USO DA PRÓTESE DENTÁRIA ENTRE IDOSOS: UM PROBLEMA SOCIAL

Mário Alfredo Silveira Miranzi, Maristela Marques Amuí, Helena Hemiko Iwamoto, Darlene Mara dos Santos Tavares, Sandra Azevedo Pinheiro, Marli Aparecida Reis Coimbra

Resumo


O objetivo deste estudo foi conhecer e descrever características sócio-demográficas, cuidados na conservação, tipo de limitação ou interferência oriunda do uso de próteses dentárias. Trata-se de um estudo descritivo, transversal realizado com 167 idosos portadores de prótese dentária em uma área de abrangência da Saúde da Família de um município de Minas Gerais/Brasil. A coleta de dados foi realizada nos domicílios ou na unidade de saúde. Os resultados mostraram maiores frequências para intervalo de idade 60|-70 anos (71,9%), ensino fundamental incompleto (64,1%), ganhar um salário mínimo (58,5%) e fazer uso de prótese de 20|-40 anos (49,7%). A maioria possui próteses em condições inadequadas (70,1%), mas realiza higienização correta (87,4%), 40% queixam de desconforto, 60% já trocaram de prótese e 75% não receberam qualquer tipo de informação sobre manutenção da prótese. Ressalta-se que a busca da saúde bucal pelo usuário de prótese depende da orientação profissional permanente.

Descritores:  Prótese total; Saúde bucal; Assistência odontológica para Idosos.


Referências





DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v3i1.1029

Apontamentos

  • Não há apontamentos.