ENTRE A FICÇÃO E A REALIDADE: A INTERDISCURSIVIDADE NO GÊNERO REPORTAGEM

Glaucy Ramos Figueiredo, Aliete Gomes Carneiro Rosa

Resumo


O espaço discursivo jornalístico tem se mostrado um ambiente de subversão de gêneros e feito uso da estratégia de desenquadrá-los de seu habitat natural com objetivo de produzir determinados efeitos de sentido (Maingueneau, 2002). Isso tem sido denominado de “intertextualidade intergenérica” (Koch et al, 2007) ou “configuração híbrida” quando um gênero desliza para outro com diferentes funções (Marcuschi, 2008). Os acontecimentos de linguagem no ambiente do jornal marcam aspectos do comportamento do discurso e também imprimem dados sócio-históricos importantes (Maingueneau, 2008). Este trabalho examina, então, não apenas o funcionamento da língua, mas aspectos do funcionamento do intergênero e do interdiscurso, engendrando novos sentidos e novas construções históricas a partir do imaginário social. Assim, o objetivo deste trabalho é observar a interdiscursividade jornalística e ficcional na reportagem, considera a relação entre linguagem e sociedade e aborda aspectos discursivos do texto. O corpus é formado por uma reportagem e um conto clássico da Literatura em que se observa a interdiscursividade presente nas narrativas fantásticas veiculadas nas notícias dos jornais, possibilitando a percepção da leitura do texto de uma reportagem como um intergênero a partir da leitura de um texto compartilhado socialmente pelos leitores e produtores de sentidos.


PALAVRAS-CHAVE: interdiscurso; intergenericidade; reportagem; conto.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/rs.v2i02.30

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN: 1983-3873