OS EFEITOS DAS ATIVIDADES MUSICAIS COMO MODALIDADE ALTERNATIVA DE CUIDADO EM SAÚDE MENTAL

Aline Siqueira Almeida, Mônica Rodrigues da Silva

Resumo


Introdução: A música é uma forma alternativa de assistência ao paciente em sofrimento mental por possibilitar uma melhor qualidade de vida mostrando que seu tratamento pode ir além das atitudes usuais. Objetivo: Verificar a importância de práticas alternativas, fundadas em elementos sonoros-rítmicos-musicais que podem funcionar como atividade terapêutica para pessoas com transtornos mentais. Metodologia: abordagem qualitativa, constituída em duas etapas – análise do comportamento e método de análise do discurso. Incluíram-se oito pacientes do setor de Psiquiatria de um hospital universitário no período de setembro a novembro de 2010, que quiseram participar da oficina musical e foram autorizados por seus familiares. Resultado: de todos os participantes apenas um não modificou positivamente seu comportamento junto à música. Conclusão: a ação da música sobre o paciente envolve reações sensoriais, hormonais, fisiomotoras e psicológicas, não havendo fragmentação entre seus efeitos, tratando não só a doença, mas o indivíduo como ser humano.

Descritores: Transtornos Mentais; Assistência; Enfermagem; Música.

Texto completo:

PDF

Referências


- Furegato, ARF. Relações Interpessoais Terapêuticas na Enfermagem. Ribeirão Preto 1999; Scala, p142.

- Trovo MM et al. Terapias alternativas/complementares no ensino público e privado: Análise do conhecimento dos acadêmicos de enfermagem; Revista Latino-am Enfermagem, São Paulo, 2003; v.11, n.4, p.483-489.

- Andrade, LR., Pedrão, JL. Algumas considerações sobre a utilização de modalidades terapêuticas não tradicionais pelo enfermeiro na assistência de enfermagem psiquiátrica; Revista Latino-am Enfermagem. 2005; v.13, n.5, p.737-742.

- Villela, CS., Scatena, MCM. A enfermagem e o cuidar na área de saúde mental; Rev. Bras. Enferm, Brasília, 2004; v. 57, n.6, p. 738 – 741.

- Bergold, BL., Alvim, TAN., CABRAL, EI .O lugar da música no espaço do cuidado: Sensibilizando enfermeiros com a dinâmica musical; Texto Contexto Enferm. 2006; v.15, n.2, p.262-269.

- Leal, EM. Clínica e subjetividade contemporânea: questão de autonomia na Reforma Psiquiátrica Brasileira. In. Encontro dos Serviços de Atenção Diária do Rio de Janeiro, 2000.

- Caregnato, ACR, Mutti, R. Pesquisa Qualitativa: Análise do discurso versus análise de conteúdo; Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2006; v.15, n. 4, p.679-684.

- Stuart, GW, Laraia, M T. Enfermagem Psiquiátrica: Princípios e Prática, 6. ed., Porto Alegre, 2001.

- Gonçalez, CFD, Nogueira, OTA, Puggina, GCA O uso da música na assistência de enfermagem no Brasil : Uma revisão bibliográfica, Cogitare Enferm , Jundiaí, 2008; v.13,n.4, p.591-596.

- Côrte, B, Neto, LPA. Musicoterapia na doença de Parkinson; Ciência e Saúde Coletiva, São Paulo, 2008; v.14, n.6, p.2295-2304.

- Leonardi, J. Logomúsica: a criação de um novo approach musicoterapia como veículo na promoção da saúde mental. Tese de Doutorado. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto – Universidade de São Paulo, 2011. [acesso em abr 2012] Disponível em: http://www.teses.usp.br/ teses/disponiveis/22/22131/tde.../JulianaLeonardi.pdf.




DOI: https://doi.org/10.18554/

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/