Condições de saúde de detentos em um presídio da região meio oeste Catarinense

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18554/refacs.v10i1.5123

Palavras-chave:

prisioneiros, perfil de Saúde, promoção da saúde, Controle de doenças transmissíveis

Resumo

Este é um estudo descritivo, retrospectivo, transversal e quantitativo, realizado em 2019 através da análise dos prontuários das pessoas privadas de liberdade no município de Caçador–SC, com objetivo de analisar as condições de saúde da população carcerária. Coletaram-se dados sociodemográficos, histórico de hábitos e vícios, doenças, uso de medicamentos, realização de teste rápido e consultas médicas. A análise se deu por estatística descritiva e ocorreu através do teste de Qui-quadrado. Considerou-se prontuários de 266 detentos (com superlotação), sendo: maioria do sexo masculino (96,24%); 20 a 39 anos (72,26%); pardos (48,04%) e brancos (44,53%); desempregados (45,7%); solteiros (61,57%), baixa escolaridade (52,94% até fundamental); uso de benzodiazepínicos (28,38%), uso de antidepressivos (18,02%) e de antipsicóticos (14,44%); consumo de tabaco (58,2%), seguido da maconha (44,53%); 95,31% dos homens e todas mulheres realizaram testes rápidos para hepatite B, sífilis e HIV no momento da admissão, e em dias subsequentes à entrada, tanto homens quanto mulheres, duas consultas médicas. O consumo de álcool, maconha e crack mostrou correlação com depressão. O contexto apresentado, mostra a necessidade de investimentos em políticas públicas para melhoria na prevenção de doenças e promoção da saúde de pessoas com privação de liberdade.

Biografia do Autor

Rosemari Santos de Oliveira, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP

Enfermeira. Mestre em Desenvolvimento e Sociedade pelo Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Sociedade Universidade Alto Vale do Rio do Peixe – UNIARP, Campus Caçador – SC. Rua Victor Baptista Adami, 800 – Centro Caçador – SC, Brasil, CEP: 89500-000. e-mail: rosemarixw@yahoo.com.br Registro ORCID: 0000-0003-2788-147X

Lincon Bordignon Somensi, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe

Farmacêutico. Doutor em Ciências Farmacêuticas pela UNIVALI, Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Sociedade, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe – UNIARP, Campus Caçador – SC. Rua Victor Baptista Adami, 800 – Centro Caçador – SC, Brasil, CEP: 89500-000. Fone: (49) 35616200, e-mail: lbsomensi@hotmail.com Registro ORCID: 0000-0002-8435-7124

Claudriana Locatelli, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP

Doutor em Farmácia pela UFSC,Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Sociedade, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe – UNIARP, Campus Caçador – SC. Rua Victor Baptista Adami, 800 – Centro Caçador – SC, Brasil, CEP: 89500-000. Fone: (49) 35616200, e-mail: claudrilocatelli@gmail.com Registro ORCID: 0000-0003-4708-6641 Autor para correspondência: Claudriana Locatelli, Fone: (49) 35616200, e-mail: claudrilocatelli@gmail.com

Referências

Ministério da Saúde (Brasil), Secretaria de Atenção em Saúde. Legislação em saúde no Sistema Penitenciário [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2010 [citado em 28 set 2021]. 174p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/legislacao_saude_sistema_penitenciario.pdf

Melo WF, Saldanha HGAC, Melo WF, Almeida JS. Serviços de saúde à população carcerária do Brasil: uma revisão bibliográfica. Rev Bras Educ Saúde [Internet]. 2016 [citado em 16 nov 2020]; 6(1):14-21. DOI: http://dx.doi.org/10.18378/rebes.v6i1.4023

Ministério da Saúde (Brasil). Portaria Interministerial MS/MJ nº 1, de 2 de janeiro de 2014. Institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP) no âmbito do Sistema Único de Saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2014 [citado em 28 set 2021]. 17p. Disponível em: https://central3.to.gov.br/arquivo/370304/

Moschetti K, Zabrodina V, Stadelmann P, Wangmo T, Holly A, Wasserfallen JB, et al. Exploring differences in healthcare utilization of prisoners in the Canton of Vaud, Switzerland. PLoS One [Internet]. 2017 [citado em 16 nov 2020]; 12(10):e0187255. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0187255

Fernandes LH, Alvarenga CW, Santos LL, Pazin Filho A. Necessidade de aprimoramento do atendimento à saúde no sistema carcerário. Rev Saúde Pública [Internet]. 2014 [citado em 17 nov 2020]; 48(2):275-83. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048004934

Constantino P, Assis SG, Pinto LW. O impacto da prisão na saúde mental dos presos do estado do Rio de Janeiro, Brasil. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2016 [citado em 04 nov 2020]; 21(7):2089-100. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015217.01222016

Andreoli SB, Santos MM, Quintana MI, Ribeiro WS, Blay SL, Taborda JGV, et al. Prevalence of mental disorders among prisoners in the state of São Paulo, Brazil. PLoS One [Internet] 2014 [citado em 05 nov 2020]; 9(2):e8836. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0088836

Magri MC, Ibrahim YK, Pinto WP, França FOS, Bernardo WM, Tegan FM. Prevalence of hepatitis C virus in Brazil’s inmate population: a systematic review. Rev Saúde Pública [Internet]. 2015 [citado em 10 nov 2020]; 49:42. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2015049005886

Sanchez A, Larouze B. Controle da tuberculose nas prisões, da pesquisa à ação: a experiência do Rio de Janeiro, Brasil. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2016 [citado em 10 nov 2020]; 21(7):2071-2080. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015217.08182016

Minayo MCS, Ribeiro AP. Condições de saúde dos presos do estado do Rio de Janeiro, Brasil. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2016 [citado em 10 nov 2020]; 21(7):2031-40. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015217.08552016.

Job Neto F, Miranda RB, Coelho RA, Gonçalves CP, Zandonade E, Miranda AE. Health morbidity in Brazilian prisons: a time trends study from national databases BMJ Open [Internet]. 2019 [citado em 10 nov 2020]; 9(5):e026853. DOI: https://doi.org/10.1136/bmjopen-2018-026853

Puga MAM, Bandeira LM, Pompilio MA, Rezende GR, Soares LS, de Castro VOL, et al. Screening for HBV, HCV, HIV and syphilis infections among bacteriologically confirmed tuberculosis prisoners: an urgent action required. PLoS One [Internet]. 2019 [citado em 17 abr 2021]; 14(8):e0221265. DOI:https://doi.org/journal.pone.0221265

Montaño K, Flores A, Villarroel-Torrico M, Cossio N, Salcedo-Meneses A, Valencia-Rivero C, et al. Rapid diagnostic testing to improve access to screening for syphilis in prison. Rev Esp Sanid Penit. Internet]. 2018 [citado em 10 nov 2020]; 20(3):81-6. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6463320/pdf/1575-0620-sanipe-20-03-81.pdf

Casares-López MJ, González-Menéndez A, Bobes-Bascarán MT, Secades R, Martínez-Cordero A, Bobes J. Necesidad de evaluación de la patología dual en contexto penitenciario [Need for the assessment of dual diagnosis in prisons]. Adicciones [Internet]. 2011 [citado em 14 nov 2020]; 23(1):37-44. Disponível em: https://www.adicciones.es/index.php/adicciones/article/view/165/165

Davis DM, Bello JK, Rottnek F. Care of incarcerated patients. Am Fam Physician [Internet]. 2018 [citado em 17 abr 2021]; 98(10):577-83. Disponível em: https://www.aafp.org/afp/2018/1115/afp20181115p577.pdf

Voller F, Silvestri C, Martino G, Fanti E, Bazzerla G, Ferrari F, et al. Health conditions of inmates in Italy. BMC Public Health [Internet]. 2016 [citado em 17 abr 2021]; 16(1):1162. DOI: https://doi.org /10.1186/s12889-016-3830-2

Opitz-Welke A, Lehmann M, Seidel P, Konrad N. Medicine in the penal system. Dtsch Arztebl Int [Internet]. 2018 [citado em 17 abr 2021]; 115(48):808-14. DOI: https://doi.org /10.3238/arztebl.2018.0808

Santos MM, Barros CRS, Andreoli SB. Fatores associados à depressão em homens e mulheres presos. Rev Bras Epidemiol. [Internet]. 2019[citado em 10 nov 2020]; 22:E190051. DOI: https://doi.org/10.1590/1980-549720190051

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Panorama: Caçador [Internet]. Rio de Janeiro: IBGE; [2017] [citado em 17 nov 2020]. Disponível em https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sc/cacador/panorama

Ministério da Justiça (Brasil). Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. INFOPEN 2016 [Internet] Brasília, DF: Ministério da Justiça; 2017 [citado em 28 set 2021]. 65p. Disponível em: https://www.conjur.com.br/dl/infopen-levantamento.pdf

Ministério da Justiça (Brasil), Departamento Nacional. Relatório de gestão do exercício de 2015 [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Justiça; 2016 [citado em 28 set 2021]. 161p. Disponível em: https://www.gov.br/depen/pt-br/acesso-a-informacao/auditorias/relatorio_de_gestao_contas_2015_depen.pdf

Rocha KB. Promovendo o acesso a testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites B e C em um Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA): resultados preliminares [Internet]. In: IX Congresso da SBDST e V Congresso Brasileiro de AIDS; 2013; Salvador. Salvador: SBDST; 2013 [citado em 15 nov 2020]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/centros_testagem_aconselhamento_brasil.pdf

Felisberto M, Saretto AA, Wopereis S, Machado MJ, Spada C.

Prevalence of HCV infection in a prison population of the greater Florianópolis area. Rev Soc Bras Med Trop. [Internet]. 2019 [citado em 05 nov 2020]; 52:e20190143. DOI: https://doi.org/10.1590/0037-8682-0143-2019

Fazel S, Seewald K. Severe mental illness in 33,588 prisoners worldwide: systematic review and meta-regression analysis. Br J Psychiatry [Internet]. 2012 [citado em 30 out 2020]; 200(5):364-73. DOI: https://doi.org/10.1192/bjp.bp.111.096370

Lowe DJE, Sasiadek JD, Coles AS, George TP. Cannabis and mental illness: a review. Eur Arch Psychiatry Clin Neurosci. [Internet]. 2019 [citado em 12 nov 2020]; 269(1):107-120. DOI: https://doi.org/ 10.1007/s00406-018-0970-7

Lev-Ran S, Roerecke M, Le Foll B, George TP, McKenzie K, Rehm J. The association between cannabis use and depression: a systematic review and meta-analysis of longitudinal studies. Psychol Med. [Internet]. 2014 [citado em 12 nov 2020]; 44(4):797-810. DOI: https://doi.org/ 10.1017/S0033291713001438

Damas FB, Oliveira WF. A saúde mental nas prisões de Santa Catarina, Brasil. Cad Bras Saúde Mental [Internet]. 2013 [citado em 12 nov 2020]; 5(12):1-24. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/68595/41300

Torrens M, Gilchrist G, Domingo-Salvany A. Psychiatric comorbidity in illicit drug users: substance-induced versus independent disorders. Drug Alcohol Depend [Internet]. 2011 [citado em 12 nov 2020]; 113(2-3):147-56. DOI: https://doi.org/ 10.1016/j.drugalcdep.2010.07.013

Boschloo L, Vogelzangs N, Smit JH, Den Brink W, Veltman DJ, Beekman ATF, et al. Comorbidity and risk indicators for alcohol use disorders among persons with anxiety and/or depressive disorders: findings from the Netherlands Study of Depression and Anxiety (NESDA). J Affect Disord. [Internet]. 2011 [citado em 12 nov 2020]; 131(1-3):233-42. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jad.2010.12.014

Dvorak RD, Lamis DA, Malone, PS. Alcohol use, depressive symptoms, and impulsivity as risk factors for suicide proneness among college students. J Affect Disord. [Internet]. 2013 [citado em 14 nov 2020]; 149(1-3):326-34. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jad.2013.01.046

Publicado

2021-12-19

Edição

Seção

Artigos originais