Letramento crítico no ensino de língua inglesa: uma ferramenta de poder emancipatória

Fabiene de Oliveira Santos

Resumo


Este trabalho busca refletir sobre as contribuições que a relação entre o letramento crítico e o processo de ensino e aprendizagem de língua inglesa, apoiada no diálogo com os estudos culturais sob a ótica do pensamento decolonial, podem possibilitar em prol de uma emancipação e de relações de poder e interculturais mais horizontais. Defende o letramento crítico no ensino de língua inglesa pautado nos estudos emergentes decoloniais, a fim de desenvolver no aluno a criticidade e favorecer a formação na língua inglesa como língua estrangeira na esteira da ideologia pela e para a ética, a justiça e o respeito. Inicialmente, apresenta considerações a respeito de letramento, destacando o letramento crítico na vertente do letramento ideológico. Em seguida, tece uma discussão sobre contribuições do letramento crítico no ensino de língua inglesa, à luz de estudos acerca da decolonialidade, realizados por pesquisadores do campo. Concluindo, a articulação proposta pode possibilitar um processo educacional que privilegie a consciência crítica e a reflexividade. O estudo sugere que o processo de ensino-aprendizagem de língua inglesa, mediante o letramento crítico, através de uma prática de ensino com o dissenso e do desenvolvimento de uma tradução híbrida-relacional-empática, comunga com uma formação para a língua ética, democrática, emancipatória.

Palavras-chave


Letramento Crítico; Língua Inglesa; Decolonialidade

Texto completo:

PDF

Referências


FOUCAULT, M. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel. 29 ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

GOULART, C. M. A. O conceito de letramento em questão: por uma perspectiva discursiva da alfabetização. In: Bakhtiniana, São Paulo, v. 9, n. 2, 2014. p. 35-51.

HALL, Stuart. Quem precisa de identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da. (org.), HALL, Stuart; WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 8. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008. p. 103-133.

JORDÃO, C. M. A posição de professor de inglês no Brasil: hibridismo, identidade e agência. Revista. Letras & Letras, Uberlândia, v.26, n.2, 2010. p. 427-442.

JORDÃO, C. M.; MARTINEZ, J. Z. Entre as aspas das fronteiras: internacionalização como prática agonística. In: ROCHA, C. H.; BRAGA, D. B.; CALDAS, R. R. (Orgs.) Políticas Linguísticas, ensino de línguas e formação docente. Campinas: Pontes, 2015. p. 61-87.

KACHRU, B. B. The Alchemy of English. In: ASHCROFT, B.; GRIFFITHS, G.; TIFFIN, H. The post-colonial studies reader. London and New York: Routledge, 1994. p. 291-295.

KUBOTA; R.; MILLER, E. R. Re-Examining and Re-Envisioning Criticality in Language Studies: Theories and Praxis, Critical Inquiry in Language Studies. In: Critical Inquiry in Language Studies, 0:1–29, 2017.

MIGNOLO, Walter. Desobediência epistémica: retórica de la modernidad, lógica de la colonialidad, y gramática de La descolonialidad.Buenos Aires: Ediciones del signo, 2010.

MIGNOLO, Walter. A colonialidade de cabo a rabo: o hemisfério ocidental no horizonte conceitual da modernidade. In: Lander Edgardo (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005. p. 33-49. Disponível em: . Acesso em: 07 jul. 2019.

PENNYCOOK, A. Uma linguística aplicada transgressiva. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.) Por uma linguística aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 67-84.

RAJAGOPALAN, K. Exposing young children to english as a foreign language: the emerging role of world English. Trabalhos em linguística Aplicada. (online) v.48, n. 2, Campinas, 2009. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2019.

REVUZ, C. A língua estrangeira entre o desejo de um outro lugar e o risco do exílio. In: SIGNORINI, I. (Org.). Língua(gem) e Identidade: elementos de uma discussão no campo aplicado. Campinas: Mercado das Letras; São Paulo: Fapesp, 1998. p. 213-230.

SANTOS, Boaventura de Sousa (2009). Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, B. S.; MENESES, M. P. (orgs.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Almedina, p. 23-71.

SOUZA, L. M. T. M. Multiliteracies and transcultural education. In: García, O., Flores, N. and Spotti, M. Handbook of Language and Society. Oxford Handbooks Online.2017.

SOUZA, L. M. T. M. Epistemic Diversity, Lazy Reason and Ethical Translation in Post-Colonial Contexts: the case of indigenous educational policy in Brazil. Interfaces Brasil/Canadá. Canoas, v. 14, n. 2, 2014. p. 36-60.

SOUZA, L. M. T. M. Para uma redefinição de Letramento Crítico: conflito e produção de significado. In: MACIEL, Ruberval Franco; ARAÚJO, Vanessa de Assis (Org.). Formação de professores de línguas: ampliando perspectivas. Jundiaí: Paco Editorial, 2011a. p. 128-140.

SOUZA, L. M. T. M. O professor de inglês e os letramentos no século XXI: métodos ou ética? In: JORDÃO, C. M.; MARTINEZ, J. Z.; HALU, R. C. (Org.). Formação “desformatada”: práticas com professores de língua inglesa. Campinas: Pontes Editores, 2011b. p. 279-303.

STREET, B. V. Políticas e Práticas de Letramento na Inglaterra: uma perspectiva de letramentos sociais como base para uma comparação com o Brasil. In: Cad. Cedes, Campinas, v. 33, n. 89, jan.-abr. 2013. p. 51-71.

STREET, B. V. Eventos de letramento e práticas de letramento: teoria e prática nos novos estudos do letramento. In: MAGALHÃES, I. Discursos e práticas de letramento: pesquisa etnográfica e formação de professores. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2012. p. 69-92.

TAGATA, W. M. Letramento crítico, ética e ensino de língua inglesa no século XXI: por um diálogo entre culturas. RBLA, Belo Horizonte, v. 17, n.3, p. 379-403, 2017. Disponível em: . Acesso em 08 abr. 2019.

TIFFIN, Helen. Post-colonial Literatures and Counter-discourse. In: ASHCROFT, B.; GRIFFITHS, G.; TIFFIN, H. The post-colonial studies reader. London and New York: Routledge, 1994. p. 95-98.




DOI: https://doi.org/10.18554/rs.v8i2.4014

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 1983-3873