RELAÇÃO ENTRE CONDIÇÕES DE TRABALHO E SAÚDE DO ENFERMEIRO EMERGENCISTA

Sara Gabrielle da Cruz Soares, Mayara Regis Sena Gomes, Mariana de Oliveira Araujo

Resumo


Objetivo: caracterizar as condições de trabalho dos enfermeiros emergencistas no cenário brasileiro e identificar como essas condições influenciam na saúde desses trabalhadores. Método: revisão integrativa, com levantamento online realizado em outubro de 2018 no portal da BVS, nas Bases de Dados LILACS, BDENF e MEDLINE, usando os descritores: condições de trabalho AND enfermeiros AND emergência. Obteve-se 13 artigos, os quais foram analisados por meio da Análise de Conteúdo Temática. Resultados: os resultados demonstram que as condições de trabalho dos enfermeiros emergencistas têm sido caracterizadas pela existência de espaço físico inadequado, falta de insumos e recursos humanos e longas jornadas de trabalho, os quais poderão prejudicar a saúde física e psíquica dos enfermeiros. Conclusão: nota-se que no Brasil as condições de trabalho dos enfermeiros emergencistas têm se constituído de maneira desfavoráveis, o que interfere não apenas nas suas vidas, mas também na prestação da assistência aos usuários dos serviços de saúde.

Texto completo:

PDF PDF ENGLISH

Referências


Leal JAL, Melo CMM. Processo de trabalho da enfermeira em diferentes países: uma revisão integrativa. Rev Bras Enferm. [Internet]. 2018 [citado em 07 dez 2018]; 71(2):413-23. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/reben/v71n2/pt_0034-7167-reben-71-02-0413.pdf

Santos JLG, Menegon FHA, Pin SB, Erdmann AL, Oliveira RJT, Costa IAP. Ambiente de trabalho do enfermeiro em um serviço hospitalar de emergência. Rev Rene. [Internet]. 2017 [citado em 07 dez 2018]; 18(2):195-203. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/19246/29963

Silva MC. Condições de trabalho da enfermeira nos hospitais do Sistema Único de Saúde da Bahia. [dissertação] [Internet]. Salvador, BA: Universidade Federal da Bahia; 2017 [citado em 07 dez 2018]. 110p. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/24905/1/Dis_Enf_Mariana%20Costa%20da%20Silva.pdf

Braga LM, Torres LM, Ferreira VM. Condições de trabalho e fazer em enfermagem. Rev Enferm UFJF. [Internet]. 2015 [citado em 07 dez 2018]; 1(1):55-63. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/enfermagem/article/view/3788/1564

Souza MMT, Passos JP, Tavares CMM. Sofrimento e precarização do trabalho em enfermagem. Rev Pesqui (Univ. Fed. Estado Rio J.). [Internet]. 2015 [citado em 07 dez 2018]; 7(1):2072-82. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/5057/505750945031.pdf

Moraes Filho IM, Almeida RJ. Estresse ocupacional no trabalho em enfermagem no Brasil: uma revisão integrativa. Rev Bras Promoç Saúde. [ Internet]. 2016 [citado em 07 dez 2018]; 29(3):447-54. Disponível em: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/4645/0

Botelho LLR, Cunha CCDA, Macedo M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade [Internet]. 2011 [citado em 07 dez 2018]; 5(11):121–36. Disponível em: https://www.gestaoesociedade.org/gestaoesociedade/article/view/1220/906

Minayo MCS, organizadora. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29ed. Petrópolis, RJ: Vozes; 2010.

Rosado IVM, Russo GHA, Maia EMC. Produzir saúde suscita adoecimento? As contradições do trabalho em hospitais públicos de urgência e emergência. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2015 [citado em 07 dez 2018]; 20(10):3021-32. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v20n10/1413-8123-csc-20-10-3021.pdf

Mendes ACG, Araújo Júnior JLAC, Furtado BMASM, Duarte PO, Silva ALA, Miranda GMD. Condições e motivações para o trabalho de enfermeiros e médicos em serviços de emergência de alta complexidade. Rev Bras Enferm. [Internet]. 2013 [citado em 07 dez 2018]; 66(2):161-66. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/reben/v66n2/02.pdf

Oliveira EB, Pinel JS, Gonçalves JBA, Diniz DB. Trabalho de enfermagem em emergência hospitalar - riscos psicossociais: pesquisa descritiva. Online Braz J Nurs. [Internet]. 2013 [citado em 07 dez 2018]; 12(1):1-8. Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/4046/pdf_2

Zandomenighi RC, Mouro DL, Oliveira CA, Martins EAP. Cuidados intensivos em um serviço hospitalar de emergência: desafios para os enfermeiros. Reme Rev Min Enferm. [Internet]. 2014 [citado em 07 dez 2018]; 18(2):1-10. Disponível em: https://cdn.publisher.gn1.link/reme.org.br/pdf/en_v18n2a12.pdf

Martins JT, Bobroff MCC, Ribeiro RP, Robazzi MLCC, Marziale MHP, Haddad MCL. Significados de cargas de trabalho para enfermeiros de pronto socorro/emergência. Ciênc Cuid Saúde. [Internet]. 2013 [citado em 07 dez 2018]; 12(1):40-6. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/16459/pdf_134

Sobral PHAF, Silva AMP, Santos VEP, Santos RAA, Santos ALS. Atuação de enfermagem em serviços de emergência: revisão sistemática. Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J.). [Internet]. 2013 [citado em 07 dez 2018]; 5(4):396-407. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/1655/pdf_893

Roncalli AA, Oliveira DN, Melo IC, Viegas SMF, Brito RF. Experiências cotidianas do enfermeiro na classificação de risco em unidade de pronto atendimento. Rev Enferm UFPE. [Internet]. 2017 [citado em 07 dez 2018]; 11(4):1743-51. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/15246/18030

Silva SF, Ilha S, Diefenbach GD, Pereira JC. Dificuldades vivenciadas em um serviço de atendimento móvel de urgência: percepções da equipe de enfermagem. Rev Enferm. Cent.-Oeste Min. [Internet]. 2014 [citado em 07 dez 2018]; 4(2):1161-72. Disponível em: http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/541/751

Santos JNMO, De La Longuiniere ACF, Vieira SNS, Amaral APS, Sanches GJC, Vilela ABA. Estresse ocupacional: exposição da equipe de enfermagem de uma unidade de emergência. Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J.). [Internet]. 2019 [citado em 07 dez 2018]; 11(n esp):455-63. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/6386/pdf_1

Cordeiro MG, Torres ARA, Rocha FAA, Costa FBC, Branco JGO. Satisfação profissional de enfermeiros em uma unidade de emergência. Nursing (São Paulo). 2019; 22(249): 2604-9.

Marques CR, Ribeiro BMSS, Martins JT, Dias HG, Darli RCMB, Bernardes MLG, Karino, ME. Fatores de satisfações e insatisfações no de enfermeiros. Rev Enferm UFPE on line. [Internet]. 2020 [citado em 07 dez 2018]; 14:e244966. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/244966/35391

Worm FA, Pinto MAO, Schiavenato D, Ascari RA, Trindade LL, Silva OM. Risco de adoecimento dos profissionais de enfermagem no trabalho em atendimento móvel de urgência. Rev Cuid. [Internet]. 2016 2020 [citado em 07 dez 2018]; 7(2):1288-96. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/cuid/v7n2/v7n2a06.pdf

Oliveira FP, Mazzaia MC, Marcolan JF. Sintomas de depressão e fatores intervenientes entre enfermeiros de serviço hospitalar de emergência. Acta Paul Enferm. [Internet]. 2015 [citado em 07 dez 2018]; 28(3):209-15. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ape/v28n3/1982-0194-ape-28-03-0209.pdf

Fonseca JRF, Lopes Neto D. Níveis de estresse ocupacional e atividades estressoras em enfermeiros de unidades de emergência. Rev Rene. [Internet]. 2014 [citado em 07 dez 2018]; 15(5):732-42. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/3230/2486

Silva RF, Silva SF, Almeida NM, Barbosa TC, Quaresma FRP, Maciel ES. Presença de distúrbios osteomusculares em enfermeiros de unidades de pronto atendimento. Rev Enferm Atenção Saúde. [Internet]. 2017 [citado em 07 dez 2018]; 6(2):2-11. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/2081/pdf

Mesquita KL, Gomes GPLA, Silva MJBF, Santos LF. A visão do enfermeiro/gestor sobre a necessidade de implementar apoio psicológico aos profissionais do serviço de atendimento móvel de urgência. Rev Enferm. Cent.-Oeste Min. [Internet]. 2014 [citado em 07 dez 2018]; 4(1): 1019-28. Disponível em: http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/453/576

Sakai AM, Rossaneis MA, Haddad MCFL, Sardinha DSS. Sentimentos de enfermeiros no acolhimento e na avaliação da classificação de risco em pronto-socorro. Rev Rene. [Internet]. 2016 [citado em 07 dez 2018]; 17(2):233-41. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/3007/2323

Oliveira LP, Araújo GF. Características da síndrome de burnout em enfermeiros da emergência de um hospital público. Rev Enferm Contemp. [Internet]. 2016 [citado em 07 dez 2018]; 5(1):34-42. Disponível em: https://www5.bahiana.edu.br/index.php/enfermagem/article/view/834/645

Beleza CMF, Gouveia MTO, Robazzi MLCC, Torres CRD, Azevedo GAV. Riscos ocupacionais e problemas de saúde percebidos por trabalhadores de enfermagem em Unidade Hospitalar. Cienc Enferm. [Internet]. 2013 [citado em 07 dez 2018]; 19(3):73-82. Disponível em: https://scielo.conicyt.cl/pdf/cienf/v19n3/art_08.pdf




DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v9i2.3553

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/