Sala de espera: espaço para educação em saúde

Leticia Pinto Rodrigues, Francielle Toniolo Nicodemos Furtado de Mendonça, Camila Escoura, Patrícia Fabiana Gonçalves Lopes, Maysa Alvarenga Ferreira, Álvaro da Silva Santos

Resumo


O objetivo desse trabalho foi relatar a implementação das ações de educação em saúde na sala de espera em uma unidade de saúde, enquanto os usuários aguardavam atendimento. Trata-se de um relato de experiência, parte do estágio supervisionado da disciplina em Saúde Coletiva do curso de Graduação em Enfermagem de uma universidade pública. Foi implantado o projeto “Sala de Espera”, destinado aos usuários que aguardavam atendimento. Para isso houve a confecção de um calendário com datas comemorativas relacionadas à saúde, abordando a cada mês a temática comemorada. A intervenção proporcionou momentos lúdicos, de bem-estar, expressividade, troca de conhecimentos e experiências. Considerando-se todas as atividades educativas na sala de espera entre agosto e novembro de 2017, obteve-se a participação de 290 usuários, com 15 encontros, numa média de 15 a 20 pessoas em cada um deles. Os participantes expuseram suas dificuldades a respeito dos temas abordados. Com a criação da sala de espera, percebe-se que se estabeleceu um maior vínculo/confiança entre a equipe de saúde e a população local.


Palavras-chave


Educação em saúde; Conhecimento; Atenção primária à saúde

Referências


Silva GGS, Pereira ER, Oliveira JO, Kodato YM. Um momento dedicado à espera e à promoção da saúde. Psicol Ciênc Prof. 2013; 33(4):1000-13.

Rodrigues AD, Dallanora CR, Rosa J, Germani ARM. Sala de espera: um ambiente para efetivar a educação em saúde. Vivências: Rev Eletrônica Ext URI. [Internet]. 2009 [citado em 22 nov 2017]; 5(7)101-6. Disponível em: http://www.reitoria.uri.br/~vivencias/Numero_007/artigos/artigos_vivencias_07/Artigo_13.pdf

Nora CRD, Mânica F, Germani ARM. Sala de espera uma ferramenta para efetivar a educação em saúde. Rev Saúde Pesqui. 2009; 2(3)397-402.

Rosa J, Barth PO, Germani ARM. A sala de espera no agir em saúde: espaço de educação e promoção à saúde. Perspectiva. 2011; 35(129):121-30.

Teixeira ER, Veloso RC. O grupo em sala de espera: território de práticas e representações em saúde. Texto Contexto Enferm. 2006;15(2)320-25.

Bomfim ES, Araújo IB, Santos AGB, Silva AP, Vilela ABA, Yarid SD. Atuação do enfermeiro acerca das práticas educativas na estratégia de saúde da família. Rev Enferm UFPE online [Internet]. 2017 [citado em 22 nov 2017]; 11(3):1398-1402. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/13982/16835

Junqueira MAB, Santos FCS. A educação em saúde na Estratégia Saúde da Família sob a perspectiva do enfermeiro: uma revisão de literatura. Rev Educ Popular. 2013;12(1):66-80.

Limeira MEO, Henrique MS, Barbosa AS, Queiroga VE, Cavalcanti FRR. Sala de espera como ferramenta para educação em saúde na atenção básica. Rev Bras Ciênc Saúde. 2014; 18(1):59-62.

Ministério da Saúde (Br). Portaria no. 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). D.O.U. [Internet]. 22 set 2017 [citado em: 22 nov 2017]; Seção 1(183):68-120. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=68&data=22/09/2017

Malta DC, Silva BSJ. O Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis no brasil e a definição das metas globais para o enfrentamento dessas doenças até 2025: uma revisão. Epidemiol Serv Saúde. 2013; 22(1):151-64.

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado à pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica. Brasília: Ministério da Saúde; 2013. 128 p.

Almeida ND. A saúde no Brasil, impasses e desafios enfrentados pelo Sistema Único de Saúde – SUS. Rev Psicol Saúde. 2013; 5(1):1-9.

Malta DC, Moura L, Prado RR, Schmidt MI, Duncan, BB. Mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil e suas regiões, 2000 a 2011. Epidemiol Serv Saúde. 2014; 23(4):599-608.

Santos AMA, Jácinto PA, Tejada CAO. Causalidade entre renda e saúde: uma análise através da abordagem de dados em painel com os estados do Brasil. Estud Econ. 2012; 42(2):229-61.

Islam MM, Yen L, Valderas JM, McRae LS. Out-of-pocket expenditure by Australian seniors with chronic disease: the effect of specific diseases and morbidity clusters. BMC Public Health. 2014;14(1):1-18.

Marinho MGS, Cesse EAP, Bezerra AFB, Sousa IMC, Annick Fontbonne A, Carvalho EF. Análise de custos da assistência à saúde aos portadores de diabetes melito e hipertensão arterial em uma unidade de saúde pública de referência em Recife – Brasil. Arq Bras Endocrinol Metab. 2011;55(6):406-11.

Faustino EC, Rovinski E, Faria F, Kovelis D. Tabagismo e atividade física: revisão da literatura. Vitrine Prod Acad. 2016;4(2):21-30.

Santos RSAF, Bezerra LCA, Carvalho EF, Fontbonne A, Cesse EAP. Rede de atenção à saúde ao portador de Diabetes Mellitus: uma análise da implantação no SUS em Recife (PE). Saúde Debate. 2015; 39(n esp):268-82.

Andrade SSA, Rizzato S, Brito AS, Chueri PS, Szwarcwald CL, Malta DC. Prevalência de hipertensão arterial autorreferida na população brasileira: análise da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Epidemiol Serv Saúde. 2015; 24(2):297-304.

Veras ASP, Aragão FBA, Pereira JFS, Furtado QR, Pereira SLM, Gomes FCS. Saúde preventiva com ênfase no câncer de próstata: uma revisão de literatura. Rev UNINGÁ. 2017; 54(1):59-71.

Balduino AFA, Mantovani MF, Lacerda MR, Meier MJ. Análise conceitual de autogestão do indivíduo hipertenso. Rev Gaúcha Enferm. 2013; 34(4):37-44.

Almeida ER, Moutinho CB, Leite MTS. A prática da educação em saúde na percepção dos usuários hipertensos e diabéticos. Saúde Debate. 2014; 38(101):328-37.

Reis FV, Brito JR, Santos JN, Oliveira MG. Educação em saúde na sala de espera: relato de experiência. Rev Med Minas Gerais. 2014; 24(1):32-6.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v6i3.2917

Apontamentos

  • Não há apontamentos.