Entre o videogame e o jogo da vida – o afeto no episódio “STRIKING VIPERS”, da série Black Mirror

Rogério de Castro Ângelo, Simone Tiemi Hashiguti

Resumo


No mundo contemporâneo, as relações sociais acontecem cada vez mais mediadas por novas tecnologias e os dispositivos móveis estão cada vez mais funcionando como uma extensão do corpo, dando acesso a redes sociais e aplicativos de trocas de mensagem, entre outros. Neste trabalho, valendo-nos dos conceitos de afeto (ESPINOZA, 2009), corpo vibrátil (ROLNIK, 2011), territorialização e desterritorialização (ROLNIK, 1986), amor prático (BARROS FILHO; PONDÉ, 2017) e ciborgue (HARRAWAY, 2016), procuramos fazer uma análise de como se dá a relação de afeto mediada/proporcionada pela tecnologia no episódio Striking Vipers, da série Black Mirror. Como percurso/proposta metodológica, apoiamo-nos em trabalhos de Deleuze e Guattari (1995) e de Sueli Rolnik (2011), procurando nos afastar de uma proposta de trabalho dita arborescente e tentando nos aproximar daquilo que Deleuze e Guattari (1995) chamam de rizoma. Nesse sentido, não iremos nos filiar a um quadro teórico fechado, ao invés disso, procuraremos mobilizar conceitos oriundos de diferentes áreas, de modo a percorrer um caminho singular na problematização dos efeitos da tecnologia nas relações afetivas entre os três personagens principais do episódio elencado no corpus que nos propusemos a analisar, fazendo uma análise sobre a relação de conexão/influência mútua homem/máquina.


Palavras-chave


Afeto; (Des)territorialização; Ciborgue.

Texto completo:

PDF

Referências


BARREIRO, M. F.; CARVALHO, A. B.; FURLAN, M. R., A arte e o afeto na inclusão escolar: potência e o pensamento não representativo. In: Childhood and Philosophy. Vol 14, N. 30. 2018. DOI: https://doi.org/10.12957/childphilo.2018.30164. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/childhood/article/view/30164. Acesso em: 03 jul. 2019.

BARROS FILHO, C.; PONDÉ, L. F. O que move as paixões. São Paulo: Papirus, 2017.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs: Capitalismo e esquizofrenia. Vol 1. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.

ESPINOZA, B. Ética. Tradução de Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

HARAWAY, D. J. A Cyborg Manifesto: Science, Technology, and socialist-femiinism in the late twentieth century. University of Minnesota Press, 2016. Disponível em: https://warwick.ac.uk/fac/arts/english/currentstudents/undergraduate/modules/fictionnownarrativemediaandtheoryinthe21stcentury/manifestly_haraway_----_a_cyborg_manifesto_science_technology_and_socialist-feminism_in_the_....pdf. Acesso em 03 jul. 2019.

MANSFIELD, N. Subjectivity: theories of the self from Freud to Haraway. Nova York: New York University Press, 2000.

MARQUES, M. R. Afeto e sensorialidade no pensamento de B. Espinosa, S. Freud e D. W. Winnicott. Dissertação (mestrado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Psicologia, 2012. DOI: https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.20706.

ROLNIK, S. Amor, o impossível... e uma nova suavidade. 1986. Disponível em: https://www.pucsp.br/nucleodesubjetividade/Textos/SUELY/Novasuavidade.pdf. Acesso em: 03 jul. 2019.

ROLNIK, S. Cartografia sentimental: Transformações contemporâneas do desejo. Porto

Alegre: Sulina, 2011.

STRIKING VIPERS, episódio da série Black Mirror. Direção: Owen Harris. Escrito por: Charlie Brooker. Elenco: Anthony Mackie como Daniel “Danny” Parker; Yahya Abdul-Mateen II como Karl; Nicole Beharie como Theo Parker; Pom Klementieff como Roxette; Ludi Lin como Lance; August Muschett como Tyler; Fola Evans-Akingbola como Mariella. Netflix, World-wide. 2019. (61 min.) widescreen.




DOI: https://doi.org/10.18554/rs.v9i1.4037

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 1983-3873