ALFABETIZAÇÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: UM ESTUDO SOBRE ESTRATÉGIAS DE ENSINO UTILIZADAS NO ENSINO REGULAR.

Mirian Célia Castellain Guebert

Resumo


Com o advento do processo inclusivo na educação, o qual prevê a escolarização da pessoa independe de suas características individuais. O estudo tem por finalidade identificar quais estratégias de ensino são desenvolvidas por professores alfabetizadores para que alunos com diagnósticos de deficiência intelectual aprendam a ler e escrever.   Este trabalho tem como objetivo buscar identificar quais são as estratégias desenvolvidas por professores do Ensino Fundamental no ensino regular. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que para a coleta dos dados foi utilizado a observação direta em sala de aula do terceiro ano do ensino fundamental de uma escola reconhecida pela qualidade expressa em seus processos pedagógicos, sendo a instituição privada e localizada na capital do estado do Paraná.  As análises dos dados aferiram dois eixos: a adaptação das atividades com relação ao estudante com deficiência intelectual; a relação do conteúdo/forma trabalhados e o rendimento do aluno. Neste trabalho, foram tecidas discussões a luz das teorias de Bernstein (1988), Ferreiro (1992) e Vigotski (1994). Os resultados identificam que as práticas desenvolvidas pelo professor observado não atendem às diferentes formas de aprendizagens dos discentes, que implica num déficit nos processos de construção da leitura e escrita que comprometem a escolarização dos aprendizes, especialmente do aluno com deficiência intelectual.  

PALAVRAS-CHAVE: Práticas Docentes. Alfabetização. Deficientes intelectuais. 



Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n. 9394/1996, que institui as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC/SEESP, 1996.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Parâmetros curriculares nacionais: adaptações curriculares. Brasília: MEC/SEESP, 1998.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Programa de capacitação de recursos humanos: deficiência intelectual. Brasília: MEC/SEESP, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Deficiência intelectual - (Atendimento educacional especializado). Brasília: MEC/SEESP, 2007.

BARDIN, Laurence. Análise do conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1994.

CARVALHO, Rosita Edler. Removendo barreira para aprendizagem educação inclusiva. Porto Alegre: Mediação, 2000.

CARVALHO, Giselda Benedita Jordão De. O diagnóstico da deficiência intelectual no contexto de inclusão: uma proposta de avaliação psicopedagógica contextualizada e interventiva. Brasília: UnB, Dissertação de Mestrado 2001.

CARVALHO, Rosita Edler. Removendo barreira para aprendizagem educação inclusiva. Porto Alegre: Mediação, 2004.

CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS. Declaração de Salamanca, e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Salamanca: UNESCO/Ministerio de Educación y de la Ciencia, 1994.

FERREIRO, Emília. Reflexões sobre alfabetização. 20ª Ed. São Paulo: Cortez, 1995.

GONZALEZ, Eugênio. Necessidades educacionais específicas. Porto Alegre: Artmed, 2008.

PACHECO, José. Caminhos para inclusão: guia para o aprimoramento da equipe escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 2007.

SOARES, Magda. Linguagem e escola: uma perspectiva social. 17ª Ed. São Paulo: Ática, 2001.

__________Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

TFOUNI, Leda Verdani. Adultos não alfabetizados: o avesso do avesso. Campinas: Pontes, 1988.

VIGOTSKI, Lev Semyonovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 5ª Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1994.




DOI: https://doi.org/10.18554/rt.v0i0.2550

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Triângulo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

A Revista Triângulo é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto. 

Triangulo Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Triangulo es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.