Teatro na escola: corporeidade aprendente

Mayron Engel Rosa Santos, Wagner Wey Moreira

Resumo


O presente trabalho tem como foco investigar como os alunos do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio percebem as aulas de teatro na escola na relação com suas vidas. Para tanto foram associados dois temas: aulas de teatro não espetacular e corporeidade, procurando identificar como as experiências das aulas podem potencializar aprendizagem dos alunos. Participaram da pesquisa dezessete alunos de duas escolas particulares do município de Uberaba/MG com mais de um ano de vivência em práticas teatrais. A questão geradora da pesquisa foi: 1 – Qual o significado das aulas de teatro para a sua vida? Para a interpretação das respostas dos discentes foi utilizada a Técnica de Elaboração e Análise de Unidades de Significado proposta por Moreira, Simões e Porto (2005). Foram encontrados como principais resultados: as aulas suprem em parte a necessidade dos alunos se expressarem; há o desenvolvimento do sentimento de pertença social, bem como a possibilidade de promoção de um suporte emocional, percebimento dos potenciais corporais e criativos.


Palavras-chave


Teatro na Escola; Corporeidade; Ensino Fundamental II e Médio

Texto completo:

PDF

Referências


ASSMANN, H. Reencantar a educação: rumo a sociedade aprendente. Petrópolis – RJ. Vozes, 2012.

ASSMANN, H. Metáforas novas para reencantar a educação: epistemologia e didática. Piracicaba: Unimep, 2001.

BARBOSA, A M. (org.) O ensino das artes nas universidades. São Paulo. Edusp. 1993.

BOAL, A. O arco íris do desejo: método Boal de teatro e terapia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão; tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis, Vozes, 1987. 288p.

GIORGI, A. A psicologia como ciência humana: uma abordagem de base fenomenológica. Trad. Riva S. Schwartzman. Belo Horizonte: Interlivros, 1978.

GRAY, Alex. As 10 habilidades necessárias para você prosperar na Quarta Revolução Industrial. 2016. Fórum Econômico Mundial. Disponível em: https://www.weforum.org/agenda/2016/01/the-10-skills-you-need-to-thrive-in-the-fourth-industrial-revolution/. Acesso em: 21 maio 2020.

HAN, B. C. Sociedade do cansaço. Petrópolis – RJ. Vozes, 2015.

JAPIASSU, R. O. V. Metodologia do ensino de teatro. Campinas – SP. Papirus, 2001.

MACHADO, M. M. (2015). Só Rodapés: Um glossário de trinta termos definidos na espiral de minha poética própria. Revista Rascunhos - Caminhos Da Pesquisa Em Artes Cênicas, 2(1). https://doi.org/10.14393/RR-v2n1a2015-05.

MACHADO, M. M. Merleau-Ponty & a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2010b.

MARTINS, J. e BICUDO, M.A.V. A pesquisa qualitativa em psicologia: fundamentos e recursos básicos. São Paulo: Moraes/ Ed.PUCC-SP, 1989.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. São Paulo: M Fontes, 1994.

MERLEAU-PONTY, M. Textos sobre estética. In Coleção Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

MOREIRA, W.W.; NÓBREGA, T. P. Fenomenologia, Educação Física, desporto, motricidade: convergências necessárias. Cronos, Natal, v.9, n.2, p. 349-360, 2008.

MOREIRA, W.W. Educação Física Escolar: uma abordagem fenomenológica. Campinas. SP: Editora da Unicamp, 1995.

MOREIRA, W.W. Século XXI: A era do corpo ativo. Campinas. SP: Editora Papirus, 2006.

MORIN, E. Rumo ao abismo: ensaio sobre o destino da humanidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

MORIN, E. Os setes saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: UNESCO, 2004.

NÓBREGA, T.P. Uma fenomenologia do corpo. São Paulo. Editora Livraria da Física, 2010.




DOI: https://doi.org/10.18554/rs.v9i2.4874

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 1983-3873