COMPARAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS SOCIODEMOGRÁFICAS DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS RURAIS SEGUNDO SEXO

Darlene Mara dos Santos Tavares, Leticia Lima Santos, Flavia Aparecida Dias, Pollyana Cristina dos Santos Ferreira, Janaína Santos Nascimento Mesquita, Elimar Adriana de Oliveira

Resumo


Objetivou-se comparar as características sociodemográficas, econômicas, de saúde e aqualidade de vida (QV) de idosos residentes na zona rural segundo o sexo. Trata-se deinquérito domiciliar e transversal. Foram entrevistados 850 idosos no domicílio com osinstrumentos: parte do Questionário Brasileiro de Avaliação Funcional Multidimensional,World Health Organization Quality of Life – BREF e World Health Organization Quality ofLife Assessment for Older Adults. Utilizaram-se os testes qui quadrado e t-Student (p<0,05).Em ambos os grupos prevaleceram aqueles com 60 a 69 anos, casados, 4 a 7 anos de estudo erenda média de um salário mínimo. As mulheres autorreferiram maior número de morbidadese menores escores de QV do que os homens. Os profissionais de saúde podem contribuirnestes aspectos por meio de ações direcionadas ao monitoramento da saúde e identificaçãodos fatores que têm contribuído para a menor QV entre as mulheres.

Descritores: Idoso; Saúde da População Rural; Qualidade de Vida.


Texto completo:

PDF

Referências


Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de indicadores sociais uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro; 2012. [Acesso em 13/04/2013]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/indicadoresminimos/sinteseindicsociais2012/default.shtm.

MARTINS, C.R.; ALBUQUERQUE, F. J. B; GOUVEIA, C. N. N.; RODRIGUES, C. F. F.; NEVES, M. T. S. Avaliação da qualidade de vida subjetiva dos idosos: uma comparação entre os residentes em cidades rurais e urbanas. Estudo Interdisciplinar do envelhecimento. Porto Alegre. v. 11, p. 135-154, 2007.

CELICH, S. L. K. Domínios de qualidade de vida e capacidade para a tomada de decisão em idosos participantes de grupos de terceira idade. 2008. 106. Tese (doutorado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Instituto de Geriatria e Gerontologia. Porto Alegre, 2008.

CELICH, S. L. K.; CREUTZBERG, M.; GOLDIM, J. R.; GOMES, I. Envelhecimento com qualidade de vida: a percepção de idosos participantes de grupos de terceira idade. Revista Mineira de Enfermagem. v. 14, n.2, p.226-232, 2010.

THE WHOQOL GROUP. The development of the World Health Organization Quality of Life Assessment Instrument (the WHOQOL). In: Orley J, Kuyken W. Quality of life assessment: international perspectives. Heidelberg: Springer Verlag; 1994. p. 41-60.

SCHERER, F.; VIERA, J.L.C. Estado nutricional e sua associação com risco cardiovascular e síndrome metabólica em idosos. Revista Nutricional de Campinas, 2010, v. 23, n.3, p.347-355.

RODRIGUES, R.A.P.; PEDRAZZI, E.C.; SCHIAVETO, F. V. Morbidade referida e capacidade funcional de idoso. Ciência, Cuidado e Saúde, 2007, v. 6, n.4, p. 407-413.

DAL PIZZOL, T. S. et al. Uso de medicamentos entre idosos residentes em áreas urbanas e rurais de município no Sul do Brasil: um estudo de base populacional. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 28, n. 1, p.104-114, 2012.

MORAIS, E. P.; RODRIGUES, R.A.P.; GERHARDT, T.E. Os idosos mais velhos no meio rural: realidade de vida e saúde de uma população do interior gaúcho. Texto Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 17, n. 2, p. 374-83, 2008.

PEREIRA, R. J. et al. Contribuição dos domínios físico, social, psicológico e ambiental para a qualidade de vida global de Idosos. Revista de psiquiatria do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 28, n.1, p. 27-38, 2006.

FALLER, J.W.; MELO, W. A.; VERSA, G. L. G. S.; MAARLON, S. S. Qualidade de Vida de Idosos cadastrados na Estratégia Saúde da Família de Foz do Iguaçu-PR. Escola Anna Nery, Rio de Janeiro, v 14, n. 4, dezembro de 2010.

BERTOLUCCI, P. H. F.; BRUCKI, S. M. D.; CAMPACCI, S. R.; JULIANO, Y. O mini-exame do estado mental em uma população geral: impacto da escolaridade. Arquivo de Neuropsiquiatria. v.52, p.1-7, 1994.

RAMOS, L. R. Growing old in São Paulo, Brazil. Assessment of Health status and family support of the elderly of different socio-economic strata living in the community. London, England, 1987. 327 p. Theses (Doctor) London School of Hygiene and Tropical Medicine. London, 1987.

FLECK, M. P. A.; LOUZADA, S.; XAVIER, M.; CHACHAMOVICH, E.; VIEIRA, G.; SANTOS, L. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida “WHOQOL-bref”. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v.34, n.2, p.178-83, 2000.

FLECK, M. P. A.; CHACHAMOVICH, E.; TRENTINI, C. Development and validation of the Portuguese version of the WHOQOL-OLD module. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v.40, n.5, p. 785-91, 2006.

RIGO, I.I.; PASKULIN, L. M. G.; MORAIS, E. P. Capacidade funcio¬nal de idosos de uma comunidade rural do Rio Gran¬de do Sul. Revista Gaúcha de Enfermagem, 2010, v. 31, n.2, p. 254-262.

FOCCHESATO, A. Fatores de risco e proteção para o desenvolvimento de doenças crônicas na população idosa rural da Linha Senador Ramiro, 2009. 56. Trabalho de conclusão de curso de graduação em Nutrição: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Rio Grande do Sul, 2009.

COLLETE, V. L.; ARAUJO, C. L.; MADRUGA, S. W. Prevalência e fatores associados à constipação intestinal: um estudo de base populacional em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, 2007. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 26, n. 7, July 2010.

Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SOB). Informe 1. Briefing do Dia Mundial da Visão: Campanha de Prevenção do Glaucoma. Disponíve em:. Acesso em: 12 de março de 2013.

Anuário Estatístico da Previdência Social/Ministério da Previdência Social, Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social – Ano 1 (1988/1992) – Brasília: MPS/DATAPREV, 2011.




DOI: https://doi.org/10.18554/

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/