Eça de Queirós, Portugal e as relações culturais

Maria Perla Araújo Morais, Marília Fátima de Oliveira

Resumo


Neste texto, apresentaremos como Eça de Queirós discute as relações culturais entre Portugal e outros países europeus, especialmente a França. Acreditamos que, a despeito de uma crítica que procura entender essa discussão do escritor atentando para as relações desvantajosas entre Portugal e outras nações europeias, Eça enfatiza, em algumas obras, o aspecto crítico tanto na reprodução de certas sentimentalidades e costumes, quanto na repulsa dos diálogos culturais. Dessa forma, deixa claro não a questão da pertença cultural, mas da diferença entre culturas, se portando como um mediador que, de maneira consciente e efetiva, promove um debate sobre as relações de poder existentes na Europa do século XIX. Percebemos com Eça de Queirós um projeto de pensar a identidade portuguesa diante da exposição eminente de modos de vida e ideologias de países europeus hegemônicos. Atesta, nesse sentido, o espaço da crise, que será temática de vários escritores finisseculares.


Palavras-chave


Eça de Queirós; França; Sociedade Moderna; Os Maias

Texto completo:

PDF

Referências


ABDALA JÚNIOR e PASCHOALIN, Maria Aparecida. História Social da Literatura Portuguesa. São Paulo: Ática, 1994.

BAUDELAIRE, Charles. Sobre a modernidade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

BERBERAN E SANTOS, Mário. Sobre a nudez forte do núcleo, o manto diáfano da nuvem electrónica: As memórias dum Átomo. Química 130, jul-set. 2013. Disponível em: http://web.ist.utl.pt/berberan/data/As%20Memorias%20dum%20Atomo.pdf. Acesso em: 15/07/2019.

CANDIDO, Antonio. Entre campo e cidade. In: _________. Tese e antítese. 5 ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre o Azul, 2006.

COELHO, Jacinto do Prado. A originalidade da Literatura Portuguesa. Lisboa: Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, 1992.

CORREIA, Natália. Somos todos hispanos. 2 ed. Lisboa: Editorial Notícias, 2003.

DUARTE, Maria do Rosário Cunha. Rejeição e recepção das ideias francesas na literatura portuguesa. Porto Alegre, Letras Hoje, v. 43, n.4, p.65-68, dez. 2008.

FALBEL, Nachman. Romantismo, Historicismo e História. In: GUINSBURG, J. O romantismo. São Paulo: Perspectiva, 2008

FIGUEIREDO, Mônica. “A Lisboa não é Paris: O Primo Basílio, de Eça de Queirós.” In: SCARPELI, Marli Fantini e OLIVEIRA, Paulo Motta.(orgs.). Os centenários: Eça, Freyre e Nobre. Belo Horizonte: FALE, UFMG, 2001.

GIRARD, René. Mentira romântica y verdade novelesca. Trad. Joaquín Jordá. Anagrama: Barcelona, 1985.

LOURENÇO, Eduardo. Mitologia da saudade: seguido de Portugal como destino. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

______________. A nau de Ícaro e Imagem e miragem da lusofonia. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

______________. Portugal como destino seguido de Mitologia da saudade. Portugal: Gradiva, 2012.

MEDINA, João. À margem dum ensaio de Eça de Queirós; Nótulas sobre o “Francesismo”, sua cronologia e suas fontes. Colóquio Letras, no. 10, nov. 1992. Disponível em: http://coloquio.gulbenkian.pt/bib/sirius.exe/issueContentDisplay?n=10&p=34&o=p. Acesso em: 25/05/2014.

QUEIRÓS, Eça. O Primo Basílio. São Paulo: Scipione, 1994.

____________. A correspondência de Fradique Mendes. Rio de Janeiro: Best Bolso, 2013.

____________. Os Maias. Rio de Janeiro: Ediouro, 2000.

REIS, Carlos. Estudos Queirosianos; Ensaios sobre Eça de Queirós e a sua obra. Lisboa: Editorial Presença, 1999.

ROCHA, João Cezar de Castro. Culturas shakespearianas: teoria mimética e os desafios da mímesis em circunstâncias não hegemônicas. São Paulo: É Realizações, 2017.

SANTIAGO, Silviano. “Eça, autor de Madame Bovary.” In: _________. Uma Literatura nos trópicos; ensaios sobre dependência cultural. 2 ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice; o social e o político na pós-modernidade. 7 ed. Afrontamento: Porto, 1999.

SARAIVA, A. J e LOPES, Óscar. História da Literatura Portuguesa. 17 ed. Porto: Porto Editora, 1996.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 1983-3873