Itinerários terapêuticos de familiares na atenção psicossocial infantojuvenil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18554/refacs.v10i1.5152

Palavras-chave:

Acesso aos cuidados de saúde, Atenção integral à saúde da criança e do adolescente, Família, Saúde mental

Resumo

Trata-se de um estudo exploratório descritivo, de abordagem qualitativa, realizado em dezembro de 2017, na Região Norte do Distrito Federal, com o objetivo de conhecer o itinerário terapêutico de famílias e usuários de um Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil. Utilizou-se entrevistas semiestruturadas e audiogravadas e os dados foram submetidos à análise de conteúdo temático. Participaram 12 familiares-cuidadores, na sua maioria mulheres. Foram evidenciadas duas categorias temáticas e suas subcategorias: O sistema informal de cuidado: família, recursos alternativos e rede comunitária (O contexto de cuidado familiar; Busca de apoio em recursos alternativos do sistema folk e rede comunitária), e O sistema formal de cuidado: ações intersetoriais (A escola como rede de apoio para a promoção e o desenvolvimento da criança e do adolescente e o cuidado ampliado em saúde; e Rede de Atenção Psicossocial e a rede intersetorial). Verificou-se no sistema informal um contexto de vulnerabilidade social e resiliência dos familiares, tendência inicial de busca de apoio espiritual e desafios na utilização dos recursos comunitários para inclusão social. No sistema formal, árdua peregrinação nos serviços, fragmentação e desarticulação intersetorial e relevância do atendimento no Centro de Atenção Psicossocial. Aponta-se a necessidade do fortalecimento e articulação dos sistemas informal e formal, bem como ações de capacitação profissional e expansão da rede de serviços, para ampliar o acesso e a qualificação da atenção psicossocial infantojuvenil.

Biografia do Autor

Luana Maria da Paz, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH)

Enfermeira. Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), Brasília, Distrito Federal, Brasil.

 

Maria da Glória Lima, Universidade de Brasília (UnB)

Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Professora Associada do Curso de Enfermagem da Universidade de Brasília, Distrito Federal. Brasil. 

Maria Aparecida Gussi, Universidade de Brasília (UnB)

Enfermeira, Doutora em Ciências da Saúde. Docente, Universidade de Brasília, Distrito Federal. Brasil.

Ângela Maria Rosas Cardoso, Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)

Graduada em Enfermagem, Mestre em Enfermagem, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Bióetica da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília, Enfermeira, Docente do Curso de Graduação em Enfermagem da Escola Superior de Ciências da Saúde, Brasília, Distrito Federal, Brasil.

Referências

Couto MCV, Delgado PGG. Crianças e adolescentes na agenda política da saúde mental brasileira: inclusão tardia, desafios atuais. Psicol Clin. [Internet]. 2015 [citado em 20 set 2020]; 27(1):17-40. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0103-56652015000100002

Ministério da Saúde (Brasil), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Especilizada e Temática, Coordenação-Geral de saúde mental, álcool e outras drogas. Atenção psicossocial a crianças e adolescentes no SUS: tecendo redes para garantir direitos [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2014 [citado em 30 set 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_psicossocial_criancas_adolescentes_sus.pdf

Ministério da Saúde (Brasil), Gabinete do Ministro. Portaria nº 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) [Internet]. Brasília, DF, 23 dez 2011 [citado em 07 jul 2020]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt3088_23_12_2011_rep.html

Skokauskas N, Fung D, Flaherty LT, Klitzing KV, Puras D, Servili C, et al. Shaping the future of child and adolescent psychiatry. Child Adolesc Psychiatry Ment Health [Internet]. 2019 [citado em 30 set 2020]; 13:19. DOI: https://doi.org/10.1186/s13034-019-0279-y

Polanczyk GV, Salum GA, Sugaya LS, Caye A, Rohde LA. Annual research review: a meta-analysis of the worldwide prevalence of mental disorders in children and adolescents. J Child Psychol Psychiatr. [Internet]. 2015 [citado em 30 set 2020]; 56(3):345-65. DOI: https://doi.org/10.1111/jcpp.12381

Maison CL, Munhos TN, Santos IS, Anselmi L, Barros FC, Matijasevich A. Prevalence and risk factors of psychiatric disorders in early adolescence: 2004 Pelotas (Brazil) birth cohort. Soc Psychiatr Psychiatr Epidemiol. [Internet]. 2018 [citado em 29 set 2020]; 53:685-97. DOI: https://doi.org/10.1007/s00127-018-1516-z

Lima DKRR, Guimarães J. Articulação da Rede de Atenção Psicossocial e continuidade do cuidado em território: problematizando possíveis relações. Physis [Internet]. 2019 [citado em 11 jun 2020]; 29(3):e290310. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0103-73312019290310

Cardoso MRO, Oliveira PTS, Piani PPF, Moreira ACG. O caminho trilhado por usuários de um Centro de Atenção Psicossocial do Estado do Pará: construindo itinerários na busca do cuidado. Mental [Internet]. 2017 [citado em 08 ago 2020]; 11(20):91-116. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/mental/v11n20/v11n20a06.pdf

Gerhardt TE, Pinheiro R, Ruiz ENC, Silva Junior AG, organizadores. Itinerários terapêuticos: integralidade no cuidado, avaliação e formação em saúde [Internet]. Rio de Janeiro: Centro de Estudos e Pesquisa em Saúde Coletiva, Instituto de Medicina Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro/Abrasco; 2016. 437p. Disponível em: https://www.cepesc.org.br/wp-content/uploads/2017/07/livro-itinerarios-terapeuticos-1.pdf

Kleinman A. Concepts and a model for the comparison of medical system as cultural system. Soc Sci Med. [Internet]. 1978 [citado em 30 set 2020]; 12:85-93. DOI: https://doi.org/10.1016/0160-7987(78)90014-5

Urquiza MA, Marques DB. Análise de conteúdo em termos de Bardin aplicada a comunicação corporativa sob o signo de uma abordagem teórico empírica. Entretextos [Internet]. 2016 [citado em 27 set 2020]; 16(1): 115-44. DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2016v16n1p115

Delfini PSS, Bastos IT, Reis AOA. Peregrinação familiar: a busca por cuidado em saúde mental infantil. Cad Saúde Pública [Internet]. 2017 [citado em 02 ago 2020]; 33(12):e00145816. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00145816

Daltro MCSL, Moraes JC, Marsiglia RG. Cuidadores de crianças e adolescentes com transtornos mentais: mudanças na vida social, familiar e sexual. Saúde Soc. [Internet]. 2018 [citado em 30 set 2020]; 27(2):544-55. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-12902018156194

Nunes CL, Olschowsky A, Silva AB, Kantorski LP, Coimbra VCC. Saúde mental infantojuvenil: visão dos profissionais sobre desafios e possibilidades na construção de redes intersetoriais. Rev Gaúcha Enferm. [Internet]. 2019 [citado em 30 set 2020]; 40:e20180432. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2019.20180432

Reis TB, Machado RCBR, Pimenta RAF, Tacia MTGM, Sorgi GMF, Rocha EL. Vivência materna frente ao transtorno mental de crianças e adolescentes. Rev Soc Bras Enferm Ped. [Internet]. 2015 [citado em 13 jul 2020]; 15(2):102-7. Disponível em: https://sobep.org.br/revista/images/stories/pdf-revista/vol15-n2/vol_15_n_2-artigo-de-pesquisa-3.pdf

Buriola AA, Vicente JB, Zurita RCM, Marcon SS. Sobrecarga dos cuidadores de crianças ou adolescentes que sofrem transtorno mental no município de Maringá - Paraná. Esc Anna Nery Rev Enf. [Internet]. 2016 [citado em 30 set 2020]; 20(2):344-51. DOI: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20160047

Zerbetto SR, Gonçalves AMS, Santile N, Galera SAF, Acorinte AC, Giovannetti G. Religiosidade e espiritualidade: mecanismos de influência positiva sobre a vida e tratamento do alcoolista. Esc Anna Nery Rev Enf. [Internet]. 2017 [citado em 27 set 2020]; 21(1):e20170005. DOI: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20170005

Vicente JB, Higarashi IH, Furtado MCC. Mental disorder in childhood: family structure and their social relations. Esc Anna Nery Rev Enf. [Internet]. 2015 [citado em 30 set 2020]; 19(1):107-14. DOI: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20150015

Cid MFB, Squassoni CE, Gasparini DA, Fernandes LHO. Saúde mental infantil e contexto escolar: as percepções dos educadores. Pro-Posições [Internet]. 2019 [citado em 30 set 2020]; 30:1-24. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1980-6248-2017-0093

Neves AT, Donaduzzi DSS, Santos RP, Kegler JJ, Silva JH, Neves ET. O processo de inclusão de crianças com necessidades especiais de saúde na educação infantil. Rev Enferm UFSM [Internet]. 2017 [citado em 17 nov 2020]; 7(3):374-87. DOI: https://doi.org/10.5902/2179769225623

Ministério da Saúde (Brasil), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Linha de Cuidado para a Atenção às Pessoas com Transtornos do Espectro do Autismo e suas Famílias na Rede de Atenção Psicossocial do Sistema Único de Saúde [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2015 [citado em 20 jul 2020]. 156p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/linha_cuidado_atencao_pessoas_transtorno.pdf

Teixeira MR, Couto MCV, Delgado PGG. Atenção básica e cuidado colaborativo na atenção psicossocial de crianças e adolescentes: facilitadores e barreiras. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2017 [citado em 10 set 2020]; 22(6):1933-42. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232017226.06892016

Governo do Distrito Federal (Brasil), Secretaria de estado de Saúde do Distrito Federal, Coordenação de Atenção Secundária e Integração de Serviços, Diretoria de Serviços de Saúde Mental. Nota técnica SEI-GDF nº 1/2018 – SES/SAIS/COASIS/DISSAM. Brasília, DF: DISSAM; 2018.

Ministério da Saúde (Brasil), Departamento de Ações Programáticas Estratégicas, Departamento de Atenção Básica, Secretaria de Atenção à Saúde. Saúde mental [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2013 [citado em 29 set. 2020]. 171p. (Cadernos de atenção básica; 34). Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_34.pdf

Morais R, Couto MCV, Faria DLS, Modena CM. O atendimento à crise e urgência no Centro de Atenção Psicossocial para crianças e adolescentes de Betim. Pesqui Prát Psicossociais [Internet]. 2019 [citado em 28 set 2020; 14(1):1-15. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/ppp/v14n1/13.pdf

Krauser C, Scherer ZAP, Bueno GAS. Transtornos do comportamento: conhecimentos e ações de profissionais de saúde e assistência social. Rev Bras Enferm. [Internet]. 2020 [citado em 15 jul 2020]; 73(1):e20180071. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0071

Braga CP, D’Oliveira AFPL. Políticas públicas na atenção à saúde mental de crianças e adolescentes: percurso histórico e caminhos de participação. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2019 [citado em 10 set 2020]; 24(2):401-10. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018242.30582016

Publicado

2021-12-19

Edição

Seção

Artigos originais