Análise multitemporal do uso e cobertura do solo na APA rio Uberaba sob o enfoque da Ecologia de Paisagens

Vinícius Silva Rodrigues, Alex Garcez Utsumi

Resumo


A ecologia de paisagens é uma ciência que busca compreender a heterogeneidade espacial dos elementos que compõem uma paisagem, relacionando essa heterogeneidade com a biodiversidade e a ação do homem. O presente trabalho objetivou realizar a análise multitemporal do uso e cobertura do solo da APA do rio Uberaba, sob o enfoque da ecologia de paisagens. Para isso, realizou-se a classificação supervisionada de imagens Landsat 5,7 e 8 para os anos de 1984, 1994, 2004 e 2014, por meio do software Qgis 2.8.2. O software Fragstats 4.2 foi utilizado para o cálculo das seguintes métricas de paisagens: Área total, Número de manchas, Comprimento total de bordas, Índice de forma médio, Distância média do vizinho mais próximo e Índice de Proximidade média ponderado pela área. Os resultados mostraram que entre 1984 e 1994 houve melhoria das condições de configuração espacial e composição para a cobertura florestal, chegando a ocupar 32% da paisagem da APA. Após esse período, nota-se o avanço das atividades agropecuárias, explicado pela redução de 30,3% do número de fragmentos florestais juntamente com a redução de 16,2% da área total dessa classe. Além disso, fragmentos florestais maiores ficaram mais isolados, e com formatos mais irregulares, o que contribuiu para o aumento do efeito de borda. As métricas de paisagens foram úteis no entendimento da dinâmica da estrutura da APA, podendo auxiliar em futuras políticas públicas de conservação.

Palavras-chave


Fragmentos florestais; Unidades de Conservação; Análise espacial; Sistema de Informação Geográfica.

Texto completo:

PDF

Referências


ABDALA, V. L. "Zoneamento ambiental da bacia do alto curso do Rio Uberaba-MG como subsídio para gestão do recurso hídrico superficial". 2005. 87 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2005.

BARBALHO, M. G. da S.. Avaliação temporal do perfil da vegetação da microrregião dCeres atre avés do uso de métricas de paisagem. Bol. Goia. Geogr., Goiânia, v. 35, n. 3, p.472-487, set./dez. 2015.

CABACINHA, C. D.. Análise da estrutura da paisagem da alta bacia do rio Araguaia na savana brasileira. Floresta, Curitiba, v. 40, n. 4, p.675-690, out./dez. 2010.

CÂNDIDO, H. G. et al. Degradação Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Uberaba: Uma Abordagem Metodológica. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 30, n. 1, p.179-192, jan./fev. 2010.

FARINA, A. Principles and methods in landscape ecology: Toward a Science of Landscape. Urbino: Springer, 2006. 430 p.

FERNANDES, M. et al. Ecologia da Paisagem de uma Bacia Hidrográfica dos Tabuleiros Costeiros do Brasil. Floresta e Ambiente, [s.l.], v. 24, p.1-9, 2017.

GALETTI, G. Diagnóstico da estrutura da paisagem da estação ecológica de Avaré e seu entorno, como subsídio à sua conservação. 2013. 61 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Ciências Ambientais, Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, 2013.

LOURENÇO, D. C. G. R. Avaliação de áreas invadidas por espécies de Acacia na Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa de Caparica. 2009. 89 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia do Ambiente, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2009.

LUCAS, D. F. Análise Espacial dos Fragmentos Florestais no Município de São Gonçalo do Rio Abaixo/MG. Monografia. XIII Curso de Especialização em Geoprocessamento. 2011.

MASSOLI JUNIOR, E. V.. Estimativa da fragmentação florestal na microbacia Sepotubinha, Nova Marilândia – MT, entre os anos de 1990 a 2014. Caminhos da Geografia, Uberlândia, v. 17, n. 60, p.48-60, dez. 2016.

MCGARIGAL, K.; MARKS, B. J. Fragstats: spatial pattern analysis program for quantifying landscape structure. Reference manual, version 2.0. Corvallis, Oregon: For. Sci. Dep. Oregon State University, 1994.

METZGER, J. P. Estrutura da Paisagem e Fragmentação: Análise Bibliográfica.

Anais...Academia Brasileira de Ciências. v.71, n. 3-I, 445-463, Rio de Janeiro.1999.

METZGER, J. P. O Código Florestal tem base científica? Natureza e Conservação, São Paulo, v. 8, n. 1, p.1-8, jun. 2010.

OLIVEIRA, J. S. de et al. Análise espacial como suporte ao planejamento ambiental da região do Quadrilátero Ferrífero, Minas Gerais. Geographia Meridionalis, [s.l.], v. 3, n. 1, p.134-156, jan./jun. 2017.

PARANHOS FILHO, A. C. Sensoriamento Remoto Ambiental Aplicado. Campo Grande: Ufms, 2008. 198 p.

PEREIRA, R. da S. et al. Expansão da cana-de-açúcar no município de Uberaba - MG. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ÁGUAS, SOLOS E GEOTECNOLOGIAS - SASGEO, 1., 2015, Uberaba. Anais...Uberaba: Sasgeo, 2015.

PIROVANI, D. B.. Análise da paisagem e mudanças no uso da terra no entorno da rppn cafundó, ES. Cerne, [s.l.], v. 21, n. 1, p.27-35, mar. 2015.

RUDOLPHO, L. da S. et al. Aplicação de técnicas de geoprocessamento e métricas da paisagem na análise temporal da cobertura florestal da Bacia do Ribeirão Fortaleza em Blumenau/SC. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 16., 2013, Foz do Iguaçu. Anais... . Foz do Iguaçu: Inpe, 2013. p. 1742 - 1749.

RUSCA, G. G. et al. Análise espacial dos fragmentos florestais no entorno de uma unidade de conservação de proteção integral. Revista Brasileira de Ciências Ambientais (online), [s.l.], n. 44, p.85-94, jun. 2017.

SAUNDERS, Denis A. et al. Biological Consequences of Ecosystem Fragmentation: A Review. Conservation Biology, [s.i], v. 5, n. 1, p.18-32, mar. 1991.

SAURA, S.. EDITOR'S CHOICE: Stepping stones are crucial for species' long-distance dispersal and range expansion through habitat networks. Journal Of Applied Ecology, [s.l.], v. 51, n. 1, p.171-182, 13 nov. 2014.

SHAKER, R. et al. Land cover and Landscape as predictors Of groundwater contamination: a neural-network modelling approach applied to Dobrogea, Romania. Journal Of Environmental Protection And Ecology, [s.l.], v. 11, n. 1, p.337-348, mar. 2010.

TURNER, M. G. Landscape Ecology: What Is the State of the Science?. Annual Review of Ecology, Evolution and Systematics., [s.l.], v. 36, n. 1, p.319-344, ago. 2005.

UBERABA. Prefeitura Municipal de Uberaba. Plano de manejo emergencial: Área de proteção ambiental municipal do rio Uberaba. Uberaba, 2012. 136p. Disponível em:< http://www.uberaba.mg.gov.br/portal/acervo/meio_ambiente/APA/Plano%20de%20Manejo%20Emergencial%20-%20APA%20Rio%20Uberaba%20-%202013.pdf> Acesso em: 15 nov. 2017.

UUEMAA, E. Trends in the use of landscape spatial metrics as landscape indicators: A review. Ecological Indicators, [s.l.], v. 28, p.100-106, maio 2013.

VALENTE, R. de O. A. Análise da Estrutura da Paisagem na Bacia do Rio Corumbataí, SP.2001. Dissertação (Mestrado em Recursos Florestais). Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2001.

VALERA, C. A. et al. The role of environmental land use conflicts in soil fertility: A study on the Uberaba River basin, Brazil. Science Of The Total Environment, [s.l.], v. 562, p.463-473, ago. 2016.

VALLE JUNIOR, R. F. do. Diagnóstico de áreas de risco de erosão e conflito de uso dos solos na bacia do rio Uberaba. 2008. 222 f. Tese (Doutorado) - Curso de Agronomia (produção Vegetal), Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, 2008.

VALLE JUNIOR, R. F. do et al. Potencial de erosão da bacia do rio Uberaba. Eng. Agríc., Jaboticabal, v. 30, n. 5, p.897-908, set./out. 2010.

VIDOLIN, G. P. Análise da estrutura da paisagem de um remanescente de floresta com Araucária, Paraná, Brasil. Revista Árvore, Viçosa, v. 35, n. 3, p.515-525, abr. 2011.

VOLOTÃO, C. F. de S. Trabalho de análise espacial Métricas do Fragstats. Instituto Nacional De Pesquisas Espaciais/INPE. São Jose dos Campos, 1998.

WEISS, Carlos Vinicius da Cruz et al. Análise comparativa entre métodos de correção atmosférica em imagens do sensor Operational Land Imager (OLI), plataforma Landsat 8. Scientia Plena, Rio Grande, v. 11, n. 2, p.1-8, fev. 2015.




DOI: https://doi.org/10.18554/rbcti.v4i1.3589

Apontamentos

  • Não há apontamentos.