A expansão da educação superior brasileira a partir dos anos 90: democratização ou massificação?

Gabriela Fernanda Silva Borges, Elisa Antônia Ribeiro

Resumo


O presente artigo objetiva retratar e discutir a expansão da educação superior no Brasil a partir da década de 1990 tendo como um dos elementos estruturantes dessa expansão de cunho privatista as orientações de cariz neoliberal repassadas pelos organismos internacionais aos países em desenvolvimento. Pretende-se ainda refletir sobre os preceitos democratização e massificação deste nível de ensino numa perspectiva de análise comparativa. Realizou-se pesquisa bibliográfica a respeito da questão da mercantilização da educação superior em contraposição à educação superior como direito social, segundo autores como PAULA (2011), SILVA JÚNIOR e SGUISSARDI (2000), SGUISSARDI (2015) e REIS ET AL (2014), bem como o levantamento estatístico sobre a expansão mediante consulta e extração de dados disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Discutiu-se o papel do Estado perante a sociedade e as implicações do ideário neoliberal na formulação das políticas educacionais, especificamente, na educação superior. Aponta-se que a democratização do acesso à educação é uma via, não exclusiva, para a promoção do crescimento econômico, desenvolvimento da sociedade e redução das desigualdades sociais, para tanto faz-se necessário ampliar o papel do Estado na busca pela inclusão de grupos sub-representados na educação superior gratuita e de qualidade.


Palavras-chave


Educação superior. Democratização. Massificação. Neoliberalismo

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, Almerindo Janela. Avaliação educacional: regulação e emancipação. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

BALL, Stephen J. Performatividade, privatização e o pós-Estado do bem-estar. Educação & Sociedade. Campinas, v. 25, n.89, p. 1105-1126, set/dez. 2004.

BANCO MUNDIAL. A Educação Superior nos Países em Desenvolvimento: perigos e promessas. Washington, 2000.

______. La Ensenanza Superior: Las lecciones derivadas de La experiência. Washington, 1995.

BENDRATH, E. A.; GOMES, A. A. Estado, políticas públicas e organismos internacionais: a educação no foco do debate. Intermeio. UFMS, MS, v.16, n.32, 2010, p.157-171.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. Trad. Daniela Kern; Guilherme J. F. Teixeira. 2. ed. rev. 4. reimpr. Porto Alegre, RS: Zouk, 2017.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação PNE e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2018.

______. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2018.

______. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em . Acesso em 03 ago. 2018.

CORBUCCI, Paulo Roberto; KUBOTA, Luis Claudio; MEIRA, Ana Paula Barbosa. A evolução da educação superior privada no Brasil: da Reforma Universitária de 1968 à década de 2010. Radar. n. 46, ago. 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXERA. Sinopse Estatística da Educação Superior 1999-2017. Brasília: Inep, 2017. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2018.

______. Evolução do Ensino Superior – Graduação 1980 -1998. Brasília: Inep, 2000. Disponível em:. Acesso em: 30 nov. 2018.

LIMA, Lucinete Marques; BIANCHINI, Angelo Rodrigo. Seletividade e/ou democratização da educação superior em tempos de Sisu. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2018.

LUZ, Jackeline Lourenço Noronha da. O Sistema de Seleção Unificada (SiSU) na Universidade Federal de Mato Grosso – campus Cuiabá – e a relação com a democratização do acesso. 2013. 186 f. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá-MT, 2013.

MATOS. Sidney Tanaka de Souza. Conceitos primeiros de neoliberalismo. Mediações. v.13, n. 1-2, p. 192-213, jan/jun e jul/dez. 2008

NEAVE, Guy. Reconsideración del estado avaliador. In: NEAVE, Guy. Educación superior: histórica e política. Barcelona: Gedisa, 2001.

OLIVEIRA, Francisco. Crítica à razão dualista: o ornitorrinco. São Paulo: Boitempo Editorial, 2003.

PAULA, Maria de Fátima Costa de. Educação superior e inclusão social na América Latina: um estudo comparado entre Brasil e Argentina. In: PAULA, Maria de Fátima Costa de; LAMARRA, Norberto Fernandez (orgs.). Reformas e democratização da Educação Superior no Brasil e na América Latina. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2011.

REIS, Julio Adriano Ferreira dos et al. Estrutura do ensino superior brasileiro: um diagnóstico estratégico societário. Rebrae – revista brasileira de estratégia. Curitiba, v.7, n.1, p. 88-99, jan./mar. 2014.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

SOARES, L. Tavares. Ajuste neoliberal e desajuste social na América Latina. Petrópolis; RJ: Vozes, 2001.

SGUISSARDI. Valdemar. Educação Superior no Brasil: Democratização ou massificação mercantil. Educação & Sociedade. Campinas. v. 36, n. 133, p. 867-889, out./dez. 2015.

SILVA JÚNIOR, João dos Reis; SGUISSARDI, Valdemar. A educação superior privada no Brasil: novos traços de identidade. In: SGUISSARDI, Valdemar (Org.). Educação superior: velhos e novos desafios. São Paulo: Xamã, 2000. p. 155-177.

TAVARES, Maria da Conceição; MELIN, Luiz Eduardo. Mitos globais e fatos regionais. In: FIORI, José Luís et al. Globalização: o fato e o mito. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998. p. 41-54.

UNESCO. Declaração Mundial sobre Ensino Superior no século XXI: visão e ação. Paris, 1998.

______. Documento de política para el cambio y l desarrolo em La educación superior. Paris, 1995.




DOI: https://doi.org/10.18554/rt.v0i0.3450

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Triângulo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

A Revista Triângulo é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto. 

Triangulo Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Triangulo es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.