Aula de português na educação superior: Um olhar para a aprendizagem significativa

Luciana Paula Bento Luciani

Resumo


Independentemente da disciplina que se ministra, é possível provocar discussões em prol de uma aprendizagem significativa. Certamente alguns conteúdos são mais propícios que outros. Além disso, de modo geral, disciplinas e conteúdos direcionados ao futuro campo de atuação profissional tendem a atrair mais o interesse e a participação dos alunos. Com base nesses pressupostos, este artigo apresenta um relato de experiência e discute os resultados alcançados com a aplicação de uma atividade que teve como objetivo promover o desenvolvimento das quatro habilidades necessárias à competência interativa e comunicacional, conforme Irandé Antunes (2016): ler, escrever, falar e ouvir – fundamentais para toda e qualquer atuação cidadã e profissional. Tal proposta foi apresentada na disciplina de Redação Comercial I, ministrada para alunos do primeiro semestre do curso de graduação em Administração de Empresas, de uma Instituição de Ensino Superior da cidade de São Paulo. A atividade elaborada para essa referida turma parte da técnica “pequenos grupos para formular questões”, proposta por Masetto (2003, p. 119), e termina com a escrita e reescrita de um artigo de opinião. Dessa forma, pretende-se mostrar, ainda, como, a partir de uma técnica interativa e de materiais que fazem parte do cotidiano social e profissional dos alunos, foi possível propiciar um estudo efetivo da língua da materna.

Palavras-chave


Aprendizagem significativa; Competência interativa e comunicacional; Redação comercial, Língua materna.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, I. Aula de Português: encontro e interação. São Paulo: Parábola, 2016.

BECHARA, E. Ensino de gramática. Opressão? Liberdade? 12. ed. São Paulo: Ática, 2006.

DOLZ, J.; NOVERRAZ, M.; SCHNEUWLY, B. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. e Colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização Roxane Rojo e Glaís Sales. 3. ed. Campinas: Mercado de Letras, 2013.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 51. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, P.Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

FREIRE, P.Professora sim; tia não: cartas a quem ousa ensinar. 26. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

MASETTO, M. T. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003.

MURRAY, K. A linguagem dos líderes: como os principais CEOs de grandes corporações mundiais se comunicam para inspirar, influenciar e obter resultados. Tradução Rita Myrian Zagordo. São Paulo: Clio, 2012.

NEVES, M. H. de M. Que gramática estudar na escola?: norma e uso na língua portuguesa. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2013.

SILVA, L. R. da. Docência na contemporaneidade: desafios para professores no Ensino Superior. Revista Primus Vitam, São Paulo, SP, n. 5, p. 1-21, 2013. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.




DOI: https://doi.org/10.18554/ifd.v7i4.4134

Apontamentos

  • Não há apontamentos.