OS DESAFIOS DOS LÍDERES QUE CONDUZEM A GERAÇÃO Y NA GESTÃO DO CONHECIMENTO

Karina Yoshie Nakazone, Antônio Fernando Gomes Alves

Resumo


O período Pós-Moderno contribuiu com a utilização de novas tecnologias, permitindo uma otimização nos processos de trabalho e, ao mesmo tempo, um aumento do consumo e da competitividade no mercado. Com isso, o conhecimento tornou-se um ativo intangível de extrema importância para as organizações. A inserção da Geração Y no ambiente de trabalho proporciona maior desafio aos líderes para motivá-los a contribuir com a disseminação do conhecimento. A partir dessa problemática, foi aplicado um questionário para 35 jovens da Geração Y, buscando identificar o nível de satisfação no trabalho, as práticas de GC (Gestão do Conhecimento) aplicadas nas organizações em que trabalham e quais características esperam de um líder. Os resultados mostram jovens insatisfeitos e indiferentes com o trabalho, mas que esperam empatia do líder. Dessa forma, este artigo apresentará os desafios dos líderes que conduzem a Geração Y na Gestão do Conhecimento.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Perry. As origens da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

______. Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

______. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

______. Tempos líquidos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007a.

______. Vida líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007b.

______. Medo líquido. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008a.

______. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008b.

BENDASSOLI, Pedro F.; SERAFIM, Mauricio C. Bebezões a bordo. GV Executivo, vol. 6, n. 1, p. 49-53, jan-fev 2007.

BONIFÁCIO, Taynã Malaspina de Freitas. Geração Y e a busca de sentido na modernidade líquida: eles não são todos iguais e estão mudando as relações de trabalho. Curitiba: Juruá, 2014.

CAVALCANTI, Vera Lucia et al. Liderança e motivação. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009.

CIA DE TALENTOS. Carreira dos sonhos 2017. Disponível em: < http://www.carreiradossonhos.com.br/pdf/CS2017_Hotsite_final.pdf>. Acesso em: 18 jan. 2018.

CORTELLA, Mario Sergio; MUSSAK, Eugenio. Liderança em foco. 7. ed. Campinas: Papirus, 2012.

EAGLETON, Terry. As ilusões do pós-modernismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

GODOI, Christiane Kleinübing, BANDEIRA-DE-MELLO, Rodrigo, SILVA, Anielson Barbosa. Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

GODOY, Arilda Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, mar-abr. 1995.

GOMIDE, Cibele Pacheco; ALVES, Antônio Fernando Gomes. A importância do desenvolvimento de aspectos socioemocionais para a gestão do conhecimento nas organizações. Revista Triângulo, v. 10, n. 2, p. 122-141, jul-dez. 2017.

HARVEY, David. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 17. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

KOLB, D. A. Experimental learning: experience as the source of learning and development. New Jersey: Prentice Hall, 1984.

LANCASTER, Lynne; STILLMAN, David. O Y da questão: como a geração Y está

transformando o mercado de trabalho. São Paulo: Saraiva, 2011.

LIPKIN, Nicole A.; PERRYMORE, April J. A geração Y no trabalho: como lidar com a força de trabalho que influenciará definitivamente a cultura da sua empresa. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Bararolla, 2004.

LOMBARDÍA, Pilar García; STEIN, Guido e PIN, José Ramón. Politicas para dirigir a los nuevos profesionales: motivaciones y valores de la generacion Y. Documento de investigación. Mayo, 2008. Disponível em: . Acesso em: 23 set. 2017.

LONGO, Rose Mary Juliano et al. Gestão do conhecimento: a mudança de paradigmas empresariais no século XXI. São Paulo: Editora Senac, 2014.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno. 3. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1988.

NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação .18. ed. -. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

MORENO, B. S. Gestão de pessoas: tendências e desafios na nova missão do RH de hoje. UNOPAR Cient., Coênc. Jurid. Empres., Londrina, v. 3., n. 2, p. 33-38, set. 2002.

OLIVEIRA, Sidney. Geração Y: o nascimento de uma nova versão de líderes. São Paulo: Integrare Editora, 2010.

______. Gerações: encontros, desencontros e novas perspectivas. São Paulo: Integrare Editora, 2016.

PAIS, Leonor. Gestão do conhecimento. In: SIQUEIRA, Mirlene Maria Matias (Org.) Novas medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed, 2014. p. 193-208.

POLANYI, M. The tacit dimension. London: Routledge & Kegan Paul, 1966.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento organizacional. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

SENGE, P. M. A quinta disciplina: arte e a prática da organização que aprende. 33 ed. -. Rio de Janeiro: BestSeller, 2017.

SIGNIFICADOS. Significado de geração. Disponível em: . Acesso em: 01 fev. 2018.

SIQUEIRA, M. M. M. Medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed, 2008.

SVEIBY, Karl Erik. A Nova Riqueza das Organizações. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

ZANELLI, José Carlos; SILVA, Narbal. Interação humana e gestão: a construção psicossocial das organizações de trabalho. 3. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2012.

ZIMMER, Marco Vinicius; LEIS, Rodrigo Pinto. Gestão do conhecimento no Brasil: o que está sendo produzido e para onde caminha a área. In: ANTONELLO, Claudia Simone; GODOY, Arilda Schmidt. Aprendizagem Organizacional no Brasil. Porto Alegre: Bookman, 2011, cap. 7, p. 160-182.




DOI: https://doi.org/10.18554/rt.v0i0.2995

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Triângulo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

A Revista Triângulo é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto. 

Triangulo Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Triangulo es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.