Poder, geopolítica e mobilização do conhecimento: a Universidade em questão.

Ivanise Monfredini, Ricardo Pérez Mora

Resumo


O artigo retoma algumas aportações dos conceitos de geopolítica do conhecimento, em particular sobre as lógicas de distribuição do poder e sua relação com o conhecimento para tratar da relação entre os setores populares e a universidade a partir do conceito de “mobilização do conhecimento” (Pérez Mora, Cruz Sánchez, & García Ponce de León, 2018; Pérez Mora & Inguanzo Arias, 2018). Partindo de romper esquemas estáticos da distribuição de poder e saber, se propõe o conceito, o qual parte do dinamismo do conhecimento e o potencial que se gera em sua mobilização com os diferentes atores, colocando especial ênfase nos setores sociais tradicionalmente excluídos dos direitos cidadãos, sociais, culturais e econômicos.


Palavras-chave


Geopolítica, conhecimento, poder, mobilização do conhecimento, universidade, classes populares

Texto completo:

PDF

Referências


BORON, Atilio A. 2008. Consolidando la Explotación. La academia y el banco Mundial contra el pensamiento crítico. Córdoba: Espartaco.

DUBE, S.. Introducción: cuestiones acerca de las modernidades coloniales. In Modernidades coloniales: otros pasados, historias presentes. 1st ed., pp. 13–48, 2004. México: El Colegio de México A. C.

DUSSEL, E. . Sistema-mundo y transmodernidad. In Modernidades coloniales: otros pasados, historias presentes. 1st ed., pp. 201–226, 2004. México: El Colegio de México.

FOUCAULT, M. . Microfísica del poder. 3rd ed. 1992. Madrid: Las Ediciones de la Piqueta.

GROSFOGUEL, R. (2002). Colonial difference, geopolitics of Knowledge, and global coloniality in modern/colonial capitalist world-system. Review Fernand Braudel Center. Rechearch Foundation of State University of New York, 25(3), 203–224.

LEHER, Roberto. Movimentos Sociais, padrão de acumulação e crise da universidade". Trabalho para o GT 11. In: 37a Reunião Nacional da ANPEd – 04 a 08 de outubro de 2015, UFSC – Florianópolis, 16p. 2015. Disponível em: http://www.anped.org.br/biblioteca/item/movimentos-sociais-padrao-de-acumulacao-e-crise-da-universidade, acesso em: 08/07/2017.

MAGALHÃES, A. M. . A identidade do ensino superior: a educação superior e a universidade. Revista Lusófona de Educação, 7, 13-40. 2006.

MIGNOLO, W. D. . Capitalismo y geopolítica del conocimiento. In Modernidades coloniales: otros pasados, historias presentes. 1st ed., pp. 227–260, 2004. México: El Colegio de México A. C.

MONFREDINI, Ivanise. (2015). Ciência para Inclusão Social no Brasil: uma análise crítica. In: Sinéctica Revista Electrónica de Educación, v.44, p.1 - 19, 2015.

MORIN, E. (2001). El método IV. Las ideas. Su hábitat, su vida, sus costumbres, su organización. Madrid: Catedra, Teorema.

PÉREZ MORA, R., CRUZ SÁNCHEZ, G. N., & GARCÍA PONCE DE LEÓN, O. (2018). Las condiciones y retos para la movilización del conocimiento en México. Revista Lusófona de Educação, 39(39), 97–111.

PÉREZ MORA, R., & INGUANZO ARIAS, B. Li. (2018). La movilización del conocimiento en las políticas científicas en México. Revista Horizontes Sociológicos, 5(Julio-diciembre), 69–81.

POPKEWITZ, T. S. (1994). Política, conocimiento y poder: algunas cuestiones para el estudio de las reformas educativas. Revista de Educación, (305), 1–29.

SANTOS, Boaventura de Souza. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 4a. edição. São Paulo, Cortez, 1997.

SLATER, D. (2008). Re-pensando la geopolítica del conocimiento: reto a las violaciones imperiales. Tabula Rasa, 8(enero-junio), 335–358.

VISVANATHAN, Shiv. Convite para uma guerra da ciência. In: SANTOS, Boaventura de Souza. (org.). Conhecimento prudente para uma vida decente. 2a. ed. São Paulo, Cortez. 2006.

WALSH, C. (2003). Las geopolíticas del conocimiento y la colonialidad del poder. Entrevista a Walter Mignolo. Polis. Revista Académica Bolivariana, 1(4), 1–26.

ZINGANO. Marco. Sobre o qualis periódicos 2015- Filosofia e o risco de sepukku. In: Revista ADUSP. Revista no.60-maio/2017. Acesso via http://www.adusp.org.br/index.php/imprensa/revista-adusp/2872-maio-2017 em 08/06/2017.




DOI: https://doi.org/10.18554/rt.v11i4-Esp.3458

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Triângulo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

A Revista Triângulo é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto. 

Triangulo Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Triangulo es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.