CUIDADOS NECESSÁRIOS QUANDO DA SOLICITAÇÃO DA ESCRITA ACADÊMICA NA FORMAÇÃO DE NÍVEL SUPERIOR.

Rodrigo Alves dos Santos

Resumo


O presente texto se propõe a socializar algumas reflexões geradas pela experiência de mais de uma década lecionando disciplinas do ensino universitário cuja finalidade é desenvolver a competência de comunicação por escrito de estudantes do ensino superior. Tal experiência e a interação com os professores das disciplinas específicas da formação de engenheiros veio permitindo identificar que, mesmo que haja inúmeros fatores que interferem na qualidade da escrita do estudante universitário brasileiro, uma parcela considerável das falhas nos projetos de texto dos estudantes desses cursos se deve à ausência, quando as solicitação da produção de textos por parte dos professores, de informações imprescindíveis para orientar o aluno-redator quanto ao texto final a ser entregue por ele. Logo, sem incorrer em qualquer tipo de reducionismo dos fatores que contribuem para o atual quadro que se encontra no ensino superior brasileiro quanto à dificuldade de escrita dos estudantes universitários, defende-se, neste ensaio, o argumento de que, para que se obtenha um efetivo sucesso na produção do conhecimento no ensino superior, é importante se atentar para as condições de solicitação de uma produção escrita na universidade. Nestes termos, mesmo que sejam produzidas a partir do contexto do ensino superior das engenharias, as reflexões aqui contidas, ousamos afirmar, são úteis para cursos das demais áreas do conhecimento.


Palavras-chave


Escrita acadêmica; Ação Pedagógica do Professor; Enunciados Instrucionais;

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. Tradução de Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 1992.

BAKHTIN, M; VOLOCHÍNOV. Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução de Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 16. ed. São Paulo: Hucitec, 2006.

BELOTI, A.; MENEGASSI, R. J. A compreensão da escrita como processo na formação docente do PIBID. Raído, v. 11, n.27, jan/jul. 2017, p. 247-266. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/Raido/article/view/5665. Acesso: 14/11/2019.

GERALDI, João Wanderley. Portos de passagem. 4.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

GERALDI, João Wanderlei. (Org.). O texto na sala de aula. São Paulo: Ática, 2003.

MOTTA-ROTH, Desiree; HENDGES, Graciela H. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola Editorial: 2010.

PINHEIRO, Petrilson. Produção textual em contexto de ensino superior: rediscutindo perspectivas e procedimentos de ensino-aprendizagem. Alfa. São Paulo, v.62, n.2, p.325-343, 2018.

SANTOS, Rodrigo Alves dos; ROHRMANN, Guilherme Gazzinelli. O lugar dos gêneros textuais escritos e orais em disciplinas de formação específicas da formação inicial de engenheiros. Anais do Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia. Joinville/SC – 26 a 29 de setembro de 2017.

SILVA, Obdália Santana Ferraz. Entre o plágio e a autoria: qual o papel da universidade? Revista Brasileira de Educação v. 13 n. 38 maio/ago. 2008. p.357-414.

VITÓRIA, Maria Inês Corte; CHRISTOFOLI, Maria Conceição Pillon. A escrita no Ensino Superior. Educação. Santa Maria, v. 38, n. 1, p. 41-54, jan./abr. 2013


Apontamentos

  • Não há apontamentos.