Avaliação da carga relativa e a possíbilidade de dor lombar, em estudantes do ensino fundamental

Mateus Botelho Vieira, Taciany Melo Gonçalves, Lucas Rogério dos Reis Caldas, Guilherme de Azambuja Pussieldi

Resumo


Objetivo: Avaliar a carga relativa da mochila escolar e a incidência de dor lombar em escolares de ambos os gêneros do Ensino Fundamental da rede pública do Município de Florestal. Métodos: A amostra foi composta por 32 alunos sendo 14 meninas e 18 meninos, do 3º Ano, regularmente matriculados e frequentes. Para participar do estudo os estudantes e os responsáveis tiveram que assinar os Termos de Assentimento e Consentimento Livre e Esclarecido respectivamente. Utilizou-se no estudo balança digital com precisão de 100g e capacidade de 150 kg, estadiômetro, ficha de identificação do sujeito, a carga da mochila transportada pelos escolares durante uma semana e carga da mochila (prevista) e o inventário de dor. Na análise estatística foi realizado a comparação das variáveis através do Student-test com nível de significância de p≤ 0,05. Resultados: Na amostra avaliada não foram observadas diferenças significativas entre os sexos, caracterizando-se como uma amostra homogênea. Conclusões: Os resultados aqui apresentados evidenciam não haver diferenças significativas em nenhuma das variáveis estudadas entre os gêneros, em uma amostra de estudantes do ensino fundamental.


Palavras-chave


crianças, estudantes, dor lombar

Texto completo:

P.06-08

Referências


Cottalorda J, Bourelle S, Gautheron V, Kohler R. Backpack and spinal disease: myth or reality? Revue de Chirurgie Orthopédique et Traumatologique. 2004;90(3):207-214.

Korovessis, P, Koureas G, Papazisis Z. Correlation between backpack weight and way of carrying, sagittal and frontal spinal curvatures, athletic activity, and dorsal and low back pain in schoolchildren and adolescents. J Spinal Disord Tech. 2004;17(1)33-40.

Festas CFS, Santos MD, Ribeiro JC. Dor lombar em crianças e adolescentes, estudo de prevalência, factores de risco e intervenção para a educação postural. [Tese] Universidade do Porto, Porto – Portugal, 2010.

Candotti CT, Noll M, Roth E. Avaliação do peso e do modo de transporte do material escolar em alunos do ensino fundamental. Rev Paul Pediatr. 2012;30(1):100-106.

Caldas LRR. Análise descritiva da carga relativa e forma de transporte da mochila escolar em estudantes do ensino médio da Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal [Monografia] Universidade Federal de Viçosa - Campus Florestal, 2014.

Paula AJF. A influência da carga imposta pela mochila escolar em alunos do ensino fundamental e médio: uma contribuição para estudos ergonômicos. [Dissertação] Universidade Estadual Paulista, 2011.

Braccialli LMP, Vilarta R. Aspectos a serem considerados na elaboração de programa de prevenção e orientação de problemas posturais. Rev Paul Educ Fís. 2000;14(2):159-171.

Brackley HM, Stevenson M. Are children’s backpack weight limits enough? A critical review of the revelant literature. Spine. 2004;29(19):2184-2190.

Lipp MEN. Manual do inventário de sintomas de stress para adultos de Lipp (ISSL). São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

Perez V. A influência do mobiliário e da mochila escolares nos distúrbios músculo-esqueléticos em crianças e adolescentes. Dissertação (Mestrado) - UFSC Florianópolis. 2002.

Glaner MF, Pelegrini A, Cordoba CO, Pozzobom ME. Associação entre insatisfação com a imagem corporal e indicadores antropométricos em adolescente. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2013;27(1):129-136.

Bronhara B, Verly Junior E, Vieira VCR, Conde WL. Sensibilidade e especificidade de três classificações para excesso de peso em adolescentes. Ver Baiana de Saúde Pública. 2010;34(4):845-852.

Rebolho MCT, Casarotto RA, João SMA. Estratégias para ensino de hábitos posturais em crianças: história em quadrinhos versus experiência prática. Fisioterapia e Pesquisa. 2009;16(1):46-51.

Andreatta LB, Trelha CS, Fujisawa DS, Katayama AH, Figinam CN, Siqueira CPCM. Conhecimento dos professores da pré-escola sobre hábitos posturais. Revista Saúde e Pesquisa. 2013;6(2):197-203.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

Licença Creative Commons
Arquivos de Ciências do Esporte de Universidade Federal do Triângulo Mineiro está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/aces.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/aces.