Trabalho e saúde mental: a relação existente no cenário de um CAPS

Daniella Amaral Aguiar

Resumo


O presente artigo tem por objetivo analisar quais os limites e as possibilidades que as estratégias de trabalho e geração de renda possuem no que tange à (re) inserção e (re) socialização de pessoas em condição de sofrimento psíquico. Entendendo a percepção de usuários, profissionais, e abrangendo o papel do Estado, enquanto provedor e regulador de políticas sociais, analisa como a categoria trabalho se apresenta à área da saúde mental, expressa em um Centro de Atenção Psicossocial da cidade de Uberaba, Minas Gerais. Esta é uma pesquisa qualitativa, realizada a partir de entrevista semi-estruturada com roteiro norteador. A análise de dados pautou-se pelo método do materialismo histórico dialético. O trabalho se apresenta na vida cotidiana dos usuários como importante e, através de estratégias como as oficinas de trabalho e a geração de renda, que permitem a integração dos serviços pautando-se na transformação dos usuários em sujeitos de direitos, auxilia na superação de uma lógica mercadológica, buscando reconstruir o sentido humano nas relações sociais.

Palavras-chave


Saúde mental; Assistência à saúde mental; Trabalho.



DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v5i1.1912

Apontamentos

  • Não há apontamentos.