Formas de provimento do cargo de diretor escolar: um estudo de caso em Pereiras - SP

Ricardo Alexandre Marangoni, Ana Elisa Ramos Cabral

Resumo


Este artigo é resultado de uma pesquisa que teve como objetivo conhecer as formas de provimento do cargo de diretor de escola e analisar as implicações da indicação política à gestão escolar. A literatura versa sobre a pluralidade para acesso ao cargo e os autores indicam que a eleição é a forma de provimento que apresenta maiores possibilidades de democratização da gestão escolar. Articulou-se três momentos: o primeiro, relativo ao estudo de alguns autores da área, tais como Dourado (2001), Paro (2003; 2010; 2011), Silva (2010), Souza (2006) e outros, o segundo, a análise da legislação municipal (PEREIRAS, 2018) e o terceiro, a coleta de dados, para apreender o que dizem os professores acerca da forma de provimento adotada no município de Pereiras/SP. Os resultados apontaram que os participantes são contrários à indicação política e compreendem que o método de escolha de diretores interfere na gestão escolar.


Palavras-chave


Formas de provimento. Diretor Escolar. Gestão Escolar.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, Bruno Sendra de. Políticas estaduais de provimento ao cargo de diretor e sua influência no modelo de gestão escolar. 2017. Dissertação (Mestrado) – Educação: Gestão e Políticas Educacionais. Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. São Paulo.

BEZERRA, Aldenice Alves. Modalidade de provimento do dirigente escolar: mais um desafio para as políticas da educação municipal. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília. v. 90, n. 224, p. 59-70, jan./abr. 2009.

CASTRO, Marta Luz Sisson de. Formação do Diretor de Escola do Estado do Rio Grande do Sul: implicações para a prática. Revista Educação. Porto Alegre, v. 32, n. 2, p. 114-121, maio/ago. 2009.

DOURADO, Luís Fernandes. A escolha de dirigentes escolares: política e gestão da educação no Brasil. In: Ferreira, N. S. C. (org.). Gestão democrática da educação: atuais tendências, novos desafios. São Paulo: Cortez, 2001.

MENDONÇA, Erasto Fortes. A regra e o jogo: democracia e patrimonialismo na educação brasileira. 2000. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

PARO, Vitor Henrique. Eleição de diretores: a escola pública experimenta a democracia. 2. ed. São Paulo: Xamã, 2003.

PARO, Vitor Henrique. A educação, a política e a administração: reflexões sobre a prática do diretor de escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n.3, p. 763-778, set./dez. 2010.

PARO, Vitor Henrique. Escolha e formação do diretor escolar. Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional. Curitiba. v. 6, p. 36-50, 2011.

PEREIRAS (Município). Lei Complementar nº 13 de 2 de maio de 2018. Dispõe sobre a reestruturação administrativa da prefeitura municipal de Pereiras e dá outras providências. Pereiras, 2018.

SILVA, Nilson Robson Guedes. Construindo a democratização da gestão escolar: a democracia, a participação e a eleição de diretores em discussão. 1. ed. Vila Velha, ES: Opção, 2010.

SOUZA, Ângelo Ricardo de. Perfil da gestão escolar no Brasil. 2006. Tese (Doutorado) – Educação: História, Política e Sociedade. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.18554/rt.v0i0.4266

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Triângulo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.