ESTUDO BIBLIOMÉTRICO DO ESTADO DA ARTE DO EVENTO QUEDA EM IDOSO

Newton Ferreira de Paula Júnior, Silvia Maria Azevedo dos Santos

Resumo


Objetivou mapear os dados quantitativos dos artigos científicos que abordaram a temática “queda em idoso” entre os anos de 2003 e 2012. Trata-se de uma bibliometria. Pesquisou-se em seis bases de dados eletrônicas e o acesso foi online: PubMed/Medline; CINAHL; Scopus; LILACS; BDENF e SciELO, nos idiomas português, inglês e espanhol. A análise utilizada para o estudo foi a Estatística descritiva por frequência simples/percentual. Foram selecionados e submetidos a essa análise 224 artigos. A distribuição dos artigos, segundo: indexação; ano; idioma; abordagem metodológica; país/continente de origem; locus; sexo; e estratificação etária e eixos temáticos, foi apresentada em forma de resultados e discussões de maneira separada. Os artigos apresentaram compreensões diversas acerca do evento queda em idosos. Mesmo utilizando estratificação etária, delineamento metodológico e locus das publicações diferentes, percebeu-se uma aproximação entre os resultados dos estudos, apontando que, para os idosos, vivenciar quedas tem importantes consequências para sua saúde.


Texto completo:

PDF

Referências


Camarano A.A., Pasinato MT. O envelhecimento populacional na agenda das políticas públicas. In: CAMARANO, A. A. (org.). Os novos idosos brasileiros muito além dos 60?, Rio de Janeiro: IPEA, 2004.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [Internet]. Brasília (DF): IBGE; Censo demográfico 2010. Disponível em:

Paula Júnior N.F. Estado da arte do evento quedas em idosos: uma revisão integrativa de literatura [dissertação de mestrado]. Florianópolis (SC): Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Universidade Federal de Santa Catarina; 2014. 222 p.

Logghe I.H.J., Zeeuwe P.E., Verhagen A.P., Wijnen-Sponselee R.M., Willemsen S.P., Bierma- Zeinstra S.M., et al. Lack of effect of Tai Chi Chuan in preventing falls in elderly people living at home: a randomized clinical trial. J. Am. Geriatr. Soc., 2008; 57 (1): 70-75. doi: 10.1111/j.1532-5415.2008.02064

Lopes K.T., Costa D.F., Santos L.F., Castro D.P., Bastone A.C. Prevalência do medo de cair em uma população de idosos da comunidade e sua correlação com mobilidade, equilíbrio dinâmico, risco e histórico de quedas. Rev. bras. Fisioter., 2009; 13 (3): 223-229. doi.org /10.1590/S1413-35552009005000026

Taylor M.E., Lord S.R., Delbaere K., Mikolaizak A.S., Close J.C. Physiological fall risk factors in cognitively impaired older people: a one-year prospective study. Dement Geriatr Cogn Disord., 2012; 34 (3-4): 181-189. doi: 10.1159/000343077

Araújo C.A. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão. 2006; 12 (1): 11-32. doi: 2006-0000052-00022

Alvarado R.U. A produtividade dos autores na literatura de enfermagem. Informação e Sociedade, Inf. & Soc.:Est. 2006; 16 (1): 63-78.

Pinho T.A.M., Silva A.O., Tura L.F.R., Moreira M.A.S.P., Gurgel S.N., Smith A.A.F., et al. Avaliação do risco de quedas em idosos atendidos em Unidade Básica de Saúde. Rev. Esc. Enferm. USP., 2012; 46 (2): 320-327. doi.org/10.1590/S0080-62342012000200008

Ministério da Saúde (BR). Portaria n. 2.528, de 19 de outubro de 2006. Aprova a política nacional de saúde da pessoa idosa. Brasília, 2006.

Creswell J.W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo- FAPESP. Relatório de atividades. São Paulo, 2011. 268p.

Reyes-Ortiz C., Al Snih S., Markides K. Falls among elderly persons in Latin America and the Caribbean and among elderly Mexican-Americans. Rev. Panam Salud Publica, 2005;17(5-6):362-369. doi. org/10.1590/S1020-49892005000500008

Álvares L.M., Lima R.C., Silva R.A. Ocorrência de quedas em idosos residentes em instituições de longa permanência em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad. Saúde Pública. 2010; 26 (1): 31-40. doi.org/10.1590/S0102-311X2010000100 004

Romero C., Uribe M. Factores de riesgo para que la población mayor institucionalizada presente caídas. Rev. Cienc. Salud.,2004; 2 (2): 91-110.

Hamra A., Ribeiro M.B., Miguel O.F. Correlação entre fratura por queda los idosos e uso prévio de medicamentos. Ortop Acta. Bras., São Paulo. 2007; 15 (3): 143-145. doi.org/10.1590/S1413-78522007000300004

Benedetti T.R.B., Binotto M.A., Petroski E.L., Gonçalves L.H.T. Atividade física e prevalência de quedas em idosos residentes no sul do Brasil. Rev. Bras. de Geriatr. Gerontol. 2008; 11 (2): 145-154.

Beck A.P., Antes D.L., Meurer S.T., Benedetti T.R.B., Lopes M.A. Fatores associados às quedas entre idosos praticantes de Atividades físicas. Rev. Texto Contexto Enfermagem. 2011; 20 (2): 280-286. doi.org/10.1590/S0104-07072011000200009

Gama Z., Gómez-Conesa A. Factores de riesgo de caídas en ancianos: revisión sistemática. Rev. Saúde Pública. 2008; 42 (5): 946-956.doi.org/10.1590/S0034-89102008000500022

Lebrão M.L., Laurenti R. Saúde, bem-estar e envelhecimento: o estudo SABE no município de São Paulo. Rev. Bras. Epidemiol. 2005; 8 (2): 127-141. doi. org/10.1590/S1415-790X2005000200005




DOI: https://doi.org/10.18554/

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/