Cuidado de enfermagem na ótica das gestantes de alto risco

Samuel Vareira Ferreira, Marilu Correa Soares, Susana Cecagno, Camila Neumaier Alves, Tatiane Machado Soares, Luiza Rocha Braga

Resumo


O presente estudo tem como objetivo conhecer a percepção das gestantes de alto risco quanto à assistência de enfermagem de um hospital de ensino. Trata-se de um estudo qualitativo e descritivo realizado  em novembro de 2016 por meio de entrevista semiestruturada, individual e gravada com nove mulheres internadas, cuja análise foi realiza conforme proposta operativa de Minayo. Os dados foram agrupados em duas categorias: assistência de enfermagem na visão de mulheres que vivenciam a gestação de alto risco; e, sentimentos vivenciados pelas gestantes de alto risco. Os resultados apontam para a importância dos profissionais de enfermagem na assistência às gestantes, por proporcionarem apoio e atenção a suas demandas. A assistência de enfermagem neste hospital mostrou-se satisfatória diante do conceito daquelas gestantes, sendo percebido como de qualidade e humanizado, proporcionando respeito e a valorização diante das necessidades emanadas na internação.


Palavras-chave


Gravidez de alto risco; Cuidados de enfermagem; Enfermagem

Referências


Ministério da Saúde (Br). Gestação de alto risco: manual técnico. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2010. 304p.

Silva MRC, Vieira BDG, Alves H, Rodrigues DP, Vargas GS, Sa AMP. A percepção de gestantes de alto risco acerca do processo de hospitalização. Rev Enferm UERJ. 2013; 21(2):792-7.

Ministério da Saúde (Br). Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2012. 320p.

Oliveira VJ, Madeira AMF. Interagindo com a equipe multiprofissional: as interfaces da assistência na gestação de alto risco. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2011; 15(1):103-9.

Xavier RB, Jannottil CB, Silva KS, Martin AC. Risco reprodutivo e renda familiar: análise do perfil de gestantes. Ciênc Saúde Colet. 2013; 18(4):1161-71.

Conselho Federal de Enfermagem (Br). Decreto n. 94.406/87. Regulamenta a Lei n. 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem [Internet]. Brasília, DF: COFEN; 1987 [acesso em 15 dez 2016]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/decreto-n-9440687_4173.html

Dantas CN, Santos VEP, Tourino FS. A consulta de enfermagem como tecnologia do cuidado à luz dos pensamentos de Bacon e Galimberti. Texto & Contexto Enferm. [Internet]. 2016 [acesso em 15 dez 2016]; 25(1):e2800014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v25n1/0104-0707-tce-25-01-2800014.pdf

Camillo BS, Nietsche EA, Salbego C, Cassenote LG, Dal Osto DS, Bock A. Ações de educação em saúde na atenção primária a gestantes e puérperas: revisão integrativa. Rev Enferm UFPE On Line. [Internet]. 2016 [citado em 15 dez 2016]; 10(6):4894-901. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/11270/12905

Varela PLR, Oliveira RR, Melo EC, Mathias TAF. Pregnancy complications in Brazilian puerperal women treated in the public and private health systems. Rev Latinoam Enferm. [Internet]. 2017 [citado em 15 dez 2016]; 25:e2949. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v25/0104-1169-rlae-25-e2949.pdf DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.2156.2949

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 13ed. São Paulo: Hucitec; 2013. 406p.

Conselho Nacional de Saúde (Brasil). Resolução nº 466 de 12 de dezembro de 2012. Trata de pesquisas em seres humanos e atualiza a resolução 196 [Internet]. D.O.U., Brasília, DF, 13 dez 2012 [citado em 15 dez 2016]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/reso466.pdf

Oliveira DC, Mandú ENT. Mulheres com gravidez de maior risco: vivências e percepções de necessidades e cuidado. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2015; 19(1):93-101.

Wilhelm LA, Alves CN, Demori CC, Silva SC, Meincke SMK, Ressel LB. Sentimentos de mulheres que vivenciaram a gestação de alto risco: estudo descritivo. Online Braz J Nurs. [Internet]. 2015 [citado em 16 dez 2017];14(3). Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/5206/html_882

Costa PCP, Garcia APRF, Toledo VP. Acolhimento e cuidado de enfermagem: um estudo fenomenológico. Texto & Contexto Enferm. 2016; 25(1):2-7.

Maynart WHC, Abuquerque MCS, Brêda MZ, Jorge JS. A escuta qualificada e o acolhimento na atenção psicossocial. Acta Paul Enferm. 2014; 27(4):300-3.

Silva LCM. Trabalho e família na percepção de mulheres provedoras. Gênero na Amazônia. 2012; 1(1):61-83.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v7i2.3410

Apontamentos

  • Não há apontamentos.