Má oclusão, cárie dentária e gengivite como fatores associados à vergonha de sorrir em pacientes pediátricos oncológicos

Tamires Vieira Carneiro, Raphael Cavalcante Costa, Isabella Lima Arrais Ribeiro, Marcos Valério Teixeira, Luiz Felipe Bastazini, Eufrásio de Andrade Lima Neto, Ana Maria Gondim Valença

Resumo


O estudo teve o objetivo de explicar a “inibição de sorrir” em pacientes oncológicos pediátricos a partir de variáveis relacionadas à má oclusão, cárie e doença periodontal. Esta é uma pesquisa transversal realizada em um hospital de referência no estado da Paraíba, sendo a amostragem feita por conveniência, composta por 52 pacientes com idades de 12 anos e15 a19 anos. Utilizaram-se como instrumentos de coleta duas fichas (exame clínico e entrevista) do levantamento Saúde Bucal Brasil2010. Apesquisa foi realizada entre anos de2011 a2014. Os dados foram analisados no software R (versão 3.1.1), recorrendo a técnicas estatísticas descritivas e inferenciais. Na análise descritiva, utilizaram-se valores absolutos e percentuais e medidas de tendência central e dispersão. Na análise inferencial, por intermédio da regressão logística binária, se identificou as variáveis significantes para explicar a inibição ao sorrir dos pacientes do estudo. Observou-se como fatores de risco para a inibição ao sorrir, ter desalinhamento maxilar (OR=6,59), relação molar alterada (OR=9,16), número de dentes cariados (OR=1,71), e presença de sangramento gengival (OR=15,88). A má oclusão, cárie dentária e gengivite são fatores associados à vergonha de sorrir nos pacientes pediátricos oncológicos.

 


Palavras-chave


Neoplasias; Odontopediatria; Oclusão dentária; Má oclusão; Cárie dentária; Periodontia



DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v5i0.1974

Apontamentos

  • Não há apontamentos.