OPINIÃO DE ESTUDANTES DE NUTRIÇÃO SOBRE A PREFERÊNCIA PELA VIA DE PARTO

Jaqueline de Oliveira Santos, Herta Thiele Seelmann, Antonieta Keiko Kakuda Shimo

Resumo


Objetivou-se verificar a preferência pelas vias de parto e identificar os motivos destapreferência entre estudantes universitárias de uma Instituição de Ensino Superior domunicípio de São Paulo-SP. Estudo descritivo, com abordagem quantitativa, com umaamostra de 100 estudantes do curso de Nutrição, definida por conveniência. Os dados foramcoletados por meio de um questionário estruturado, no período de fevereiro a abril de 2012, eanalisados utilizando-se a estatística descritiva simples. Observou-se que a maioria dasestudantes universitárias (76,8%) prefere o parto normal por se tratar de uma via cujarecuperação é melhor e mais rápida para as mulheres. Poucas discentes (23,2%) preferem oparto cesariano, sobretudo, pela ausência ou redução da dor durante o processo de parturição.Conclui-se que as estudantes analisadas preferem o parto normal em detrimento da cesariana.O direito da mulher de escolher a via de parto deve ser respeitado pelos profissionais desaúde.

Descritores: Parto normal; Cesárea; Saúde da mulher; Estudantes de ciências da saúde.


Texto completo:

PDF

Referências


Montenegro CAB, Rezende Filho J. Obstetrícia fundamental. 11ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2008.

Dias MAB. Cesariana: considerações sobre a trajetória desta cirurgia ao longo do último século. In: Agência Nacional de Saúde Suplementar (Brasil). O modelo de atenção obstétrica no setor de Saúde Suplementar no Brasil: cenários e perspectivas. Rio de Janeiro: ANS, 2008.

Faúndes A, Pádua KS, Osis MJD, Cecatti JG, Sousa MH. Opinião de mulheres e médicos brasileiros sobre a preferência pela via de parto. Rev Saúde Pública 2004; 38(4):488-94.

Organização Mundial de Saúde (OMS). Assistência ao parto normal: um guia prático. Saúde materna e neonatal/Unidade de maternidade segura saúde reprodutiva e da família. Genebra: OMS; 1996.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Políticas de Saúde. Área Técnica de Saúde da Mulher. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2001.

Berquó E, Garcia S, Lago T (coord.). PNDS 2006: Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2009.

Melchiori LE, Maia ACB, Bredariolli RN, Hory RI. Preferência de gestantes pelo parto normal ou cesariano. Interação Psicologia 2009; 13(1):13-23.

Ferrari J. Preferência pela via de parto nas parturientes em hospital público na cidade de Porto Velho, Rondônia. Rev Bras Saúde Matern Infant 2010; 10(2):S409-17.

DATASUS [Internet]. Brasília: Ministério da saúde (BR). Banco de dados do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Sistema de Informação de Nascidos Vivos (SINASC). [Acesso em 25 set 2012].Disponível em http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?idb2010/f08.def.

Tedesco RP, Maia Filho NL, Mathias L, Benez AL, Castro VCL, Bourroul GM et al. Fatores determinantes para as expectativas de primigestas acerca da via de parto. RBGO 2004; 26(10):791-8.

Mandarino NR, Chein MBC, Monteiro Junior FCM, Brito LMO, Lamy ZC, Nina VJS et al. Aspectos relacionados à escolha do tipo de parto: um estudo comparativo entre uma maternidade pública e outra privada em São Luís, Maranhão, Brasil. Cad Saúde pública 2009; 25(7):1587-96.

Fabri RH, Silva HSL, Lima RV, Murta EFC. Estudo comparativo das indicações de cesariana entre um hospital público universitário e um hospital privado. Rev. bras. saúde matern. infant. 2002; 2(1):29-35.

Oliveira SMJV, Riesco MLG, Miya CFR, Vidotto P. Tipo de parto: expectativas das mulheres. Rev Latino-am Enfermagem 2002; 10(5):667-74.

Jones L, Othman M, Dowswell T, Alfirevic Z, Gates S, Newburn M, Jordan S, Lavender T, Neilson JP. Pain management for women in labour: an overview of systematic reviews. Jones Database of Systematic Reviews 2012, Issue 3. Art. No.: CD009234. DOI: 10.1002/14651858.CD009234.pub2.

Dias MAB, Domingues RMSM, Pereira APE, Fonseca SC, Gama SMT, Theme Filha MM et al. Trajetória das mulheres na definição pelo parto cesáreo: estudo de caso em duas unidades do sistema de saúde suplementar do estado do Rio de Janeiro. Cien Saude Coletiva 2008; 13(5):1521-34.

Declercq E, Cunningham DK, Johnson C, Sakala C. Mothers’ reports of postpartum pain associated with vagina and cesarean deliveries: results of a national survey. Birth 2008; 31:16-24.

Santos JO, Bolanho IC, Mota JQC, Coleoni L, Oliveira MA. Frequência de lesões perineais ocorridas nos partos vaginais em uma instituição hospitalar. Esc Anna Nery Rev Enferm 2008; 12(4):658-63.




DOI: https://doi.org/10.18554/

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/