Educação em saúde por meio de feiras

Cristina Zukowsky Tavares, Luciano Senti da Costa, Maria Fernanda Melo Lopes Ninahuaman, Greice Marques, Daniela da Cunha dos Santos

Resumo


Este é um relato de experiência de um projeto de extensão, que tem como objetivos apresentar uma experiência na modalidade de “feiras de saúde”, realizada com a comunidade Colombo na zona Sudoeste da cidade de São Paulo, SP, Brasil, por uma instituição universitária e, analisar a percepção dos universitários extensionistas sobre a repercussão desse projeto para sua prática profissional e pessoal. O trabalho foi desenvolvido no ano de 2012 e após realizou-se avaliação dos alunos envolvidos. Os acadêmicos que responderam à avaliação são oriundos de nove cursos diferentes, com uma predominância para o Curso de Enfermagem (44%), seguidos dos cursos de Psicologia (16%), Nutrição (14%), Fisioterapia (10%) e Biologia (7%). Realizou-se 1691 atendimentos, com 13 tipos diferentes, das quais os sete primeiros foram: realização de exames laboratoriais, práticas de estilo saudável de vida, recreação infantil, verificação de dados antropométricos, aferição de sinais vitais, orientação de nutrição e, atendimento de fisioterapia. Os acadêmicos participantes avaliaram de forma positiva suas participações. Ações de educação em saúde e de responsabilidade social, realizadas pelo poder público, em parceria com o setor privado tendem a beneficiar a população. 

 


Palavras-chave


Educação em saúde; Educação superior; Relações comunidade-instituição

Referências


Passos, AA; Gomes, WS. Desafios e possibilidades: duas experiências de extensão na Universidade Estadual de Goiás. Em Extensão 2016; (15)1:58-71.

Alves VS. Um modelo de educação em saúde para o Programa Saúde da Família: pela integralidade e reorientação do modelo assistencial. Interface Comun Saúde Educ. 2005; 9(16):39-52.

Costa BB. Paulo Freire: educador-pensador da libertação. Pro-Posições 2016; 27(1):93-110.

Lazarini WS, Sodré F, Dalbello-Araujo M. O debate sobre educação em saúde no âmbito do Conselho Municipal de Saúde de Vitória, ES, Brasil. Interface Comun Saúde Educ. 2014; 18(2):1227-40.

Thiollent M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez; 2011.

Ferreira MLS, Moura JFL, Silva ES, Rocha RF, Olivares AIO, Hayd RLN. Feira de saúde do curso de medicina da UFRR: uma aproximação com a comunidade. Rev Bras Educ Med. 2010; 34(2):310-4.

Egry EY, Regina EN, Faustino LH, Moraes MJB, Paula TCM. Cenário Capão Redondo. In: Egry EY, organizador. Necessidades em saúde na perspectiva da atenção básica: guia para pesquisadores. São Paulo: Dedone; 2008. p. 61-70.

Egry EY, Regina EN, Faustino LH, Moraes MJB, Paula TCM. Cenário Capão Redondo. In: Egry EY, organizador. Necessidades em saúde na perspectiva da atenção básica: guia para pesquisadores. São Paulo: Dedone; 2008.

Centro Universitário Adventista de São Paulo. Projeto pedagógico de curso (PPC): enfermagem. São Paulo: Campus de; 2010.

Carvalho MCB, coordenador. Avaliação: construindo parâmetros das ações socioeducativas. São Paulo: CENPEC; 2005.

Santos JHS, Rocha BF, Passaglio KT. Extensão universitária e formação no ensino superior. Rev Bras Ext Univ. 2016; 7(1):23-8.

Souza AM, Pereira NFF. Escrevendo os caminhos da extensão universitária na UNILA. Rev Bras Ext Univ. 2015; 6(2):77-85.

Ramos NV. Processos participativos: transformar para educar. In: Ramos NV, Prieto TRV. Do sul ao norte: metodologias participativas desde a sociopraxis. São Borja: FAITH; 2015. p. 13 -33.

Giatti LL. O paradigma da ciência pós normal: participação social na produção de saberes e na governança socioambiental e da saúde. São Paulo: Annablume; 2015.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v5i2.1711

Apontamentos

  • Não há apontamentos.