As reverberações da história e a elaboração estética da personagem no romance Predadores

Jesuino Arvelino Pinto, João Batista Cardoso

Resumo


O propósito deste trabalho consiste em analisar o romance Predadores, de Pepetela, buscando apreender as formas de representação da condição itinerante que muitos grupos sociais se submetem em função das consequências de revoltas e guerras, modos de governo autoritários e mesmo de acidentes naturais. Mais especificamente, nossa proposta visa à reflexão acerca da reestruturação das memórias na formação da identidade de um povo, tendo a personagem central, Vladimiro Caposso, como elemento catalisador da trama demarcada pelo período de 1974 a 2004, compreendendo trinta anos, a partir das lutas finais pela Independência de Angola. A literatura pode servir como ferramenta de registro e manutenção dos costumes e tradições dominantes, uma vez que o discurso se materializa na oralidade e na escrita, que perpassam a História da evolução do homem como ser social. O suporte teórico deste trabalho constitui-se em estudos que permeiam a relação Literatura, História, Política e Sociedade, perpassando pelas acepções de memória e identidade, como: Mata (1993), Candido (1976, 1989), Barthes (1988), Carvalho (2010), Hall (2006), Ricoeur (2007), Lukács (2000) dentre outros. No que tange à formação da identidade cultural, a literatura traduz peculiaridades locais, manifestando os traços do momento histórico e da realidade social nela abordados.

Palavras-chave


Literatura e Vida Social; Memória; Identidade

Texto completo:

PDF

Referências


ADOLFO, Sérgio Paulo. A ficção de Pepetela e a formação da angolanidade. Tese de doutorado. FCL. Faculdade de Ciências e Letras – UNESP – Universidade Estadual Paulista – Campus de Assis. Assis-SP, 1992.

BARTHES, Roland. O efeito do real. In: BARTHES, Roland. O rumor da Língua. São Paulo: Brasiliense, 1988.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. 5. ed. São Paulo: Editora Nacional, 1976.

CANDIDO, Antonio. Literatura e subdesenvolvimento. In: CANDIDO, Antonio. A educação pela noite e outros ensaios. 2. ed. São Paulo: Ática, 1989.

CARVALHO, Mariana Aparecida de. A identidade nacional angolana em O Vendedor de Passados. 2010. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/viewFile/7868/6890. Acesso em: 14 out. 2018.

FORSTER, E. M. Aspectos do romance. Tradução de Maria Helena Martins. Porto Alegre: Globo, 2004.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1989.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance. Tradução de José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Duas cidades; Ed. 34, 2000.

MATA, Inocência. Ficção e história na literatura angolana: o caso de Pepetela. Lisboa: Edições Colibri, 1993.

PAZ, Octávio. O arco e a lira. Tradução de Olga Savary. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

PEPETELA. Predadores. Rio de Janeiro: Língua Geral, 2008.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Unicamp, 2007.




DOI: https://doi.org/10.18554/rs.v9i2.4061

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 1983-3873