Inatividade física e depressão em idosos no Brasil: uma revisão sistemática

Luan Augusto Alves Garcia, Juliana Milani, Larissa Fernanda do Nascimento Celeste, Leidiane Mota de Oliveira Chagas, Thais Pereira Caixeta, Álvaro da Silva Santos

Resumo


Este estudo objetiva analisar a relação da inatividade física com a depressão e/ou sintomas depressivos em estudos observacionais. Realizou-se uma revisão sistemática nas bases de dados PUBMED, Biblioteca Virtual em Saúde e LILACS de abril a junho de 2016, utilizado os seguintes descritores: “atividade motora”, “depressão” e “idoso” de forma associada utilizado o operador booleano AND e, sem corte temporal.Em busca inicial, foram encontrados 53 artigos. Após a análise dos mesmos foram excluídos 48 artigos. Para a análise foram selecionados 5 artigos publicados nos últimos 8 anos. Considerando a associação da inatividade física e a presença de depressão todos os estudos selecionados apontaram uma associação positiva e inversa entre atividade física e os sintomas depressivos. Este estudo evidenciou que a prática de atividade física regular pode desempenhar papel de proteção contra o surgimento de problemas de saúde, sendo a depressão um deles.

Palavras-chave


Atividade motora; Depressão; Idoso.



DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v5i1.1916

Apontamentos

  • Não há apontamentos.