A COMUNICAÇÃO EM ENFERMAGEM E A ARGUMENTAÇÃO RETÓRICA

ADILSON PEREIRA TEODORO, MARIA FLAVIA FIGUEIREDO

Resumo


O objetivo do presente trabalho é observar se as prescrições para a relação dialógica entre cuidador e paciente presentes em manuais didáticos da área de Enfermagem obedecem aos preceitos da teoria Retórica. Para tanto, foram selecionados dois manuais que tratam especificamente da comunicação no ato de cuidar. Essas obras são consideradas referência em comunicação na área de Enfermagem e são amplamente referidas em trabalhos de pós-graduação nessa área. A análise terá como fundamento teórico-metodológico a Retórica, teoria que teve seu desenvolvimento a partir dos estudos de Aristóteles na antiguidade grega, ficando à margem por um longo período e ressurgindo por meio do trabalho de Chaïm Perelman & Olbrechts-Tyteca, também conhecido como a Nova Retórica. A escolha dessa teoria se deu por ser essa uma ciência que trata diretamente da interação comunicativa entre indivíduos e dos meios que cada um utiliza para fazer crer em suas proposições quando necessário. Os resultados da análise demonstraram que os manuais selecionados como corpus, apesar de não adotarem a mesma terminologia utilizada pela teoria retórica, se valem de preceitos de cunho retórico-argumentativo para construir as prescrições direcionadas aos cuidadores de saúde no momento de sua interação com os pacientes.

Palavras-chave: retórica; enfermagem; comunicação; manuais didáticos; relação cuidador-paciente.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/rs.v4i1.560

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN: 1983-3873