Uma leitura além da margem: diálogos entre a escrita de Lima Barreto e o hip hop de Emicida nos entornos da sala de aula

Ana Paola Laeber, Poliana da Silva Carvalho

Resumo


O presente trabalho objetiva-se em aprimorar os estudos literários a partir da escrita de Lima Barreto, escritor pré-modernista que buscou retratar os modos de vida dos subúrbios cariocas e de sua população, e de Emicida, rapper considerado como uma das maiores revelações musicais de hip hop do Brasil nos últimos anos. Ambos literatos negros, embora pertencentes a uma mesma nação – Brasil, constituíram (e constituem) por meio de suas obras um amplo painel da sociedade na qual estavam inseridos, jamais abdicando do que era a função maior da literatura: intervir nas questões de seus tempos, expondo, por meio de suas subjetividades, um discurso para aqueles que são atormentados pela intolerância social. Tendo como mote trechos da obra póstuma “Diário íntimo” de Lima Barreto e o rap “Boa Esperança” de  Emicida, procuraremos entender o modo como esses dois enunciadores fizeram de suas produções literárias uma prática de intervenção nas questões urbanas e sociais em épocas distintas, na dupla dimensão de escritores e cidadãos, e como seus textos podem ser trabalhados nos entornos da sala de aula, proporcionando aos discentes momentos de reflexão crítica e sensibilização aos problemas vigentes em nossa sociedade. 

Palavras-chave: Lima Barreto; Emicida; Análise do Discurso; Sala de aula; Literatura.


Palavras-chave


Lima Barreto; Emicida; Análise do Discurso; Sala de aula; Literatura.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, L. Aparelhos ideológicos do estado. Presença, Lisboa, 1974.

ALVES, F.S. A dança Break: corpos e sentidos em movimento no Hip-Hop. Motriz, Rio Claro, v. 10, n. 1, p. 01-07, jan./abr. 2004

ARTAUD, Antonin. Van Gogh, o suicidado da sociedade. Tradução de Aníbal Fernandes. Lisboa: Hiena, 1993.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BARBOSA, Francisco de Assis. A vida de Lima Barreto. 7ª ed. - São Paulo: Itatiaia, 1988.

BARRETO, Lima. Diário Íntimo - Fragmentos. 2ª ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 2001.

BENTES, A.C.; FERNANDES, F. A poesia oral nas bordas do mundo: identidades em movimentos nos videoclipes brasileiros de rap. In: Oralidade e literatura 3: outras veredas da voz. LEITE, Eudes Fernandes, FERNANDES, Frederico. (orgs.). Londrina: EDUEL, 2007.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. 43. ed. - São Paulo: Cultrix, 2006.

CUTI. A consciência do impacto nas obras de Cruz e Sousa e de Lima Barreto. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009

EMICIDA. Pra quem Já Mordeu um Cachorro Por Comida, Até Que Eu Cheguei Longe. São Paulo: Laboratório Fantasma, 2009, 1 CD

_________. Emicidio. São Paulo: Laboratório Fantasma, 2010, 1 CD

_________. O Glorioso Retornode Quem Nunca Esteve Aqui. São Paulo: Laboratório Fantasma, 2013, 1 CD

_________. Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa... . São Paulo: Laboratório Fantasma/Sony Music, 2015, 1 CD

FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala. Rio de Janeiro: Maia e Schmidt, 1933.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: O que é um autor? Lisboa: Passagens. 1992. pp. 129-160.

GONZAGA, Sergius. Curso de literatura brasileira. 4 Ed. – Porto Alegre: Leitura XXI, 2010.

HIDALGO, Luciana. Literatura de urgência: Lima Barreto no domínio da loucura. São Paulo: Annablume, 2008.

KELLNER, D. A cultura da mídia. 1 ed., São Paulo, EDUSC, 454 p., 2001.

LAJOLO, Marisa. Oralidade, um Passaporte para a Cidadania Literária Brasileira. In GUIMARÃES, Eduardo e ORLANDI, Eni Puccinelli. (org.). Língua e Cidadania O Português do Brasil. Campinas: Pontes, 1996.

LOUREIRO, Braulio R. C. Arte, cultura e política na história do rapnacional. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, N. 63, p.235-241, Abr 2016.

MUSSALIM, Fernanda. Análise do Discurso. In MUSSALIM, Fernanda e BENTES, Anna Cristina (org.) Introdução à linguística: domínios e fronteiras. Volume 2. p. 101 – 142. São Paulo: Cortez, 2006.

ORLANDI, Eni P. Análise do discurso: princípios e procedimentos. 6 ed. Campinas, SP: Pontes, 2005.

________. Análise do discurso: princípios e procedimentos. 7 ed. Campinas, SP: Pontes, 2007.

________. Discurso e leitura. 3ª. ed. Campinas: Cortez, 1996.

PÊCHEUX, M. Semântica e Discurso - uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas, Editora da Unicamp, 2000. 14.

_________. Remontemos de Foucault a Spinoza. Trad. Brasileira de GREGOLIN, M.R, mimeo, 2000

ROSE, T. Black noise: Rap musicand black culture in contemporary America. Ed., Middletown, Wesleyan, 257 p. 1994.

PESSOA, Fernando. Mar Português. Obra poética, 1960.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. 2. Ed. - São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SOARES, T. 2004. Videoclipe, o elogio da desarmonia: Hibridismo, transtemporalidade e neobarroco em espaços de negociação. In: Intercom, Porto Alegre, 2004.

SOUZA, R. A.; FACHIN, P. C. Um breve estudo: análise do discurso francesa no gênero textual propaganda. In.: II Seminário Nacional em Estudos da Linguagem: Diversidade, Ensino e Linguagem. UNIOESTE - Cascavel / PR, 2010, p. 1-10.

SUSIN, C. O rap como resistência no contexto escolar. 2015


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 1983-3873