DISLEXIA: CONCEITO, DIAGNÓSTICO E ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS

Renata Cristina Alves

Resumo


Os transtornos de aprendizagem, especificamente a dislexia, têm sido estudados por vários especialistas. A dislexia é um transtorno da aprendizagem observada em diferentes pessoas com diversas habilidades, porém, com dificuldades tanto na leitura quanto na escrita. Após vários estudos especialistas chegaram à conclusão de que esse transtorno seja um defeito no cérebro, onde a parte afetada são as palavras e letras, vistas por meio da memória visual. Assim, sendo uma dificuldade de aprendizagem faz-se necessário discorrer sobre a dislexia, não apenas conceituando-a, mas também mostrar como ocorre e quais métodos pedagógicos facilitará aos educadores na maneira de alfabetizar os que demonstram essa dificuldade de aprendizagem. A dislexia é um assunto muito discutido nos últimos anos. Apesar disso, é um tema que muitos têm dificuldade em diagnosticar e lidar. No ambiente escolar essa dificuldade se mostra mais evidente ao passo que educadores por um lado sentem mais por vivenciar de perto a dificuldade e os alunos por terem a autoestima baixa por, de certa forma, não conseguir apresentar seu desenvolvimento e progresso. Desse modo, ao ser diagnosticado numa sala de aula alunos com dislexia, cabe ao educador junto às demais partes envolvidas – pais, equipe pedagógica – desenvolver práticas, estratégias pedagógicas específicas para o desenvolvimento dos mesmos. Essas ações não só evitarão que se criem rótulos para tais alunos por causa de suas dificuldades de aprendizagem, mas também fará com que os mesmos por meio do desenvolvimento e conhecimento que venham a adquirir, os tornem capazes de realizar tarefas a eles imposta.


Palavras-chave


Dislexia; Transtorno de Aprendizagem; Estratégias Pedagógicas

Referências


AMORIM, EMILIA R. Jogos, brinquedos e brincadeiras no desenvolvimento da criança disléxica. Monografia apresentada ao Curso de Especialização (Lato Sensu) em Distúrbios de Aprendizagem do CRDA. São Paulo, 2008.

Associação Brasileira de Dislexia (ABD). Disponível em: http://www.dislexia.org.br Acesso em: 28 de novembro de 2015.

BRASIL, Lei de Diretrizes e bases da educação LDB, lei nº 9.394/1996.

CONDEMARIN, MABEL; MARLYS BLOMQUIST. Dislexia: Manual de leitura corretiva. Porto alegre: Artes médicas, 1986.

DAVIS, RONALD D. O dom da dislexia. Rio de Janeiro: Rocco. 2004.

ELLIS, ANDREW W. Leitura, escrita e dislexia: uma análise cognitiva. Porto Alegre: Artes médicas, 1995.

FRANK, R. LIVINGSTON, KATHRYN E. A vida secreta da criança com dislexia. Como ela pensa. Como ela sente. Como eles podem ser bem sucedidos. São Paulo: M Books do Brasil, 2003.

FRANK, ROBERT. A vida secreta da criança com dislexia. São Paulo: M books do Brasil. Edição LTDA, 2003.

FONSECA, VITOR DA. Introdução às dificuldades de aprendizagem. 2 Ed. Porto Alegre: Artes médicas, 1995.

GARDNER, H. Estruturas da mente: A teoria das inteligências múltiplas. 2º reimpressão. Trad. Sandra Costa. Porto Alegre: Artes médicas Sul, 2002 [1983].

HOUT, ANNE VAN, ESTIENNE, FRANÇOISE. (2001). Dislexias: descrição, avaliação, explicação e tratamento. Tradução Claudia Shiling. Porto Alegre: Artmed.

IANHES, MARIA EUGENIA; NICO, MARIA ÂNGELA. Nem sempre é o que parece: como enfrentar a dislexia e os fracassos escolares. Rio de Janeiro: Elsevier, 2002.

MARTINS, V. O papel da família na aprendizagem da leitura. Revista Espaço acadêmico, v 2, nº 22, Março. 2003.

MORAES, MARIA CÂNDIDA. O paradigma educacional emergente. 13º Ed. Campinas, Sp: Papirus, 2007.

MORAES, MAURICIO. Dificuldade escolar: problema afeta de algum modo 70% das pessoas. Estado de São Paulo, 16 de Junho. 2003.

MORAIS, ANTONIO MANUEL PAMPLONA. Distúrbios da aprendizagem: uma abordagem Psicopedagogia. 10º Ed. São Paulo: Edicon, 2003.

OLIVEIRA, ROBERTO DE. Maioria tem diagnostico tardio de dislexia. Folha de São Paulo, 04 Jul. 2004. Cotidiano.

SILVA, MARILENE MENDES DA SILVA. Dislexia: ações e intervenções pedagógicas adotadas em quatro escolas públicas do ensino fundamental do distrito federal. Brasília, 2010

http://www.bdtd.ucb.br/tede/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=1278

Acesso em: 27 de novembro de 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.