A atualidade da educação politécnica como contraponto à reforma do Ensino Médio

Marco Antônio Oliveira Gomes, Gedeli Ferrazzo, Cláudia Barbosa Lobo

Resumo


Diante do avanço das reformas liberais e de suas bandeiras para educação, abordar o tema da educação politécnica é estratégico. É fundamental resgatar o fato de que uma formação integral contempla a formação intelectual, corporal e tecnológica. Cabe, portanto, identificar e estabelecer diferenças entre o que se convencionou chamar de educação integral de forma mistificada e seu verdadeiro significado. Dessa forma, o presente trabalho se propõe a analisar a atualidade da educação politécnica como contraponto à reforma do ensino médio imposta por meio da Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Para tanto, partimos do princípio que do ponto de vista da emancipação do trabalho frente ao capital, será necessária uma formação onminaletal, conceito de fundamental importância para a educação em Marx. Por isso, acreditamos que a leitura de Marx; Engels (2011), Pistrak, (2000), Alves (2006), Manacorda, (1991), entre outros, possa servir de suporte para uma análise sobre os significados das reformas em andamento, buscando apresentar alternativas que há muito são discutidas no âmbito de autores identificados com a educação politécnica.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Medida Provisória nº 746, de 22 de setembro de 2016. Institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e a Lei nº 11.494 de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 mar 2017.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nos 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e o Decreto-Lei no 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei no 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2017. Disponível em: . Acesso em: 14 abr 2017.

BRASIL. Portaria N° 1.144, de 10 de outubro de 2016. Institui o Programa de Fomento à Implementação de Escolas em Tempo Integral, criada pela Medida Provisória no 746, de 22 de setembro de 2016. Brasília, MEC, 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 abr 2017.

SAVIANI, Dermeval. Educação socialista, pedagogia histórico-crítica e os desafios da sociedade de classes. In: José Claudinei Lombardi; Dermeval Saviani (Orgs.). Marxismo e educação: debates contemporâneos. Campinas: Autores Associados: Histedbr, 2005.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A produtividade da escola improdutiva. 9.ed. São Paulo: Cortez, 2010.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. A política de educação profissional no Governo Lula: um percurso histórico controvertido. Educação e Sociedade. v.26, n.92, Campinas, 2005.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETO, Elba Siqueira de Sá. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009.

LEMME, Paschoal. 1904-1997 Memórias de um educador. Brasília: Inep, 2004.

LINS, Ana M. M. Educação Moderna: contradições entre o projeto civilizatório burguês e as lições do capital. Campinas: Autores Associados, 2003.

MANACORDA, M. A. História da Educação: da antiguidade aos novos dias. 10.ed. São Paulo: Cortez, 2002.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Textos sobre educação e ensino. Campinas: Navegando, 2011

MARX, Karl. O Capital. Trad.: de Ronaldo Alves Schmidt. Rio de Janeiro: Zahar, 1969.

MARX, Karl. O capital. v.2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

MARX, Karl. O Capital: crítica da Economia Política. 11.ed. São Paulo: Bertrand Brasil – DIFEL, 1987.

NOSELLA, Paolo. Trabalho e Educação. In: GOMEZ, Minayo Carlos et al. Trabalho e conhecimento: dilemas na educação do trabalhador. São Paulo: Cortez, 2012.

PISTRAK, M. M. Fundamentos da escola do trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2000.

SANTANA, F. P. et al. Globalização, relações interfirmas e trabalho no século XXI. Revista História e Perspectivas, Uberlândia, v.46, n.181-208, jan./jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 09/04/2017.




DOI: https://doi.org/10.18554/rt.v0i0.2593

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Triângulo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

A Revista Triângulo é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto. 

Triangulo Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Triangulo es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.