Quimioterápicos antineoplásicos intravenosos: conhecimento de enfermeiros intensivistas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18554/refacs.v10i1.5305

Palavras-chave:

Cuidados de enfermagem, Riscos ocupacionais, Antineoplásicos, Unidades de terapia intensiva, Cuidados críticos.

Resumo

Este é um estudo transversal, descritivo, exploratório, realizado em uma Unidade de Terapia Intensiva de um hospital universitário em 2018, com o objetivo de identificar o conhecimento dos enfermeiros acerca da administração e descarte de quimioterápicos antineoplásicos intravenosos. Utilizou-se questionário autoaplicável, com três partes: (caracterização, administração e descarte). A análise foi realizada por estatística descritiva e aplicação do teste de hipótese de Wilcoxon. Participaram 20 enfermeiros, das quais: 90% do sexo feminino; 70% com idade entre 20 a 30 anos; 40% com 1 a 5 anos de formação; 40% possuíam especialização e destes, 62,5% em terapia intensiva; 70% possuíam um emprego e 50% trabalhavam na instituição há mais de 1 ano; todos conheciam os procedimentos a serem realizados antes da administração desses medicamentos; 95% identificaram os equipamentos de proteção individuais necessários; 90% definiram acidente ambiental e seu descarte; 85% apontaram as providências no acidente pessoal e 80% souberam caracterizá-lo; porém nenhum dos pesquisados sabiam acerca da legislação ligada a quimioterápicos antineoplásicos. Não houve diferença significativa entre erros e acertos (p valor ?0,05). Observou-se a necessidade de sensibilização e capacitação dos enfermeiros quanto às legislações referentes ao descarte e ao Kit de derramamento.

 

Biografia do Autor

Vanessa Galdino de Paula, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Mestre em Enfermagem. Doutora em Enfermagem e Biociências. Professora Assistente do Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgica.

Louise Pereira de Souza, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Especialista em Enfermagem Intensivista

Luana Ferreira de Almeida, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Mestre em Enfermagem. Doutora em Educação em Ciências e Saúde. Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgica.

Karla Biancha Silva de Andrade, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Mestre em Enfermagem. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgica.

Danielle Galdino de Paula, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Mestre em Enfermagem. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgica.

Sandra Regina Maciqueira Pereira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Mestre em Enfermagem. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgica

Referências

Ministério da Saúde (Brasil), Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Brasil). Estimativa 2020: incidência de câncer no Brasil [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2019 [citado em 13 jun 2020]. 117p. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//estimativa-2020-incidencia-de-cancer-no-brasil.pdf

Conselho Federal de Enfermagem (Brasil). Parecer N° 30/2014/COFEN/CTLN. Competência do Enfermeiro Ministrar quimioterápico antineoplásico, conforme farmacocinética da droga e protocolo terapêutico, sendo-lhe facultado o preparo de drogas quimioterápicas antineoplásicas [Internet]. Brasília, DF: COFEN; 2014 [citado em 27 set 2021]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/wp-content/uploads/2014/10/Parecer-CTLN-30-2014.pdf

Ferreira AR, Ferreira EB, Campos MCT, Reis PED, Vasques CI. Medidas de biossegurança na administração de quimioterapia antineoplásica: conhecimento dos enfermeiros. Rev Bras Cancerol. [Internet]. 2016 [citado em 20 jun 2020]; 62(2):137-45. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/169

Biskup E, Cai F, Vetter M, Marsch S. Oncological patients in the intensive care unit: prognosis, decision-making, therapies and end-of-life care. Swiss Med Wkly [Internet]. 2017 [citado em 20 jun 2020]; 147:w14481. DOI: https://dx.doi.org/10.4414/smw.2017.14481

Oliveira PP, Santos VEP, Bezerril MS, Andrade FB, Paiva RM, Silveira EAA. Segurança do paciente na administração de quimioterapia antineoplásica e imunoterápicos para tratamento oncológico: scoping review. Texto & Contexto Enferm. [Internet]. 2019 [citado em 20 jun 2020]; 28:e20180312. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2018-0312

Ministério da Saúde (Brasil), Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução - RDC Nº 36, de 25 de julho de 2013. Institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2013 [citado em 13 jun 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2013/rdc0036_25_07_2013.html

Silva ABS, Santos EM, Soriano FR, Lizarelli FL, Gomes AC, Carvalho Filho AE, et al. Análise da qualidade em serviço por meio do SERVQUAL com a aplicação do teste de Wilcoxon. Braz J Develop. [Internet]. 2018 [citado em 3 jun 2021]; 4(6):2965-77. Disponível em https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/302/261

Ministério da Saúde (Brasil), Conselho Nacional de Saúde. Resolução N° 466, de 12 de dezembro de 2012 [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2012 [citado em 13 jun 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Fernandes MNS, Beck CLC, Weiller TH, Coelho APF, Vasconcelos RO, Pai DD. Caracterização sociodemográfica e motivações de residentes multiprofissionais em saúde. REAS [Internet]. 2020 [citado 3 jun 2021]; 12(11):e4405. Disponível em: https://acervomais.com.br/index.php/saude/article/view/4405

Souza NR, Bushatsky M, Figueiredo EG, Melo JTS, Freire DA, Santos ICRV. Emergência oncológica: atuação dos enfermeiros no extravasamento de drogas quimioterápicas antineoplásicas. Esc Anna Nery Rev Enferm. [Internet]. 2017 [citado em 13 jun 2020]; 21(1): e20170009. DOI: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20170009

Ministério da Saúde (Brasil). Protocolo coordenado pelo Ministério da Saúde e ANVISA em parceria com FIOCRUZ e FHEMIG. Anexo 3: Protocolo de segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2013 [citado em 27 set 2021]. Disponível em: https://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/publicacoes/item/seguranca-na-prescricao-uso-e-administracao-de-medicamentos

Ministério da Saúde (Brasil), Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC Nº 220, de 21 de setembro de 2004. Aprova o Regulamento técnico de funcionamento dos Serviços de Terapia Antineoplásica [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2004 [citado em 13 jun 2020]. 11p. Disponível em: https://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/resolucao-rdc-n-220-de-21-de-setembro-de-2004

Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Brasil). Exposição ao risco químico na central de quimioterapia: conceitos e deveres [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2015 [citado em 01 set 2020]. (Manual de boas práticas). 32p. Disponível em: https://docs.bvsalud.org/biblioref/coleciona-sus/2015/33697/33697-1505.pdf

Borges GG, Silvino ZR, Santos LCG. Conhecimentos, atitudes e práticas dos enfermeiros na central de quimioterapia frente ao risco químico. Enferm Atual [Internet]. 2016 [citado em 13 jun 2020]; 77:29-36. DOI: https://doi.org/10.31011/reaid-2016-v.77-n.15-art.371

Costa AG, Costa MSCR, Ferreira ES, Sousa PC, Santos MM, Lima DEOB, et al. Conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre segurança do paciente oncológico em quimioterapia. Rev Bras Cancerol. [Internet]. 2019 [citado em 01 set 2020]; 65(1):e-04274. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/274

Ferreira AR, Vasques CI. Avaliação do conhecimento de enfermeiros sobre medidas de biossegurança na administração de antioneoplásicos: estudo transversal. [monografia]. Brasília, DF: Universidade de Brasília; 2015. 17p.

Ministério da Saúde (Brasil), Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária Nº 222 de 28 de março de 2018. Regulamenta as Boas Práticas de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e dá outras providências [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2018 [citado em 01 set 2020]. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33880/2568070/res0306_07_12_2004.pdf/95eac678- d441-4033-a5ab-f0276d56aaa6

Ministério da Saúde (Brasil), Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução Nº 306, de 7 de dezembro de 2004 [Internet]. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2004 [citado em 01 set 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2004/res0306_07_12_2004.html

Sangoi TP, Gehlen MH, Stobäus CD. Riscos ocupacionais para trabalhadores da enfermagem em oncologia: uma revisão narrativa. Discipl Scientia Saúde [Internet]. 2016 [citado em 01 set 2020]; 17(2):301-17. Disponível em: https://periodicos.ufn.edu.br/index.php/disciplinarumS/article/view/2038/1884

Publicado

2021-12-19

Edição

Seção

Artigos originais