QUALIDADE DE VIDA, INDICATIVO DE DEPRESSÃO E NÚMERO DE MORBIDADES DE IDOSOS DA ZONA RURAL

Leiner Resende Rodrigues, Darlene Mara dos Santos Tavares, Fabíola Cristina Oliveira Silveira, Flavia Aparecida Dias, Nayara Paula Fernandes Martins

Resumo


Objetivou-se caracterizar os idosos com indicativo de depressão, mensurar a qualidade de vida e correlacionar os escores de qualidade de vida com o número de morbidades. Estudo transversal, tipo inquérito domiciliar na zona rural de Uberaba-MG, com 187 idosos com indicativo de depressão. A análise estatística foi realizada no software SPSS, versão 17.0 por meio de correlação de Pearson (p<0,05). Projeto aprovado pelo CEP da UFTM, nº 1477. Prevaleceram as mulheres, 60├70 anos, casados, moravam somente com cônjuge, 4├8 anos de estudo e renda individual mensal de um salário mínimo. Quanto maior o número de morbidades menores os escores nos domínio físico, psicológico e meio ambiente, e facetas atividades passadas, presentes e futuras e participação social. Sugere-se um planejamento mais efetivo e especifico junto à atenção básica de saúde, com vistas a melhoria da qualidade de vida e saúde desses idosos.


Texto completo:

PDF

Referências


Barcelos-Ferreira, R. Depressive morbidity and gender in community-dwelling Brazilian elderly: systematic review and meta-analysis. International. Psychogeriatrics, Cambridge, v. 22, n. 5, p.712–726, 2010.

Organización Mundial de la Salud. Salud mental: la depresión. Nota descriptiva N°369. Ginebra, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2014.

The Whoqol Group. The development of the World Health Organization Quality of Life Assessment Instrument (the WHOQOL). In: Orley J, Kuyken W. Quality of life assessment: international perspectives. Heidelberg: Springer Verlag; 1994. p. 41-60.

Gameiro GR, Minguini IP, Alves TCTF. The role of stress and life events in the onset of depression in the elderly. Rev Med (São Paulo). 2014 jan.-mar.;93(1):31-40.

Inouye K, Barham EJ, Pedrazzani ES, Pavarini SCI. Percepções de suporte familiar e qualidade de vida entre idosos segundo a vulnerabilidade social. Psicol Refl Crít 2010; 23:582-92.

Irigaray TQ, Trentini CM. Qualidade de vida em idosas: a importância da dimensão subjetiva. Estud Psicol (Campinas) 2009; 26:297-304.

Trentini CM, Chachamovich E, Wagner GP, Müller DH, Hirakata VN, Fleck MPA. Quality of life (QoL) in a Brazilian sample of older adults: the role of sociodemographic variables and depression symptoms. Appl Res Qual Life 2011; 6:291-309.

Blay SL, Marchesoni MSM. Association among physical, psychiatric and socioeconomic conditions and WHOQOL-Bref scores. Cad. Saúde Pública vol.27 no.4 Rio de Janeiro abr 2011.

Azevedo ALS, Silva RA, Tomasi E, Quevedo LA. Doenças crônicas e qualidade de vida na atenção primária à saúde. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 29(9):1774-1782, set, 2013.

Gao S, Jin Y, Unverzagt FW, Ling C, Hall KD, Ma F.; et al. Correlates of depressive symptoms in rural elderly Chinese. International Journal of Geriatric Psychiatry, Chichester, 24(12):1358–1366, 2009.

Guerra M, Ferri CP, Sosa AL, Salas A, Gaona C, Gonzales V.; et al.Late-life depression in Peru, Mexico and Venezuela: 10/66 population - based study. The British Journal of Psychiatry, Londres, supl. 195:510-515, 2009.

Morais EP, Rodrigues RAP, Gerhardt TE. Os idosos mais velhos no meio rural: realidade de vida e saúde de uma população do interior gaúcho. Texto Contexto Enfermagem. 2008; 17 (2): 374-83.

Tavares DMS, Santos LL, Dias FA, Ferreira PCS, Feliciano EAO, Mesquita JSN. Comparação das características sociodemográficas de saúde e qualidade de vida de idosos rurais segundo sexo. REAS [Internet]. 2013; 2(1):32-46.

Bertolucci PHF, Brucki SMD, Campacci SR, Juliano Y. O Mini--Exame do Estado Mental em uma população geral: impacto da escolaridade. Arq Neuropsiquiatr. 1994; 52(1):1-7.

Ramos LR. Growing old in São Paulo, Brazil: assessment of healthstatus and family support of the elderly of different socio--economic strata living in the community [thesis]. London: London School of Hygiene and Tropical; 1987.

Fleck MPA, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, Santos L, et al. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida WHOQOL-bref. Rev Saude Publica. 2000; 34:178-83.

Fleck MPA, Chachamovich E, Trentini C. Development and validation of the Portuguese version of the WHOQOL-OLD module. Rev Saude Publica. 2006; 40:785-91.

Frank MH, Rodrigues NL. Depressão, ansiedade, outros distúrbios afetivos e suicídio. In: Freitas EV, Py L, Neri AL, Cançado FAXC, Gorzoni ML, Doll J. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2006. p. 376-87.

DIEESE. Departamento intersindical de estatística e estudos sócioeconômicos. [online] [acesso 07 nov 2014]. Disponível em: http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html#2010

Lima AFBS, Fleck MPA. Qualidade de vida e depressão: uma revisão de literatura. Rev. psiquiatr. Rio Gd. Sul [online]. 2009, vol.31, n.3, suppl., pp. 0-0. ISSN 0101-8108. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-81082009000400002.




DOI: https://doi.org/10.18554/

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/