Práticas colaborativas em unidades básicas de saúde e o papel da gerência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18554/refacs.v10i2.5414

Palavras-chave:

Administração de Serviços de Saúde, Equipe de Assistência ao Paciente, Atenção Primária à Saúde, Comportamento cooperativo

Resumo

Objetivo: analisar as práticas colaborativas e estratégias utilizadas pela gerência na atenção primária à saúde. Método: estudo qualitativo, realizado em 2019, por meio de entrevistas com gerentes em um município do norte do Paraná. Os dados foram interpretados pela análise de discurso e discutidos com base no referencial teórico da Prática Colaborativa. Resultados: Participaram cinco gerentes uma de cada região da cidade e organizou-se quatro categorias: Práticas colaborativas na atenção básica; Papel do gerente na promoção de práticas colaborativas; Incipiente participação do usuário na construção de práticas colaborativas; e Situações que interferem na consolidação das práticas colaborativas. Conclusão: demonstrou-se a presença das práticas colaborativas, de modo que as gerentes utilizavam principalmente as estratégias: liberação de agenda profissional, articulação de espaços para matriciamento e debates do processo de trabalho, feedbacks individuais e organização da logística.

Referências

Duarte EC, Barreto SM. Transição demográfica e epidemiológica: a epidemiologia e serviços de saúde revisita e atualiza o tema. Epidemiol Serv Saúde [Internet]. 2012 [citado em 29 abr 2021]; 21(4):529-32. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742012000400001

Peduzzi M, Agreli HF. Trabalho em equipe e prática colaborativa na atenção primária à saúde. Interface (Botucatu) [Internet]. 2018 [citado em 29 abr 2021]; 22(Suppl 2):1525-34. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0827

D’Amour D, Goulet L, Labadie JF, Rodriguez MLS, Pineault R. A model and typology of collaboration between professionals in healthcare organizations. BMC Health Serv Res. [Internet]. 2008 [citado em 19 abr 2021]; 8(188):1-14. Disponível em: https://bmchealthservres.biomedcentral.com/track/pdf/10.1186/1472-6963-8-188.pdf

Carvalho BG. Coordenação de Unidade na Atenção Básica no SUS: Trabalho, Interação e Conflitos. [tese]. Sao Paulo, SP: Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, São Paulo; 2012. 300p.

IBGE | Cidades@ | Paraná | Londrina | Panorama [Internet]. 2021 .[citado em 4 maio 2021]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/londrina/panorama

Martins J, Bicudo M. A pesquisa qualitativa em Psicologia: fundamento e recursos básicos. 5. ed. São Paulo: Centauro, 2005. 110p.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Portaria nº. 648, de 28 de março de 2006. Brasilia, v. 143, n. 61, 2006. Seção 1: 71-76.

Araujo Neto, Albuquerque JD, Napoleao IM, Vasconcelos LG, Magalhães ML. Aspectos restritivos à integralidade nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família: o olhar dos stakeholders. Physis [Internet]. 2018 [citado em 30 abr 2021]; 28(4):e280417. DOI: https://doi.org/10.1590/s0103-73312018280417

Mazza DAA, Carvalho BG, Carvalho MN, Mendonça FF. Práticas colaborativas em núcleos ampliados de saúde da família e atenção básica. Saude e Pesqui. [Internet]. 2022 [citado em 14 abr 2021]; 15(1):e-9566. DOI: 10.17765/2176-9206.2022v15n1.e9566

Souza GC, Peduzzi M, Silva JAlM, Carvalho BG. Teamwork in nursing: restricted to nursing professionals or an interprofessional collaboration? Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2016 [citado em 30 abr 2021]; 50(4):642-9. DOI: https://doi.org/10.1590/S0080623420160000500015

Laccort AA, Oliveira GB. A importância do trabalho em equipe no contexto da enfermagem. Uningá Review Journal [Internet]. 2017 [citado em 14 abr 2021]; 29(3):6-10. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1976/1572

Mello ALSF, Andrade SR, Moyses SJ, Erdmann AL. Saúde bucal na rede de atenção e processo de regionalização. Ciência & Saúde Coletiva [Internet]. 2014 [citado em 30 abr 2021]: 205-14. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232014191.1748

Mazza DAA, Carvalho BG, Carvalho MN, Mendonça FF. Aspectos macro e micropolíticos na organização do trabalho no NASF: o que a produção científica revela?. Physis [Internet]. 2020 [citado em 30 abr 2021]; 30(4):e300405. DOI: https://doi.org/10.1590/s0103-73312020300405

Pena Júnior JB, Curcio F, Borges N. A relevância dos saberes gerenciais do enfermeiro na estratégia saúde da família: uma revisão de literatura. Múltiplos Acessos [Internet]. 2021; [citado em 28 abr 2021]; 5(2):152-66. Disponível em: :http://www.multiplosacessos.com/multaccess/index.php/multaccess/article/view/166

Bispo Júnior JP, Moreira DC. Núcleos de Apoio à Saúde da Família: concepções, implicações e desafios para o apoio matricial. Trab Educ Saúde. [internet]. 2018; [citado em 05 maio 2021]:683-702. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00122

Oliveira IF, AMO, Paiva RA, Oliveira KSA, Nascimento MNC, Araújo RL. The role of the psychologist in NASF: challenges and perspectives in primary health care. Temas Psicol. [Internet]. 2017 [citado em 30 abr 2021]; 25(1):291-304. DOI: http://dx.doi.org/10.9788/TP2017.1-17Pt

Morgan S, Pullon S, McKinlay E. Observation of interprofessional collaborative practice in primary care teams: an integrative literature review. Int J Nurs Stud. [Internet]. 2015 [citado em 30 abr 2021]; 0452(7):1217-30. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ijnurstu.2015.03.008

Agreli HF, Peduzzi M, Silva MC. Atenção centrada no paciente na prática interprofissional colaborativa. Interface (Botucatu) [Internet]. 2016 [citado em 01 maio 2021]; 20(59):905-16. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622015.0511

Araújo EMD, Galimbertti PA. A colaboração interprofissional na estratégia saúde da família. Psicol Soc. [Internet]. 2013 [citado em 11 abr 2021]; 25(2):461-8. Disponível em: https://www.scielo.br/j/psoc/a/vFKZFXT58XWLj6sdKXhDP3w/?format=pdf&lang=pt

Matuda CG, Pinto NRS, Martins CL, Frazão P. Colaboração interprofissional na Estratégia Saúde da Família: implicações para a produção do cuidado e a gestão do trabalho. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2015. [citado em 01 maio 2021]; 20(8):2511-21. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015208.11652014

Costa DAS, Silva RF, Lima VV, Ribeiro ECO. Diretrizes curriculares nacionais das profissões da Saúde 2001-2004: análise à luz das teorias de desenvolvimento curricular. Interface. [Internet]. 2018 [citado em 01 maio 2021]; 22(67):1183-95. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0376

Souza GC, Peduzzi MS, Alcântara JM, Carvalho BG. Teamwork in nursing: restricted to nursing professionals or an interprofessional collaboration?. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2016. [citado em 01 maio 2021]; 50(4):642. DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-623420160000500015

Costa MV, Freire Filho JR, Brandão C, Silva JAM. A Educação e o trabalho interprofissional alinhados ao compromisso histórico de fortalecimento e consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS). Interface (Botucatu, Online) [Internet]. 2018 [citado em 01 maio 2021]; 22(Suppl 2):1507-10 DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622018.0636

Domingos CM, Nunes EFPA, Carvalho BG. Potencialidades da Residência Multiprofissional em Saúde da Família: o olhar do trabalhador de saúde. Interface (Botucatu, Online) [Internet]. 2015 [citado em 01 maio 2021]; 19(55):1221-32. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622014.0653

Publicado

2022-06-01

Edição

Seção

Artigos originais