Discursividades construídas a partir dos enunciados “Piso Salarial” E “Teto Salarial”

Ana Cláudia Dias Ribeiro, Janete Silva Dos Santos

Resumo


RESUMO: Este artigo, resultado de estudos e debates realizados em disciplina que problematiza discursividades, em curso de pós-graduação stricto sensu, analisa discursivamente duas charges, como materialidade linguística, nas quais aparecem os enunciados “piso salarial” e “teto salarial”, levando em consideração os efeitos de sentido provocados pela linguagem multimodal (verbal e não-verbal) constantes nos dois textos. A partir de subsídios teóricos e metodológicos da Análise de Discurso francesa, buscamos explicar os processos de construção de sentidos provocados pela linguagem nos objetos simbólicos analisados, assim como a relevância das escolhas lexicais dos termos “piso” e “teto” presentes nos dois enunciados. Tais enunciados estão inseridos no campo discursivo trabalhista/profissional como metáfora discursiva construída a partir de outro campo ou esfera discursiva (engenharia civil, por exemplo), o que implica sobreposição ao que já é limitado por outro dizeres (salário/salarial). Esta análise mostrou algumas ancoragens como possibilidades interpretativas para a construção dos sentidos. Ratificamos que a formação discursiva e ideológica na qual o sujeito está filiado é fator determinante para a constituição dos sentidos. 


Palavras-chave


Discursividade; Metáfora Discursiva; Charge.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. [Constituição (1988)] Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações determinadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/94, pelas Emendas Constitucionais nos 1/92 a 91/2016 e pelo Decreto Legislativo no 186/2008. – Brasília: Senado Federal,Coordenação de Edições Técnicas, 2016.

COSTA, Sérgio Roberto. Dicionário de gêneros textuais. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

FERNANDES, C, A. Análise do discurso: Reflexões introdutórias. São Carlos: Claraluz, 2008.

INDURSKY, Freda. O texto nos estudos da linguagem: especificidades e limites. IN: ORLANDI, Eni; LAGAZI-RODRIGUES, Suzy (orgs) Discurso e Textualidade. 3ª ed. Pontes Editores: Campinas, 2017. Cap. 2 p. 37 – 88.

FOUCAULT, Michel. O sujeito de poder. In: RABINOW, P. & DREYFUS, H. Michel Foucault. Uma trajetória filosófica. Rio de Janeiro: Forense Universitária,1995.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. Análise de Discurso: Princípios e Procedimentos. Campinas. SP: Pontes, 6ª edição, 2005.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. Interpretação; autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 3ª ed. Editora Vozes, Petrópolis, 2001.

PECHÊUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni P. Orlandi [et al.]. Campinas: Editora da UNICAMP, 1995.

O piso respeitual. Direito é Legal. 31 de ago. de 2017. Disponível em: https://direitoelegal.com/tag/piso-salarial/ Acesso em 10 de dez. 2018.

Conheça o piso salarial das principais profissões. Guia das Profissões. Disponível em: https://www.guiadacarreira.com.br/salarios/conheca-o-piso-salarial-das-principais-profissoes/ Acesso em 9 de dez. 2018

Congresso aprova aumento para STF e, com isso, amplia o teto salarial de todos os servidores públicos. Portal Terra. 07 de nov. De 2018. Disponível em: https://www.terra.com.br/noticias/brasil/politica/congresso-aprova-aumento-para-stf-e-com-isso-amplia-o-teto-salarial-de-todos-os-servidores-publicos,57022ea36b7ea9f128843197ff56b380lm2bvrro.html acesso em 29 de jan. 2019




DOI: https://doi.org/10.18554/rs.v8i2.4005

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 1983-3873