"Um meme vale mais que mil palavras": representações sociais configuradas sobre a docência e o professor na internet

Lucas de Aguiar Lima, Danielle Abreu Silva, Klinger Teodoro Ciríaco

Resumo


Com base na teoria das representações sociais, apresentamos uma discussão sobre memes que circulam na internet em relação a "docência" e ao "professor". Nos últimos anos, no Brasil, a atratividade da carreira docente tem sido problemática emergente, a qual denuncia a falta de interesse pela área. Na leitura interpretativa que fazemos, acreditamos que a forma de representação acerca da figura do docente pode exercer influências na opção pela profissão. O referencial teórico apresenta as representações sociais e busca, no bojo de sua conjuntura, correlacioná-la com a compreensão do ideário sobre o trabalho dos professores. Em termos metodológicos, por meio da semiótica, analisamos imagens de memes da internet. Da experiência aqui materializada, é possível concluir que, embora a representação das imagens anunciem ironicamente problemas ligados à educação, esta descortina a visão coletiva da sociedade brasileira sobre os profissionais em atuação.


Palavras-chave


Memes. Docência. Professor. Representações Sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. I. O sindicato como instância formadora dos professores: novas contribuições ao desenvolvimento profissional. 1999. 225f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em Educação. Portugal: Porto Editora, 1994.

CANDIDO, E. C. R.; GOMES, N. dos S. Memes – Uma linguagem lúdica. Revista Philologus, Ano, v. 21, 2018. Disponível em: http://www.filologia.org.br/rph/ANO21/63supl/092.pdf. Acesso em: 30, jul.2020.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. Paz e Terra. 1999. Disponível em: https://globalizacaoeintegracaoregionalufabc.files.wordpress.com/2014/10/castells-m-a-sociedade-em-rede.pdf. Acesso em: 10, jul. 2020.

CRUSOÉ, N. M. de C. A teoria das representações sociais em Moscovici e sua importância para a pesquisa em educação. APRENDER - Cad. de Filosofia e Pisc. da Educação. Vitória da Conquista. Ano II. n. 2. p. 105-114. 2014. Disponível em: http://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/3065/2559. Acesso em: 15, jul. 2020.

DIAS, F.; TELES, N.; KARIME P.; GROHMANN R. Memes. Uma Meta-análise: proposta a um estudo sobre as reflexões acadêmicas do tema. In: Anais... XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Rio de Janeiro - RJ – 4a 7/9/2015. Disponível em: https://portalintercom.org.br/anais/nacional2015/resumos/R10-2479-1.pdf. Acesso em: 23, jul. 2020.

FONTANA, R. C. Trabalho e subjetividade. Nos rituais da iniciação, a constituição do ser professora. Cadernos Cedes, ano XX, nº 50, Abril/2000. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ccedes/v20n50/a08v2050.pdf. Acesso em: 20, jun. 2020.

FRANÇA, T. M.; VIEIRA, W. G. M. Análise discursiva dos memes sobre o sujeito professor. Revista Triângulo. ISSN 2175-1609. p.4-18. 2019. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistatriangulo/article/view/3821/pdf. Acesso em: 23, jul. 2020.

FREIRE, P. Professora sim, tia não cartas a quem ousa ensinar. Editora Olho d´Água. 1997.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. de S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009.

GATTI, B. (org.). A atratividade da carreira docente no Brasil. Fundação Victor Civita. Relatório final. São Paulo, SP. Dezembro de 2009. Disponível em: http://www.zerohora.com.br/pdf/15141177.pdf. Acesso: 25, jun. 2020.

GOMES, V. A. F. M.; NUNES, C. M. F.; PÁDUA, K. C. Condições de trabalho e valorização docente: um diálogo com professoras do ensino fundamental I. Rev. bras. Estud. pedagog., Brasília, v. 100, n. 255, p. 277-296, maio/ago. 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbeped/v100n255/2176-6681-rbeped-100-255-277.pdf. Acesso em: 19, jun. 2020.

GUARNIEI, R. (Org.). Aprendendo a ensinar: o caminho nada suave da docência. Autores Associados. Campinas-SP. 2ª ed. 2005.

GUERREIRO, A.; SOARES, N. M. M. Os memes vão além do humor: uma leitura multimodal para a construção de sentidos. Texto Digital, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, v. 12, n. 2, p. 185-208, jul./dez. 2016. Disponível em:https://periodicos.ufsc.br/index.php/textodigital/article/view/18079288.2016v12n2p185/33189. Acesso em: 13, abr. 2020.

HORTA, N. B. O meme como linguagem da internet: uma perspectiva semiótica. 2015. 191f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade de Brasília – UNB, 2015. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/18420/1/2015_NataliaBotelhoHorta.pdf. Acesso em: 12, jul. 2020.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto, 2000. p.31-61.

JODELET, D. La representación social: Fenómenos, concepto y teoría. In: MOSCOVICI, S. (org.). Psicologia Social. Barcelona: Paídos. 1985. p.469-494.

JODELET, D. Représentations sociales: un domain en expansion. In: JODELET, D. Les Représentations Sociales. Paris: Presses Universitaires de France. 1989. p. 31-61.

LARA, M. T. de A.; MENDONÇA, M. C. O meme em material didático: considerações sobre ensino/aprendizagem de gêneros do discurso. Bakhtiniana, São Paulo, 15 (2): 185-209, abril/jun. 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/bak/v15n2/2176-4573-bak-15-02-0185.pdf. Acesso em: 12, jul. 2020.

MARTINS, W. A. Semiótica de Charles Peirce: o ícone e a primeiridade. Revista Contemplação, 2015 (12), p.237-250. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/textodigital/article/view/18079288.2016v12n2p185/33189. Acesso em: 30, jul. 2020.

MEIRA, V. R. A.; LEITE, Y. U. F. Professores aposentados: quais os motivos para seu retorno à docência? São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013.

MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Tradução de Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

SANTAELLA, L. Introdução à semiótica: passo a passo para compreender os signos e a significação. São Paulo: Paulus, 2017.

SPINK, M. J. P. O conceito de representação social na abordagem psicossocial. Cad. Saúde Públ., Rio de Janeiro, 9 (3): 300-308, jul/set, 1993. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v9n3/17.pdf. Acesso em: 13, jun. 2020.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 13ª ed. Petrópolis, RJ: 2012.

TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Revista Brasileira de Educação. N°13. Jan. Fev. Mar. 2000. Disponível em: http://anped.tempsite.ws/novo_portal/rbe/rbedigital/RBDE13/RBDE13_05_MAURICE_TARDIF.pdf. Acesso em: 15, abr. 2020.

VEENMAN, S. Problemas percebidos de professores iniciantes. Review of Educational Research, v. 54, n. 2. 1984.

VIEIRA, W. G. M. O enunciado verbo-visual de memes sobre o sujeito professor: diálogos sobre a identidade docente. 2018. 87f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) - Universidade Federal de Goiás, Catalão, 2018. Disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/8841. Acesso em: 20, jun. 2020.




DOI: https://doi.org/10.18554/rt.v13i3.4839

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Triângulo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

A Revista Triângulo é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto. 

Triangulo Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Triangulo es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.