Análise de desvios de ortografia na escrita de alunos do sétimo ano do ensino fundamental de Uberaba-MG

Soraya Mattos Oliveira Nunes, Renata Aparecida Batista dos Santos, Juliana Bertucci Barbosa

Resumo


 Este estudo tem como objetivo analisar os desvios de ortografia em produções textuais de alunos do sétimo ano do Ensino Fundamental de duas escolas públicas municipais de Uberaba-MG. O embasamento teórico está contido no campo da Sociolinguística Educacional (Bortoni-Ricardo, 2005). Para a coleta dos dados, foi aplicada uma proposta de produção de texto de tipologia narrativa. Os desvios ortográficos encontrados foram separados em dois grupos, sendo (i) relacionado ao sistema de convenção de escrita e (ii) decorrentes da transposição de hábitos da oralidade para a escrita. Na análise, seguiu-se a diagnose de desvios no ensino de língua materna elaborada por Bortoni-Ricardo (2005). O levantamento dos desvios de ortografia revela que os alunos recorrem à oralidade para elaborar suas hipóteses de escrita revelando a sua variação linguística através de processos fonológicos como monotongação, ditongação, alçamento e apagamento do /r/ dos infinitivos. A hipossegmentação e hipersegmentação também foram reveladoras. A maioria dos desvios encontrados nos textos foi de motivação fonológica. Os sons das palavras são assimilados em relação aos fonemas emitidos e, esse aspecto indica um modo de escrita ortográfica. Cabe ao professor propiciar um ambiente de letramento propício para a resolução de conflitos ortográficos de motivação fonológica.

PALAVRAS-CHAVE: produção textual; desvios de escrita; oralidade.


Palavras-chave


Produção Textual; Desvios de Escrita; Oralidade.

Texto completo:

PDF

Referências


BARONAS, J. E. As Marcas de oralidade no texto escrito. Signum: Est. Ling., Londrina, v.12, n.1, p.15-32, julho, 2009.

BORTONI-RICARDO, S. M. O estatuto do erro na língua oral e na língua escrita. In: GORSKI, Edair M.; COELHO, Izete L. (Org.) Sociolinguística e ensino: contribuições para a formação do professor de língua. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2006a.

BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola, 2004.

BORTONI-RICARDO, S. M.Métodos de alfabetização e consciência fonológica: o tratamento de regras de variação e mudança. Scripta, Belo Horizonte, v. 9, n. 18, p. 201220, 1º sem. 2006b.

BORTONI-RICARDO, S. M. Nós cheguemu na escolar, e agora? Sociolinguística e educação. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

MARCUSCHI, L. A. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

OLIVEIRA, M. A. de. Conhecimento linguístico e apropriação do sistema de escrita. 1. ed. Belo Horizonte: CEALE/FAE/UFMG, 2005. v. 01.

PEDROSA, J. L. Variação fonético-fonológica e ensino de português. In MARTINS, M. A. [et al] Ensino do português e sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2014.

SENE, M. G. de; BARBOSA, J. B. Quando a oralidade chega à escrita: discutindo os desvios em textos do Ensino Fundamental II de Uberaba/MG. Cor das letras. Bahia, 2019.

TENANI, L.; PARANHOS, F. Análise prosódica de segmentações não-convencionais de palavras em textos do sexto ano do Ensino Fundamental. Filologia e Linguística Portuguesa, 13(2). São Paulo: USP, 2011, p.477-504.




DOI: https://doi.org/10.18554/rs.v9i1.4096

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 1983-3873