em: 24 jan. 2015.

MOREIRA, M. L.; VELHO, L. Trajetória de egressos da Pós-Graduação do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais: uma ferramenta para avaliação. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 17, n. 1, p. 257-288, mar. 2012.

PAUL, Jean-Jacques. (2015). Acompanhamento de egressos do Ensino Superior: experiência brasileira e internacional. Caderno CRH. Salvador, v. 26, nº 74, p. 309-320, Mai-Ago.

PIMENTA, S. G. A formação de professores para a Educação Infantil e para os anos iniciais do Ensino Fundamental: análise do currículo dos cursos de Pedagogia de instituições públicas e privadas do Estado de São Paulo. In: Anais do Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino, XVII, 2014, Fortaleza. Disponível em: http://www.uece.br/eventos/xviiendipe/>. Acesso em: 24 jan. 2015.

SENKEVICS, A. S. Cor ou raça nas instituições federais de ensino superior: explorando propostas para o monitoramento da Lei de Cotas. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2017. Disponível em:

cument/id/689605>. Acesso em 30 abr. 2017.

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. 23. ed. São Paulo: Cortez. 2007

VARGAS, M. de L. F. Formação e inserção profissional do pedagogo: o panorama histórico desta carreira e os egressos do curso de Pedagogia presencial da Faculdade de Educação da UFMG. 2016. 297 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. 2016. Disponível em: . Acesso em 15 fev. 2017.

VIEIRA, J. de A. Qualidade da formação inicial de pedagogos: indicadores na visão de egressos. 2010. 212 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2010. Disponível em: < http://repositorio.pucrs.br/dspace/bitstream/10923/2803/1/000430601-Texto%2BCompleto-0.pdf>. Acesso em 14 abr. 2017.




DOI: https://doi.org/10.18554/rt.v0i0.2546

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Triângulo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

A Revista Triângulo é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto. 

Triangulo Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Triangulo es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.